Prancha de Comunicação Suplementar e/ou Alternativa (PCA) no contexto educacional: uma revisão integrativa

Autores

  • Adriana Branco Scorsato Universidade Tuiuti do Paraná, Faculdade de Ciências Biológicas e de Saúde, Programa de Pós-Graduação em Distúrbios da Comunicação https://orcid.org/0000-0002-3963-9819
  • Simone Infingardi Kruger Universidade Tuiuti do Paraná, Faculdade de Ciências Biológicas e de Saúde, Programa de Pós-Graduação em Distúrbios da Comunicação https://orcid.org/0000-0002-3324-0698
  • Loreane Batista de Lima Cequimel Universidade Tuiuti do Paraná, Faculdade de Ciências Biológicas e de Saúde, Programa de Pós-Graduação em Distúrbios da Comunicação https://orcid.org/0000-0002-7183-0007
  • Cristiano Miranda de Araújo Universidade Tuiuti do Paraná, Faculdade de Ciências Biológicas e de Saúde, Programa de Pós-Graduação em Distúrbios da Comunicação https://orcid.org/0000-0003-1325-4248
  • Ana Paula Berberian Universidade Tuiuti do Paraná, Faculdade de Ciências Biológicas e de Saúde, Programa de Pós-Graduação em Distúrbios da Comunicação https://orcid.org/0000-0001-7176-7610

DOI:

https://doi.org/10.24220/2318-0870v27e2022a5730

Palavras-chave:

Sistemas de comunicação alternativo e aumentativo, Prancha de comunicação alternativa, Tecnologia assistiva

Resumo

Diante da precária utilização da Prancha de Comunicação Alternativa nos diferentes níveis da formação escolar, torna-se necessário o implemento de pesquisas que promovam a ampliação e a efetividade de seu uso junto aos alunos com restrições de fala. O estudo objetivou analisar parte da produção do conhecimento científico acerca das concepções, finalidades e modos de construção da Prancha de Comunicação Alternativa. Trata-se de uma revisão integrativa de artigos publicados em periódicos indexados em bases de dados. A partir da aplicação de critérios de inclusão e exclusão foram selecionados 12 estudos que passaram a compor o corpus de análise. Quanto aos resultados, destaca-se que dos participantes envolvidos nas pesquisas, 50% eram professores e alunos; 25% eram professores, alunos e familiares; 8% eram apenas alunos e familiares; 8% eram alunos, professores e pesquisador e 8% eram só alunos. Com relação à faixa etária dos alunos, 83% dos participantes eram crianças, 18% eram adolescentes e 8% sem idade definida. Sessenta e seis por cento dos alunos estavam matriculados em escolas regulares e 33% em escolas especiais. Quanto à finalidade, o uso da Prancha de Comunicação Alternativa tinha como objetivo promover a interação/diálogo. Conclui-se que a crescente presença de alunos com oralidade restrita no contexto educacional evidencia a necessidade do implemento de estudos que contribuam para interações entre os diferentes profissionais envolvidos com os processos de ensino-aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Bardin, L. Análise de conteúdo. Coimbra: Editora 70, 2015.

Berberian, A. P. et al. A produção do conhecimento em fonoaudiologia em comunicação suplementar e/ou alternativa: análise de periódicos. Revista CEFAC, v. 11, p. 258-266, 2009. https://doi.org/10.1590/S1516-18462009000600016

Bez, M. R.; Passerino, L. M. Avaliação e acompanhamento do desenvolvimento de sujeitos com transtornos globais do desenvolvimento através do uso de inventários. RETEME–Revista de Tecnologias e Mídias na Educação, v. 2, n. 2, p. 60-79, 2012.

Bonadiu, P. M. et al. Os caminhos que levaram à criação do Portal de Tecnologia Assistiva do Curso de Terapia Ocupacional da UFRJ. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar, v. 21, n. 2, p. 289-298, 2013. http://dx.doi.org/10.4322/cto.2013.030

Brasil. Ministério da Educação. O Plano de Desenvolvimento da Educação: razões, princípios e programas. Brasília: MEC, 2007b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/livro/livro.pdf. Acesso em: 11 nov. 2019.

Brasil. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: Secretaria de Educação, 2007a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 20 jan. 2020.

Bueno, J. G. S. Crianças com necessidades educativas especiais, política educacional e a formação de professores: generalistas ou especialistas. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 3, n. 5, p. 7-25, 1999. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/pdf/rbee/ v03n05/v03n05a02.pdf. Acesso em: 15 maio 2019.

Carvalho, J. S. F. A produção do fracasso escolar: a trajetória de um clássico. Psicologia USP, v. 22, n. 3, p. 569-578, 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/pusp/v22n3/aop2411. Acesso em: 25 fev. 2019.

Chun, R. Y. S. Comunicação suplementar e/ou alternativa: abrangência e peculiaridades dos termos e conceitos em uso no Brasil. Pró-Fono Revista de Atualização Científica, v. 21, n. 1, p. 69-74, 2009. https://doi.org/10.1590/S0104-56872009000100012

Ciceri, C. C. A comunicação aumentativa e alternativa em uma perspectiva dialógica na clínica de linguagem. 2009. Dissertação (Mestrado em Distúrbios da Comunicação Humana) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2009. Disponível em: http://repositorio.ufsm.br/handle/1/6446.C. Acesso em: 20 mar. 2020.

Danelon, M. C. T. M. As interações sociais de alunos com dificuldade de comunicação oral a partir da inserção de recursos da comunicação alternativa e ampliada associada aos procedimentos do ensino naturalístico. 2009. 308 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual do Rio de Janeiro, 2009. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/ DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=159983. Acesso em: 25 jul. 2022.

Deliberato, D.; Nunes, L. R. O. P. Uso de sistemas gráficos na rotina da sala de aula regular com aluno com deficiência. Archivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 23, p. 1-26, 2015. http://dx.doi.org/10.14507/epaa.v23.1655

Ferreira, J. I. A. A importância dos sistemas de comunicação aumentativa e alternativa na inclusão de alunos com dificuldades severas na comunicação oral. 2018. Dissertação (Mestrado em Educação Especial) – Instituto Politécnico de Beja, 2018. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.12207/4834. Acesso em: 20 nov. 20196.

Freitas, A. B. M. Enunciação e autoria via comunicação alternativa e interlocução mediadora. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 12, p. 165-180, 2012. https://doi.org/10.1590/S1984-63982012000100009

Gomes, R. C.; Nunes, D. R. Interações comunicativas entre uma professora e um aluno com autismo na escola comum: uma proposta de intervenção. Educação e Pesquisa, v. 40, p. 143-161, 2014. https://doi.org/10.1590/S1517-97022014000100010

Gomes, V. L. Comunicação alternativa como possibilidade de inclusão educacional e interação com o ambiente. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological, v. 5, n. 3, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufac.br/index.php/ SAJEBTT/article/view/1610. Acesso em: 25 jul. 2022.

Krüger, S. I. A comunicação suplementar e/ou alternativa: atividade semiótica promotora das interações entre professores e alunos com oralidade restrita. 2016. Tese (Doutorado em Distúrbios da Comunicação) – Universidade Tuiuti do Paraná, Curitiba, 2016. Disponível em: https://tede.utp.br/jspui/handle/tede/1284. Acesso em: 20 mar. 2020.

Krüger, S. I. et al. A visão de um grupo de fonoaudiólogos acerca da Prancha de Comunicação Alternativa. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 10, p. 83754-83770, 2020. https://doi.org/10.34117/bjdv6n10-713

Krüger, S. I. et al. Delimitação da área denominada Comunicação Suplementar e/ou Alternativa (Csa). Revista Cefac, v. 19, p. 265-276, 2017. https://doi.org/10.1590/1982-021620171927316

Magalhães, T. G.; Cyranka, L. F. M. Sujeito, educação e o trabalho com a língua portuguesa na escola básica. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 95, p. 662-675, 2014. https://doi.org/10.1590/S2176-6681/304812685

Manzini, M. G. et al. Programa de Comunicação Alternativa para uma criança com paralisia cerebral e seus parceiros de comunicação: um estudo de delineamento de múltiplas sondagens. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 25, p. 553-570, 2019. https://doi.org/10.1590/s1413-65382519000400002

Massaro, M.; Deliberato, D. Uso de sistemas de comunicação suplementar e alternativa na Educação Infantil: percepção do professor. Revista Educação Especial, v. 26, n. 46, p. 331-350, 2013. https://doi.org/10.5902/1984686X4821

Modesto, R. F. F. Comunicação alternativa: participação de alunos com deficiência não oralizado na rotina pedagógica. 2018. 120 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual Paulista, Marília, 2018. http://hdl.handle.net/11449/180452

Nascimento Givigi, R. C. et al. A Comunicação Alternativa e os efeitos do trabalho em redes na constituição da linguagem e nas práticas educativas inclusivas. Educação Unisinos, v. 16, n. 1, p. 48-57, 2012.

Nunes, L. R. P. O.; Schirmer, C. R. Salas abertas: formação de professores e práticas pedagógicas em Comunicação Alternativa e Ampliada nas salas de recurso multifuncionais. Rio de Janeiro: Eduerj, 2017. https://doi.org/10.7476/9788575114520

Passerino, L. M.; Bez, M. R.; Vicari, R. M. Formação de professores em Comunicação Alternativa para crianças com Tea: contextos em ação. Revista Educação Especial, v. 26, n. 47, p. 619-638, 2013. https://doi.org/10.5902/1984686X10475

Pelosi, M. B. A Comunicação Alternativa e ampliada nas escolas do Rio de Janeiro: formação de professores e caracterização dos alunos com necessidades educacionais especiais. 2000. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000.

Pires, S. C. F. Comunicação Suplementar e/ou Alternativa e ganho lexical na criança com síndrome de Down: estudo piloto. 2008. Tese (Doutorado em Medicina) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008. https://doi.org/10.11606/T.5.2008.tde-04112008-153335

Rodrigues, R. V. et al. Comunicação Alternativa: discutindo a prática pedagógica e a utilização desses recursos. Criar Educação, v. 6, n. 2, 2017. http://dx.doi.org/10.18616/ce.v6i2.2426

Rodrigues, R. V.; Burei, A. P.,; Stangherçin, D. C. Comunicação alternativa: discutindo a prática pedagógica e a utilização desses recursos. Revista Criar Educação, v. 6, n. 2, 2017. https://doi.org/10.18616/ce.v6i2.2426

Romano, N.; Chun. R. Y S. Condições linguístico-cognitivas de crianças usuárias de comunicação suplementar e/ou alternativa segundo componentes da CIF. Distúrbios da Comunicação, v. 26, n. 3, 2014.

Sameshima, F. S. Capacitação de professores no contexto de sistemas de Comunicação Suplementar e Alternativa. 2011. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual Paulista, Marília, 2011.

Santarosa, L. M. C.; Conforto, D. Formação de professores da América Latina em tecnologias assistivas. Informática na Educação: Teoria & Prática, v. 15, n. 2, 2012. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/226289. Acesso em: 20 mar. 2020.

Santos, A. R. D.; Deliberato, D.; Aiello, A. L. R. Sistema de comunicação alternativa na interação de um aluno com autismo e seu professor. Teias, v. 13, p. 227-245, 2012. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/115052/ ISSN15185370-2012-13-30-227-245.pdf?sequence=1. Acesso em: 25 jul. 2022.

Souza, V. L. V. D. Caracterização da comunicação alternativa: um estudo entre alunos com deficiência física em escolas de uma região do município do Rio De Janeiro. 2000. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000.

Tetzchner, S. V. et al. Inclusão de crianças em educação pré-escolar regular utilizando comunicação suplementar e alternativa. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 11, p. 151-184, 2005. https://doi.org/10.1590/S1413-65382005000200002

Togashi, C. M., & Walter, C. C. D. F. As contribuições do uso da comunicação alternativa no processo de inclusão escolar de um aluno com transtorno do espectro do autismo. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 22, p. 351-366, 2016. https://doi. org/10.1590/S1413-65382216000300004

Zaporoszenko, A.; Alencar, G. A. R. Comunicação alternativa e paralisia cerebral: recursos didáticos e de expressão. Maringá: Secretária de Estado da Educação, 2008. (Caderno Pedagógico Série: Educação Especial). Disponível em: http:// atividadeparaeducacaoespecial.com/wp-content/uploads/2014/09/paralisia-cerebral-e-comunica%C3%A7%C3%A3o.pdf. Acesso em: 15 mar. 2020.

Downloads

Publicado

2022-08-03

Como Citar

Scorsato, A. B., Infingardi Kruger, S., Cequimel, L. B. de L. ., Araújo, C. M. de ., & Berberian, A. P. (2022). Prancha de Comunicação Suplementar e/ou Alternativa (PCA) no contexto educacional: uma revisão integrativa. Revista De Educação PUC-Campinas, 27, 1–15. https://doi.org/10.24220/2318-0870v27e2022a5730