Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e o Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da cidade do Rio de Janeiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24220/2675-7885v3e2022a5547

Palavras-chave:

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, Resíduos Sólidos, Sustentabilidade

Resumo

A produção acelerada de resíduos nas cidades acarreta disposição inadequada e danos ao meio ambiente e à saúde. O Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos é uma ferramenta de gestão pública para garantir a gestão e gerenciamento dos resíduos sólidos municipais, sendo importante na busca de soluções e meios para o cumprimento dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Dessa forma, o estudo busca analisar a nova versão do Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos do Município do Rio de Janeiro, com base nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e das políticas públicas municipais relacionados a eles. Para isso, realizou-se uma análise bibliográfica do Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, relacionando seu conteúdo aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e seus respectivos princípios e metas. Os objetivos gerais do plano estão de acordo com 10 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Já a destinação final, está relacionada principalmente com o Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 13. Os tópicos e ações do documento estão associados com as metas de 3 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. As diretrizes gerais do plano relacionam-se com 7 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, as diretrizes específicas com 4 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, as diretrizes do planejamento estratégico com 6 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e as metas com 4 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. O Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos atualmente não possui conexão direta com a lei municipal n°6.906/2021 e o Plano de Desenvolvimento Sustentável e Ação Climática da Cidade do Rio de Janeiro, porém suas ações vão de acordo com às ambições de ambos, e espera-se uma maior concordância nas próximas versões. De forma geral, o plano apresenta mais correlações com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 11 e 12, e demonstra um esforço no planejamento de ações e ferramentas relacionadas à sustentabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elana Andrade de Oliveira Farias , Universidade Federal do Rio de Janeiro

Universidade Federal do Rio de Janeiro, Centro de Tecnologia, Escola Politécnica.

Andrey Seraphim Guilherme , Universidade Federal do Rio de Janeiro

Universidade Federal do Rio de Janeiro, Centro de Tecnologia, Escola Politécnica.

Ana Clara Brandão da Silva, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Universidade Federal do Rio de Janeiro, Centro de Tecnologia, Escola Politécnica.

Raíssa André de Araujo, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola Politécnica, Programa de Engenharia Ambiental.

Elisa Maria Mano Esteve, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola Politécnica, Programa de Engenharia Ambiental

Claudia do Rosário Vaz Morgado, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola Politécnica, Programa de Engenharia Ambiental.

Referências

Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. Panorama dos resíduos sólidos no Brasil. São Paulo: Abrelpe, 2020. Disponível em: https://abrelpe.org.br/panorama-2020/. Acesso em: 10 de out. de 2021.

Brasil. Lei no 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 2010.

Confederação Nacional dos Municípios. Agenda 2030. Brasília: CNM, 2021. Disponível em: http://www.ods.cnm.org.br/agenda-2030. Acesso em: 10 dez. 2021.

Corrêa, F. V. S. et al. Gerenciamento de resíduos sólidos urbanos na fronteira franco-brasileira: impactos socioambientais. Revista Ciência Geográfica, v. 24, n. 2, p. 635-654, 2020. Disponível em: https://agbbauru.org.br/publicacoes/revista/anoXXIV_2/agb_xxiv_2_web/agb_xxiv_2-11.pdf. Acesso em: 10 de out. de 2021.

Costa, A. M.; Pugliesi, E. Análise dos manuais para elaboração de planos municipais de gestão integrada de resíduos sólidos. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 23, n. 3, p. 509-516, 2018.

Deus, R. M.; Battistelle, R. A. G.; Silva, G. H. R. Resíduos sólidos no Brasil: contexto, lacunas e tendências. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 20, n. 4, p. 685-698, 2015.

Gouveia, N. Resíduos sólidos urbanos: impactos socioambientais e perspectiva de manejo sustentável com inclusão social. Ciência & saúde coletiva, v. 17, n. 6, p. 1503-1510, 2012.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estimativas da População. Rio de Janeiro: IBGE, 2019. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9103-estimativas-de-populacao.html?edicao=25272&t=resultados. Acesso em: 10 de out. de 2021.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Portal Cidades: panorama dos municípios e estados do Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2021. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/. Acesso em: 11 de out. de 2021.

Movimento Nacional ODS Santa Catarina. Os 5’Ps da sustentabilidade. Florianópolis, 2021. Disponível em: https://sc.movimentoods.org.br/os-5ps-da-sustentabilidade/. Acesso em: 14 out. 2021.

Nações Unidas no Brasil. Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Brasília: Casa ONU Brasil, 2021. Disponível em: https://brasil.un.org/pt-br/sdgs. Acesso em: 15 fev. 2022.

Nagashima, L. A. et al. Gestão integrada de resíduos sólidos urbanos: uma proposta para o município de Paranavaí, Estado do Paraná, Brasil. Acta Scientiarum Technology, v. 33, n. 1, p. 39-47, 2011.

Rio de Janeiro. Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da Cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, 2021a.

Rio de Janeiro. Adota a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável como diretriz para a promoção de Políticas Públicas Municipais, cria o programa e a comissão para os objetivos de desenvolvimento sustentável, e dá outras providências. Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Administração, 2021b.

Rio de Janeiro. Plano de Desenvolvimento Sustentável e Ação Climática da Cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, 2021c.

Sistema Nacional de Informação sobre Saneamento. Painel Resíduos Sólidos Urbanos: indicadores municipais. Brasília: SNIS, 2017 Disponível em: https://app.powerbi.com/view?r=eyJrIjoiNGVkYTRiZTktMGUwZS00OWFiLTgwNWYtNGQ3Y2JlZmJhYzFiIiwidCI6IjJiMjY2ZmE5LTNmOTMtNGJiMS05ODMwLTYzNDY3NTJmMDNlNCIsImMiOjF9. Acesso em: 13 de out. de 2021.

Downloads

Publicado

2022-03-16

Como Citar

Andrade de Oliveira Farias , E., Seraphim Guilherme , A. ., Brandão da Silva, A. C., André de Araujo, R. ., Mano Esteve, E. M. ., & Vaz Morgado, C. do R. . (2022). Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e o Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da cidade do Rio de Janeiro. Sustentabilidade: Diálogos Interdisciplinares, 3, 1–20. https://doi.org/10.24220/2675-7885v3e2022a5547

Edição

Seção

III Sustentare e VI WIPIS