Dupla invisibilidade: a educação de meninas surdas do século XIX no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24220/2318-0870v26e2021a5431

Palavras-chave:

Educação de surdos, Educação especial, Gênero.

Resumo

A fundação do Imperial Instituto dos Surdos-Mudos, no século XIX, no Rio de Janeiro, deu início à educação de surdos no Brasil. A referida instituição tinha como finalidade a regeneração intelectual e moral de pessoas com surdez e acolhia, desde a sua origem, alunos e alunas surdas de acordo com o previsto para a educação das camadas populares e prescrições existentes à época sobre gênero. Dada a invisibilidade a respeito da educação de meninas surdas na literatura da área da Educação Especial, este estudo teve como objetivo delinear e refletir sobre o percurso da educação de meninas surdas no Imperial Instituto de Surdos-Mudos de 1857 a 1873. Diante disso, a pesquisa possui uma abordagem qualitativa e é do tipo estudo documental. O corpus foi constituído por fontes de natureza primária, a saber: relatórios dos diretores da instituição e de ministros e secretários de Estado dos Negócios do Império, publicações oficiais, além de leis que versavam sobre a instrução pública no período. Por meio do estudo foi possível constatar que o processo de instrução de meninas surdas era semelhante, em alguns aspectos, ao praticado com meninas ouvintes que tinham a mesma origem socioeconômica e cor de pele. A educação de meninas surdas foi extinta a partir de 1873 no referido Instituto por uma série de motivos, entre eles a falta de estrutura para o atendimento às alunas.

Biografia do Autor

Cássia Geciauskas Sofiato, Universidade de São Paulo

Universidade de São Paulo, Departamento de Filosofia da Educação e Ciências da Educação, Faculdade de Educação. Av. da Universidade, 308, Cidade Universitária, 05508-040, São Paulo, SP, Brasil. Correspondência para/Correpondence to: C.G. SOFIATO. E-mail: <cassiasofiato@usp.br>.

Roni Cleber Dias de Menezes , Universidade de São Paulo

Universidade de São Paulo, Departamento de Filosofia da Educação e Ciências da Educação, Faculdade de Educação. São Paulo, SP, Brasil.

Referências

Brasil. Decreto nº 1.331-A, de 17 de fevereiro de 1854. Approva o Regulamento para a reforma do ensino primário e secundário do Município da Côrte. Rio de Janeiro, 1854. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto- 1331-a-17-fevereiro-1854-590146-publicacaooriginal-115292-pe.html. Acesso em: 15 jun. 2020.

Brasil. Decreto nº 4046, de 19 de dezembro de 1867. Approva o Regulamenro provisório do Instituto dos Surdos-Mudos. Rio de Janeiro, 1967. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-4046-19-dezembro-1867- 554346-publicacaooriginal-72928-pe.html. Acesso em: 28 de jul. 2021.

Center for Research Libraries. Almanak Laemmert (1844-1889). Chicago: Center for Research Libraries, 1856. Available: http:// www-apps.crl.edu/brazil/almanak. Cited: Nov. 16, 2020.

Center for Research Libraries. Almanak Laemmert (1844-1889). Chicago: Center for Research Libraries, 1857. Available: http:// www-apps.crl.edu/brazil/almanak. Cited: Nov. 16, 2020.

Center for Research Libraries. Almanak Laemmert (1844-1889). Chicago: Center for Research Libraries, 1858. Available: http:// www-apps.crl.edu/brazil/almanak. Cited: Nov. 16, 2020.

Center for Research Libraries. Almanak Laemmert (1844-1889). Chicago: Center for Research Libraries, 1868. Available: http:// www-apps.crl.edu/brazil/almanak. Cited: Nov. 16, 2020.

Center for Research Libraries. Almanak Laemmert (1844-1889). Chicago: Center for Research Libraries, 1873. Available: http:// www-apps.crl.edu/brazil/almanak. Cited: Nov. 16, 2020

Correia, M. F. Instituto dos Surdos-Mudos. Relatório do Comissário do Governo. Rio de Janeiro: Typografia Nacional, 1873.

Cunha, K. D. As mulheres brasileiras no século XIX. In: Encontro Nacional do Grupo de Trabalho Gênero/ANPUH, 2014, Vitória. Anais eletrônicos [...]. Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo, 2014. Disponível em: https://legpv.ufes.br/sites/legpv.ufes. br/files/field/anexo/karolina_dias_da_cunha.pdf. Acesso em: 26 jul. 2021.

Diniz, B. Conversão hipotética dos réis para o real. Dinis Numismática, Brasil,14 jul. 2021. Moedas do Brasil. Disponível em: https:// www.diniznumismatica.com/2015/11/conversao-hipotetica-dos-reis-para-o.html. Acesso em: 23 set. 2021.

Fonseca, M. R. F. Dicionário Histórico-Biográfico das Ciências da Saúde no Brasil (1832-1930). Rio de Janeiro: Fiocruz, 2006.

Jullian, C. Un héroe francés en el silencio: Eduardo Huet y la conformación de la identidad sorda en México. In: Siller, J. P.; Cramaussel, C. C. (coord.). México Francia: memoria de una sensibilidad común; Siglos XIX-XX. México: Centro de Estudios Mexicanos y Centroamericanos, 2008. p. 385-410. Disponible en: http://books.openedition.org/cemca/1679. Acceso en: 26 de jul. 2021.

Le Goff, J. História e memória. Campinas: Unicamp, 2013.

Leite, T. R. Instituto dos Surdos-Mudos: Relatório do director. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1868.

Leite, T. R. Instituto dos Surdos-Mudos: Relatório do director. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1870.

Leite, T. R. Instituto dos Surdos-Mudos: Relatório do director. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1871.

Leite, T. R. Instituto dos Surdos-Mudos: Relatório do director. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1872.

Leite, T. R. Instituto dos Surdos-Mudos: Relatório do director. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1873.

Mapa. Imperial Instituto dos Surdos-Mudos: do pessoal ensinado no Instituto. Rio de Janeiro: Mapa, 1858.

Marson, A. Reflexões sobre o procedimento histórico. In: Silva, M. A. (org.). Repensando a história. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1984.

Mattos, I. R. O tempo saquarema: a formação do Estado Imperial. São Paulo: Hucitec/INL, 1987.

Olinda, M. Relatório apresentado à Assembleia Geral Legislativa. Rio de Janeiro: Typographia Nacional,1865.

Ribeiro, A. O Instituto Nacional de Surdos Mudos. Revista do Serviço Público, v. 4, p. 1-27, 1942.

Rizzini, I.; Schueler, A. F. M. Entre o mundo da casa e o espaço público: um plebiscito sobre a educação da mulher (Rio de Janeiro, 1906). Revista de História e Historiografia da Educação, v. 2, n. 4, p. 122-146, 2018.

Rocha, S. O INES e a educação de surdos no Brasil: aspectos da trajetória do Instituto Nacional de Educação de Surdos em seu percurso de 150 anos. Rio de Janeiro: INES, 2007.

Schueler, A. F. M. Crianças e escolas na passagem do Império para a República. Revista Brasileira de História, v. 19, n. 37, p. 1-15, 1999.

Schueler, A. F. M. Internatos, asilos e instituições disciplinares na história da educação brasileira. Revista Contemporânea de Educação, v. 4, n. 7, p. 1-7, 2009.

Soares, M. A. L. S. A educação de surdos no Brasil. Campinas: Autores Associados, 1999.

Sofiato, C. G. A educação de surdos no século XIX: currículo prescrito e modelo de educação. Cadernos de Pesquisa, v. 25, n. 2, p. 1-18, 2018.

Souza, V. R. M. A educação dos surdos no século XIX. Revista Tempos e Espaços em Educação, v. 1, p. 49-56, 2008.

Downloads

Publicado

22-11-2021

Edição

Seção

Seção Temática: Ensino, Tradução e Interpretação em línguas de sinais: intersecções entre gênero, raça e etnia