11 de setembro: das Reformas aos atentados

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24220/2447-6803v46e2021a5369

Palavras-chave:

Bin Laden, Jihad, Onze de setembro.

Resumo

 O presente artigo pretende mostrar as ideias e acontecimentos que serviram de base ao líder da Al-Qaeda Osama bin Laden. Através da Escola Hanbali e das Reformas no mundo islâmico, surgiram teóricos que são peças fundamentais para entender os desdobramentos de grupos como a Al-Qaeda. Dessa forma, o artigo se debruça sobre os aspectos históricos e religiosos que perpassam esse meio. Através das obras do teórico Sayyid Qutb, faz-se uma abordagem a respeito do conceito de jihad, sobre o seu significado e como a questão é abordada pela Al-Qaeda.

Biografia do Autor

Karolina dos Santos, Universidade Federal de Juiz de Fora

Universidade Federal de Juiz de Fora, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Religião. R. José Lourenço Kelmer, s/n., São Pedro, 36036- 900, Juiz de Fora, MG, Brasil. Email: <apachesantos87@yahoo.com.br>.

Referências

Al Anani, K. Inside the Muslim Brotherhood: religion, identity, and politics. Oxford: Oxford University Press, 2016.

Al Assar, S. R. A. A Irmandade Muçulmana: nação sob o cosmo islâmico. Rio de Janeiro: PUC-Rio, 2014.

Al Matroudi, A. H. The Hanbali school of Law and Ibn Taymiyyah. United States: Routledge, 2006.

Armstrong, K. O Islã. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

Armstrong, K. Em nome de Deus: o fundamentalismo no judaísmo, no cristianismo e no islamismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

Azzam, A. Join the Caravan. Mecca: Maktabah Publications, 1989

Azoulay, R. The power of ideas: the influence of Hassan al-Banna and Sayyid Qutb on the Muslim Brotherhood organization. Israel: Przeglad Strategiczny, 2015.

Berger, P. L. Modernidade, pluralismo e crise de sentido: a orientação do homem moderno. Petrópolis: Vozes, 2012.

Berger, P. L. Os múltiplos altares da Modernidade. Petropolis: Vozes, 2017.

Blanchard, C. M. The Islamic Traditions of Wahhabism and Salafiyya. United States: Library of Congress,2007.

Cherem, Y. Jihad: duas interpretações contemporâneas de um conceito polissêmico. Campos, v. 10, n. 2, p. 83-99, 2009.

Cherem, Y. A crença, a lei, a guerra: uma análise do pensamento de ‘Is.âmMuh.ammad T. âhir al-Barqâwî. Campinas: Unicamp, 2010.

Cherem, Y. Jihad: interpretações de um conceito polissêmico. História e Sociedade, v. 11, n. 2, p. 153-184, 2013.

Cook, D. Understanding Jihad. Berkeley: University of California Press, 2005.

Crone, P. God’s Rule – Government and Islam: six centuries of medieval islamic political tought. New York: Columbia University Press, 2005.

Giddens, A. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

Hourani, A. Uma história dos povos árabes. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

Kepel, G. Jihad. Paris: Editions Gallimard, 2003.

Lawrence, B. Mensagens ao mundo de Osama bin Laden. Lisboa: Temas e Debates, 2006.

Langer, J. Dicionário de história das Religiões na antiguidade e medievo. Petrópolis: Vozes, 2020.

Malashenko, A. Encyclopedia of jihad. Moscou: Faculty Publications and Presentations, 2001.

Moussali, A. Hassan al-Banna. In: Sposito, J. L.; Shahin, E. El-D. Key islamic political thinkers. Oxford: Oxford University Press, 2018.

Murr, V. The power of ideas: sayyid Qutb and Islamism. Rockford: College Summer Research Project, 2004.

Pace, E. Sociologia do islã: fenômenos religiosos e lógicas sociais. Petrópolis: Vozes, 2005.

Panasiewicz, R. Pluralismo religioso contemporâneo: diálogo inter-religioso na teologia de Claude Geffré. São Paulo: Paulinas, 2007.

Pinto, P. G. H. R. Islã: Religião e civilização – uma abordagem antropológica. Aparecida: Editora Santuário, 2010.

Prado, P. S. Fundamentalismo religioso: uma análise sobre a religião no Islã e os desafios ao diálogo inter-religioso. In: Congresso Internacional SOTER, 23., 2010, Belo Horizonte. Anais [...]. Belo Horizonte, 2010.

Prado, P. S. O mundo nos nomeia: o fundamentalismo religioso no Islã e a categorização de uma identidade performativa. Belo Horizonte: PUC-Minas, 2013.

Qutb, S. Normas no caminho do Islã. São Paulo: Movimento da Juventude Islâmica Abu Bakr Assidik, 1992.

Qutb, S. Milestones. Birminghan: Maktabah Booksellers and Publishers, 2006.

Ramadan, T. Islam and the Arab awakening. Oxford: Oxford Press, 2012.

Said, E. W. Orientalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

Santos, D. J. S. Ritual e performance na construção identitária da ummah islâmica. Revista Eletrônica de Ciências Sociais, v. 3, n. 6, p. 142-168, 2009.

Schnelle, S. Abdullah Azzam, ideologue of Jihad: Freedom Fighteror terrorist? Journal of Church and State, v. 54, n. 4, p. 625-647, 2012.

Teixeira, F. O pluralismo religioso e a ameaça fundamentalista. Numen, v. 10, n. 1, p. 9-24, 2007.

Wagemakers, J. A Purist Jihadi-Salafi: theideology of Abu Muhammad al Maqdisi. Cambridge: British Journal of Middle Eastern Studies, v. 36, n. 2, p. 281-297, 2009.

Weiss, M.; Hassan, H. Estado Islâmico: desvendando o exército do terror. São Paulo: Seoman, 2015.

Winter, L. The Abdullah Azzam Brigades. Studies in Conflict &Terrorism, v. 34, n. 1, p. 883-895, 2011. https://doi. org/10.1080/1057610X.2011.611935.

Downloads

Publicado

25-11-2021

Como Citar

Santos, K. dos. (2021). 11 de setembro: das Reformas aos atentados. Reflexão, 46, 1-15. https://doi.org/10.24220/2447-6803v46e2021a5369

Edição

Seção

Seção Temática: O "11 de setembro", 20 anos depois