Uma proposta iluminista para Lisboa em 1755

Autores

  • Ivone Salgado Pontifícia Universidade Católica de Campinas

Palavras-chave:

higienismo, Iluminismo, urbanismo, projeto urbano, história da arquitetura, história do urbanismo.

Resumo

O artigo se propõe analisar os desenhos de Robert Adam para a reconstrução de Lisboa, desenhos esses concebidos em Roma no final de 1755, ou no começo do ano seguinte, e
que foram provavelmente desenvolvidos no contexto de um exercício acadêmico no estilo das práticas empreendidas nas academias italianas no século XVIII, voltadas às reflexões
teóricas de temas arquitetônicos. Procura-se justapor essa proposta às concepções adotadas para o projeto arquitetônico e urbanístico pelos engenheiros portugueses para a reconstrução de Lisboa, concepções essas que revelam preocupações de regularidade e simetria na composição dos edifícios que respondem à simetria clássica e estariam filiadas a uma tradição mais próxima do século XVII. Em contraponto a essas idéias, os desenhos de Robert Adam sintetizam as concepções inglesas de espaços regulares, revelando um novo
repertório de modelos urbanísticos em que a repetição rítmica das formas geométricas elementares confere às intervenções uma harmonia que se implanta pouco a pouco como um
ornato urbano específico da cultura iluminista sobre a cidade. No projeto do arquiteto escocês percebe-se, ainda, uma filiação às concepções higienistas específicas da cultura iluminista,
que são pautadas pelas teorias médicas sobre a salubridade das cidades.
PALAVRAS-CHAVE: higienismo, Iluminismo, urbanismo, projeto urbano, história da arquitetura, história do urbanismo.

Biografia do Autor

Ivone Salgado, Pontifícia Universidade Católica de Campinas

Professora doutora Programa de Pós-Graduação em Urbanismo CEATEC PUC-Campinas

Referências

BUENO, B. P. S. Considerações sobre a organização

inadequada das cidades e sobre os meios de corrigir

os inconvenientes aos quais elas estão sujeitas.

(Tradução de Pierre Patte in. Mémoires sur les objets

les plus importants de l’Architecture). Revista de

Estudos sobre Urbanismo. Arquitetura e Preserva-

ção/Cadernos de Pesquisa do LAP FAU USP, n.38.,

jul.-dez., 2003

BOLTON, A. T. The Architecture of Robert and James

Adam. 2.ed. London: Antique Collector´s Club

Ltd., 1984. 2v.

FRANÇA, J.-A. Une ville des Lumières: la Lisbonne de

Pombal. Paris: Bibliohéque Générale de L´École

Pratique des Hautes Études VI Section, SEVPEN,

_______. Lisboa Pombalina e o Iluminismo. 3.ed . Lisboa:

Bertrand, 1987.

_______. Espaces et commodités dans la Lisbonne de

Pompal. Dix-Huitième Siècle. numéro special (Le

sain et le malsain), n.9, p.161-9, 1977.

GWYNN, J. London and Westminster Improved. London,

HOAR, F. An Introdution to English Architecture. 1.ed.

London: Evans Brothers Ltd., 1963.

MARET. Mémoire sur l’usage où l’on est d’enterrer les

morts dans les églises et dans l’enceinte des villes.

Dijon, 1773.

PATTE, P. Mémoires sur les objets les plus importants de

l’Architecture. Genève: Minkoff Reprint, 1973.

PIATOLLI, S. Saggio in torno al luogo del seppellire.

RICHARDSON, J. Convent Garden. New Barnet: Historical

Publications Ltd, 1979.

SALGADO, I. Origens do pensamento racional sobre a

cidade. Relatório Final de Pesquisa. PUC Campinas/FAPESP.

Campinas. 1998.

_______. Pierre Patte e a cultura urbanística do iluminismo

francês. Revista de Estudos sobre Urbanismo.

Arquitetura e Preservação/Cadernos de Pesquisa do

LAP FAU USP, n.38, jul.-dez. 2003.

SICA, P. Historia del Urbanismo – el siglo XVII. Madrid:

Instituto de Estudios de Administracion Local, 1982.

SOLON, J.-F. Sources d’Histoire de la France

Moderne.Paris, 1972.

STILlMAN, D. English Neo-classical Architecture. London:

A. Zwemmer, 1988.

SUMMERSON, J. Georgian London. London: Barrie &

Jenkins, 1988.

TAIT, A. A. Robert Adam Drawings & Imagination. New

York: Cambridge University Press, 1993.

VICQ D’AZIR. Essai sur les lieux et les dangers des

sepultures.In: ___. Oeuvres de Vicq d’Azir. Paris: L.

Duprat-Duverger, 1805. , tome sizième.

YOUNGSON, AJ. The Making of Classical Edinburgh

-1840. Edinburgh: Edinburgh at the University

Press, 1970.

Downloads

Publicado

04-02-2013

Edição

Seção

Artigos de Pesquisa