A construção de si em um grupo de apoio para pessoas com transtornos alimentares

Autores

  • Fabio SCORSOLINI-COMIN Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Laura Vilela e SOUZA Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Manoel Antônio dos SANTOS Universidade de São Paulo

Palavras-chave:

Anorexia; Bulimia; Dialogismo; Grupos de apoio

Resumo

Este estudo teve como objetivo compreender a construção de si mesmo a partir do discurso de pessoas diagnosticadas com anorexia e bulimia, participantes de um grupo de apoio psicológico. Participaram 14 jovens atendidas em um serviço público de saúde de um hospital universitário. A partir do referencial histórico-cultural bakhtiniano, analisaram-se qualitativamente as transcrições audiogravadas de 10 sessões consecutivas do grupo. Constatou-se que os discursos produzidos socialmente sobre os transtornos alimentares são evocados nas falas das participantes e encontram no grupo um espaço para que possam ser contestados, negociados ou aceitos, promovendo a desconstrução de mitos erigidos em torno da enfermidade. A análise empreendida aponta o grupo como uma ferramenta terapêutica significativa para a produção de novos sentidos, não patologizantes com relação aos transtornos alimentares e seus portadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Andrade, T. F., & Santos, M. A. (2009). A experiência corporal de um adolescente com transtorno alimentar. Revista Latino-Americana de Psicopatologia Fundamental, 12 (3), 454-468.

Bakhtin, M. (1997). Estética da criação verbal (2Ş ed). São Paulo: Martins Fontes.

Bakhtin, M. (1999). Marxismo e filosofia da linguagem (9Ş ed). São Paulo: Hucitec.

Block, S., Reibstein, J., Crouch, E., Holroyd, P., & Themen, J. (1979). A method for the study of therapeutic factors in group psychotherapy. British Journal of Psychiatry, 134, 257-263.

Dunker, K. L. L., & Philippi, S. T. (2003). Hábitos e comportamentos alimentares de adolescentes com sintomas de anorexia nervosa. Revista de Nutrição, 16 (1), 51-60.

Filgueiras, M. S. T., Lisboa, A. V., Macedo, R. M., Paiva, F. G., Benfica, T. M. S., Vasques, V. A. (2007). Avaliação psicossomática no câncer de mama: proposta de articulação entre os níveis individual e familiar. Estudos de Psicologia (Campinas), 24 (4), 551-560. doi: 10.1590/S0103-166X2 007000400014.

Fraga, L. B., & Santos, M. A. (2005). A mortificação do corpo na anorexia nervosa: considerações sobre a função de holding na psicoterapia. In M. A. Santos, C. P. Simon & L. L. Melo-Silva (Eds.), Formação em psicologia: processos clínicos (pp.163-184). São Paulo: Vetor.

Giordani, R. C. F. (2006). A autoimagem corporal na anorexia nervosa: uma abordagem sociológica. Psicologia & Sociedade, 18 (2), 81-88.

Hoogland, R. (2002). Fact and fantasy: the body of desire in the age of posthumanism. Journal of Gender Studies, 11 (3), 213-231.

Kreling, D. B., & Santos, M. A. (2005). Anorexia nervosa: Um relato de atendimento clínico realizado em contexto multidisciplinar. In M. A. Santos, C. P. Simon & L. L. Melo-Silva (Eds.), Formação em psicologia: processos clínicos (pp.143-161). São Paulo: Vetor.

Minayo, M. C. S. (1994). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde São Paulo: Hucitec.

Moreira, V., Nogueira, F. N. N., & Rocha, M. A. S. (2007). Leitura fenomenológica mundana do adoecer em pacientes do serviço de fisioterapia do núcleo de atenção médica integrada, Universidade de Fortaleza. Estudos de Psicologia (Campinas), 24 (2), 191-203. doi: 10.1590/S0 103-16672007000200006.

Overton, W. (1997). Beyond dichotomy: an embodied active agent for cultural psychology. Culture and Psychology, 3 (3), 315-334.

Polak, Y. N. S. (1997). O corpo como mediador da relação homem/mundo. Texto & Contexto Enfermagem, 6 (3), 29-43.

Polivy, J., & Herman, C. P. (2002). Causes of eating disorders. Annual Review of Psychology, 53 (1), 187-213.

Santos, M. A. (2006). Sofrimento e esperança: grupo de pacientes com anorexia e bulimia nervosas. Medicina (Ribeirão Preto), 39 (3), 386-402.

Santos, M. A., Oliveira, E. A., Moscheta, M. S., Ribeiro, R. P. P., & Santos, J. E. (2004). Mulheres plenas de vazio: os aspectos familiares da anorexia nervosa. Vínculo, 1 (1), 46-51.

Sicchieri, J. M. F., Santos, M. A., Santos, J. E., & Ribeiro, R. P. P. (2007). Avaliação nutricional de portadores de transtornos alimentares: resultados após a alta hospitalar. Ciência, Cuidado e Saúde, 6 (1), 68-75.

Scorsolini-Comin, F., & Amorim, K. S. (2008). Corporeidade: uma revisão crítica na literatura científica. Psicologia em Revista, 14 (1), 189-214.

Souza, L. V., & Santos, M. A. (2006). A família e os transtornos alimentares. Medicina (Ribeirão Preto), 39 (3), 403-409.

Souza, L. V., & Santos, M. A. (2007). Anorexia e bulimia: conversando com as famílias São Paulo: Vetor.

Souza, L. V., & Santos, M. A. (2009a). A construção social de um grupo multifamiliar no tratamento dos transtornos alimentares. Psicologia: Reflexão e Crítica, 22 (3), 317-326.

Souza, L. V.; & Santos, M. A. (2009b). A construção de sentidos em um grupo de apoio aos familiares de pessoas com transtornos alimentares. In S. R. Pasian, G. Romanelli & M. V. Cunha (Orgs.), Investigação científica em Psicologia: aplicações atuais em saúde (pp.69-84). São Paulo: Vetor.

Spink, M. J. P., & Medrado, B. (2000). Produção de sentidos no cotidiano: uma abordagem teórico-metodológica para análise das práticas discursivas. In M. J. Spink (Org.), Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano: aproximações teóricas e metodológicas (pp.41-61). São Paulo: Cortez.

Wolf, N. (1992). O mito da beleza: como as imagens de beleza são usadas contra as mulheres Rio de Janeiro: Rocco.

Yalom, I. D. (1995). The theory and practice of group psychotherapy New York: Basic Books.

Downloads

Publicado

2022-12-01

Como Citar

SCORSOLINI-COMIN, F. ., SOUZA, L. V. e ., & SANTOS, M. A. dos . (2022). A construção de si em um grupo de apoio para pessoas com transtornos alimentares. Estudos De Psicologia, 27(4). Recuperado de https://seer.sis.puc-campinas.edu.br/estudos/article/view/7166