Contribuições da Psicologia à educação escolar: perpetuação ou transformação das desigualdades sociais?

Autores

  • Vera Lucia Trevisan SOUZA Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), Centro de Ciências da Vida, Programa de Pós-Graduação em Psicologia. https://orcid.org/0000-0003-2062-0680

Palavras-chave:

Desigualdade educacional, Psicologia cultural, Psicologia escolar

Resumo

Este artigo discute o papel da escola na constituição dos sujeitos, aborda suas contribuições ao desenvolvimento ou à inibição dele, a depender das interações das quais participam os alunos, e insere a escola no contexto mais amplo da sociedade, considerando os múltiplos fatores que a constituem como instituição que, a um só tempo, conserva e transforma valores, saberes e diversas práticas culturais e que emperra processos de desenvolvimento de crianças, adolescentes e adultos. Reflete, então, sobre a escola como produtora de desigualdade, por um lado, e promotora da superação das condições de existência, por outro. Busca-se destacar o papel da escola como fomentadora da consciência dos sujeitos sobre si e sobre o mundo, sobre as condicionantes de suas vidas atuais e possibilidades futuras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Arretche, M. (2015). Trajetórias das Desigualdades: como o Brasil mudou nos últimos cinquenta anos. Universidade Estadual Paulista.

Cunha, E. O., & Dazzani, M. V. M. (2016). Da repulsa da escola à diferença: historicizando raízes, perspectivando saídas. In M. V. M. Dazzani & V. L. T. Souza (Orgs.), Psicologia Escolar Crítica: teoria e prática nos contextos educacionais (pp. 57-75). Átomo e Alínea.

Friedrich, J. (2012). Lev Vigotski – mediação, aprendizagem e desenvolvimento: uma leitura filosófica e epistemológica. Mercado das Letras.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. (2018). Censo Escolar 2017: notas técnicas. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. http://inep.gov.br/censo-escolar

Jesus, J. S. (2020). As histórias que contamos de nós: mobilizando a imaginação e as emoções de estudantes do Ensino

Fundamental II (Tese de doutorado não-publicada). Pontifícia Universidade Católica de Campinas.

Libâneo, J. C. (2012). O dualismo perverso da escola pública brasileira: escola do conhecimento para os ricos, escola do acolhimento social para os pobres. Educação e Pesquisa, 38(1), 13-28. https://doi.org/10.1590/S1517-97022011005000001

Ministério da Educação (Brasil). (2021). Relatório do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (SAEB) – ciclo 2019. Ministério da Educação. www.inep.gov.br

Rhoden, C. (Diretor). (2017). Nunca me sonharam [Documentário]. Maria Farinha Filmes.

Sawaia, B. B. (2000). A emoção como locus de produção do conhecimento: uma reflexão inspirada em Vygotsky e seu diálogo com Espinosa. Anais da III Conferência de Pesquisa Sócio-Cultural, Campinas. https://www.unifal-mg.edu.br/

humanizacao/2017/11/11/a-emocao-como-locus-de-producao-do-conhecimento-uma-reflexao-inspirada-em-vygotskye-no-seu-dialogo-com-espinosa/

Sawaia, B. B. (2009). Psicologia e desigualdade social: uma reflexão sobre liberdade e transformação social. Psicologia & Sociedade, 21(3), 364-372. https://doi.org/10.1590/S0102-71822009000300010

Souza, V. L. T. (2016a). Arte, imaginação e desenvolvimento humano: aportes à atuação do Psicólogo na escola. In M. V. M. Dazzani & V. L. T Souza (Orgs.), Psicologia Escolar Crítica: teoria e prática nos contextos educacionais (pp. 77-94). Alínea e Alínea.

Souza, V. L. T. (2016b). Contribuições da Psicologia à compreensão do desenvolvimento e da aprendizagem. In V. L. T.

Souza, A. P. Petroni, & P. C. Andrada (Orgs.), A Psicologia da arte e a promoção do desenvolvimento e da aprendizagem: intervenções em contextos educativos (pp. 11-28). Edições Loyola.

Souza, V. L. T. (2019). A pesquisa-intervenção como forma de inserção social em contextos de desigualdade: arte e imaginação na escola. Psicologia em Revista, 25(2), 689-706. https://doi.org/10.5752/P.1678-9563.2019v25n2p689-706

Takara, L. M. (2016). “Nóis pixa voces pinta, vamu ve quem tem mais tinta”: a mediação do espaço físico e social na promoção do desenvolvimento da imaginação de adolescentes do Ensino Médio [Dissertação de mestrado não-publicada]. Universidade Católica de Campinas.

Vigotski, L. S. (2006). Obras Escogidas IV – Paidología del adolescente: problemas de la psicología infantil (2a ed.). Visor y A. Machado Libros. (Originalmente publicado em 1930).

Vigotski, L. S. (2007). A formação social da mente (J. C. Neto, L. S. M. Barreto, & S. C. Afeche, Trad.; 7a ed.). Martins Fontes. (Originalmente publicado em 1925).

Vigotski, L. S. (2009). A construção do pensamento e da linguagem (P. Bezerra, Trad.; 2a ed.). Martins Fontes. (Originalmente publicado em 1934).

Vigotski, L. S. (2010). Quarta aula: a questão do meio na pedologia. (M. P. Vinha, Trad.). Psicologia USP, 21(4), 681-701. (Originalmente publicado em 1935). https://doi.org/10.1590/S0103-65642010000400003

Publicado

2022-03-23

Como Citar

SOUZA, V. L. T. . (2022). Contribuições da Psicologia à educação escolar: perpetuação ou transformação das desigualdades sociais?. Estudos De Psicologia, 39, 1–11. Recuperado de https://seer.sis.puc-campinas.edu.br/estudos/article/view/5741

Edição

Seção

DOSSIÊ | PSICOLOGIA CULTURAL DA EDUCAÇÃO