A educação, o brincar e a infância contemporânea

Ana Marta Meira

Resumo


O presente artigo apresenta reflexões sobre a infância contemporânea, o brincar, a educação, a cultura, a cidade e a arte, a partir de uma análise transdisciplinar. As contribuições da Psicologia e da Psicanálise são importantes para o aprofundamento de estudos sobre o tema, problematizando questões referentes à crescente medicalização da infância e sua extensão na educação. As configurações do laço e do espaço social encontram-se articuladas a posições que oscilam entre o automatismo e o incremento de trocas coletivas, sendo o brincar considerado fundamental na educação das crianças e em seu processo de subjetivação.

 


Palavras-chave


Brincar. Cultura. Educação infantil. Infância contemporânea. Psicanálise.

Texto completo:

PDF

Referências


Agamben, G. Enfance et histoire: destruction de l’expérience et origine de l’histoire. Paris: Payot et Rivages, 2002.

Ariès, P. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: LTC, 1981.

Barbosa, A.M. Interterritorialidade na arte/educação e na arte. In: Barbosa, A.M.; Amaral, L. (Org.). Interterritorialidade: mídias, contextos e educação. São Paulo: Senac, 2008. p.23-43.

Bergès, J.; Balbo, G. A atualidade das teorias sexuais infantis. Porto Alegre: CMC, 2001.

Certeau, M. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 2001.

Dolto, F. No jogo do desejo. São Paulo: Ática, 1996. Faria, A.L.G.; Palhares, M.S. (Org.). Educação infantil: rumos e desafios. São Paulo: Autores Associados, 2000.

Freire, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

Gagnebin, J.M. História e narração em Walter Benjamin. São Paulo: Perspectiva, 1999.

Hyppolite, J. Comentario hablado sobre la Verneinung de Freud. In: Lacan, J. Escritos II. Buenos Aires: Siglo Veintiuno, 1987.

Korpi, B.M. The politics of pre-school: intentions and decisions underlying the emergence and growth of the Swedish pre-school. Stockholm: The Ministry of Education and Research, 2007. Available from: .

Cited: 12 May 2011.

Kristeva, J. As novas doenças da alma. São Paulo: Rocco, 2002.

Kuhlmann Júnior, M. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediação, 1998.

Meira, A.M. A cultura do brincar: a infância contemporânea, o brincar e a cultura no espaço da cidade. 2004. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social) - Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2004. Disponível em: .

Meira, A.M. Olhares das crianças sobre a cidade de Porto Alegre: infância contemporânea, psicanálise, educação e arte. 2011. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10183/

>.

Piaget, J. Para onde vai a educação? Rio de Janeiro: José Olympio, 1973.

Roudinesco, E. Por que a psicanálise? Rio de Janeiro: Zahar, 2000.

Saxena, S. Atlas: child and adolescent mental health: global concerns, implications for the future. Geneva: World Health Organization, 2005. Available from: . Cited: 14 May 2011.

Sweden. Ministry of Education and Research Sweden. Government Offices of Sweden. Preschool pedagogy to nanotechnology: education and research in Sweden - democratic values, fundamental to the system. 2009. Available from: <http://www.sweden.gov.se/content/1/

c6/13/10/20/618c6013.pdf>. Cited: 12 May 2011.

Trilla, J.; Ghanem, E. Educação formal e não-formal. São Paulo: Summus, 2008.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v17n2a995

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.