A psicologia escolar e as professoras das séries iniciais: um olhar sobre o cotidiano docente

Liliane dos Guimarães Alvim Nunes, Sílvia Maria Cintra da Silva

Resumo


Este artigo é o relato de uma pesquisa qualitativa realizada com professoras das séries iniciais do ensino fundamental de uma escola estadual da cidade de Uberlândia (MG). Por meio de entrevistas procuramos investigar o que as professoras pensam e dizem que lhes falta em seu trabalho cotidiano para melhor lidar com seus alunos e o que esperam do psicólogo escolar. As entrevistadas queixaram-se do desinteresse discente, da indisciplina, da falta de apoio das famílias dos alunos, do número elevado de crianças por sala, da escassez de material e espaço físico inadequado e de alunos que apresentam dificuldades de aprendizagem. A expectativa das docentes é que alunos com dificuldades sejam atendidos individualmente por psicólogos para alcançarem um nível satisfatório de aprendizagem e acompanhar seus colegas da mesma faixa etária. Para as docentes, por meio de um trabalho psicológico clínico na escola (ou fora dela), é possível solucionar as dificuldades apresentadas pelos alunos.


Palavras-chave


Formação docente. Prática de professores. Psicologia escolar.

Texto completo:

PDF

Referências


BOCK, A.M.B. As influências do Barão de Münchhausen na psicologia da educação. In: TANAMACHI, E.R. et al. (Org.). Psicologia e educação:

desafios teórico-práticos. São Paulo, 2000. p.11-33.

CABRAL, E.; SAWAYA, S.M. Concepção e atuação profissional das queixas escolares: os psicólogos nos serviços públicos de saúde. Estudos de Psicologia (Natal), v.6, n.2, p.143-155, 2001.

CHARLOT, B. Formação de professores: a pesquisa e a política educacional. In: PIMENTA, S.G.; GHEDIN, E. (Org.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002.

CODO, W. Educação: carinho e trabalho. Petrópolis: Vozes, 1999.

CONTINI, M.L.J. O psicólogo e a promoção de saúde na educação. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2001.

CUNHA, M.D. Da constituição de professores no espaço-tempo da sala de aula. 2000. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual de Campinas,

Campinas, 2000.

FONTANA, R.A.C. Como nos tornamos professoras? Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

GÓMEZ, A.P. O pensamento prático do professor: a formação do professor como profissional reflexivo. In: NÓVOA, A. (Coord.). Os professores e sua formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1997.

GONZÁLEZ REY, F.L. Pesquisa qualitativa em psicologia: caminhos e desafios. São Paulo: Pioneira, 2002.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (Org.). Vidas de professores. 2. ed. Porto: Porto Editora, 1995.

MACHADO, A.M.; SOUZA, M.P.R. Psicologia escolar: em busca de novos rumos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1997.

MARÇAL, V.P.B. A queixa escolar nos ambulatórios de saúde mental da rede pública de Uberlândia: práticas e concepções dos psicólogos. 2005. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2005.

MOYSÉS, M.A.A. A institucionalização invisível: crianças-que-não-aprendem-na-escola. São Paulo: Mercado de Letras, 2001.

NÓVOA, A. Vidas de professores. Porto: Porto Editora, 1995.

PATTO, M.H.S. Introdução à psicologia escolar. São Paulo: T.A. Queiroz, 1981.

PATTO, M.H.S. Psicologia e ideologia. São Paulo: T.A. Queiroz, 1984.

PATTO, M.H.S. A Produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: T.A. Queiroz, 1990.

PIMENTA, S.G.; GHEDIN, E. (Org.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002.

PROENÇA, M. Problemas de aprendizagem ou problemas de escolarização? Repensando o cotidiano escolar à luz da perspectiva histórico-crítica em psicologia. In: OLIVEIRA, M.K. et al. (Org.). Psicologia, educação e as temáticas da vida contemporânea.

São Paulo: Moderna, 2002. p.177-195.

SADALLA, A.M.F.A. Com a palavra a professora: suas crenças, suas ações. Campinas: Editora Alínea, 1998.

SAWAYA, S.M. Novas perspectivas sobre o sucesso e o fracasso escolar. In: OLIVEIRA, M.K. et al. (Org.). Psicologia, educação e as temáticas da vida contemporânea. São Paulo: Moderna, 2002, p.197-213.

SCHÖN, D.A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (Coord.). Os professores e sua formação. 3. ed. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1997.

SOUZA, M.P.R. A queixa escolar e a formação do psicólogo. 1996. Tese (Doutorado) - Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1996.

SOUZA, M.P.R. A queixa escolar na formação de psicólogos: desafios e perspectivas. In: TANAMACHI, E. R. et al. (Org.). Psicologia e educação:

desafios teórico-práticos. São Paulo, 2000. p.105-141.

TARDIF, M. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Educação e Sociedade, v.21, n.73, p.209-244, 2000.

ZEICHNER, K.M. Para além da divisão entre professor-pesquisador e pesquisador acadêmico. In: GERALDI, C.M.G. et al. Cartografias do trabalhodocente: professor(a)-pesquisador(a). Campinas: Mercado de Letras: Associação de Leitura do Brasil, 1998. p.207-236.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v0n29a55

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.