Avaliação da Educação Superior: análise do uso das Tecnologias da Informação e Comunicação nas universidades federais mineiras | Evaluation of Higher Education: An analysis of the use of Information and Communication Technologies in the federal universities of the state of Minas Gerais (Brazil)

Carlos Antônio de Souza Perini, Dirlene Aparecida Almeida e Silva, Jhonny Michael Costa, Paulo César de Resende Andrade, Rafael Miranda Abreu, Riann Martinelli Batista

Resumo


Este artigo traz uma análise do uso das Tecnologias da Informação e Comunicação nas universidades federais mineiras mineiras, considerando os últimos relatórios de autoavaliação institucional elaborados pelas Comissões Próprias de Avaliação dessas instituições. Esses relatórios são desenvolvidos periodicamente seguindo as diretrizes da Lei do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior. Além disso, contam com a participação de toda a comunidade acadêmica e têm como objetivo principal gerar informações para tomadas de decisão de caráter político, pedagógico e administrativo. A partir dos estudos realizados, ficou evidente que a participação de todos os segmentos é fundamental para a melhoria da instituição. No âmbito das Tecnologias da Informação e Comunicação, este estudo concluiu que cada instituição, devido às suas particularidades, deu prioridades diferenciadas tanto na questão dos sistemas de informação quanto na infraestrutura tecnológica. Percebeu-se também a Educação à Distância como a área confluída das Tecnologias da Informação e das instituições de ensino diante dos diversos desafios a serem superados nessas universidades.


Palavras-chave


Comissão Própria de Avaliação; Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior; Tecnologia da Informação e Comunicação.

Texto completo:

PDF

Referências


Balbe, R.S. Uso de Tecnologias de Informação e Comunicação na gestão pública: exemplos no governo federal. Revista do

Serviço Público, v.61, n.2, p.189-209, 2014.

Barreyro, G.B.; Rothen, J.C. Para uma história da avaliação da educação superior brasileira: análise dos documentos do PARU,

CNRES, GERES e PAIUB. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), v.13, n.1, p.131-152, 2008. Disponível em: . Acesso em: 2 out. 2019.

Batista, M.A. et al. Avaliação institucional no Ensino Superior: construção de escalas para discentes e docentes. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), v.18, n.1, p.883-999, 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.

php?script=sci_abstract&pid=S1414-0772013000100011&lng=en&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso em: 1 ago. 2019.

Batistti, T.S.; Preto, V.M.; Heinzle, M.R.S. Processos avaliativos na Educação Superior: os planos de ensino em análise. Revista

Ibero-Americana de Estudos em Educação, v.12, n.3, p.1774-1791, 2017.

Bertolin, J.C.G. Indicadores em nível de sistema para avaliar o desenvolvimento e a qualidade da Educação Superior brasileira.

Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, v.12, n.2, p.309-331, 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/aval/

v12n2/a07v12n2.pdf>. Acesso em: 2 out. 2019.

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988. 292p. Disponível em:. Acesso em: 26 jul. 2019.

Brasil. Ministério da Educação. Comissão Especial de Avaliação. Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes):

bases para uma nova proposta de avalição da Educação Superior. Brasília: MEC, 2003. Disponível em:. Acesso em: 26 jul. 2019.

Brasil. Casa Civil. Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – Sinaes

e dá outras providências. Diário Oficial da União, 2004a. Seção 1, n.72, p.3-4. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/

ccivil_03/_ato2004-2006/2004/lei/l10.861.htm>. Acesso em: 26 jul. 2019.

Brasil. Ministério da Educação. Portaria nº 2.051, de 9 de julho de 2004. Procedimentos de avaliação do Sistema nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). Brasília: MEC, 2004b. Disponível em:<http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/PORTARIA_2051.

pdf>. Acesso em: 26 jul. 2019.

Brasil. Presidência da República. Decreto Nº 8.638 de 15 de janeiro de 2016. Institui a Política de Governança Digital no âmbito dos

órgãos e das entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional. Brasília: Casa Civil, 2016. Disponível em:

. Acesso em: 15 fev. 2019.

Brasil. Tribunal de Contas da União. Acordão nº 2699/2018: relatório individual da autoavaliação: levantamento de governança

e gestão públicas. Goiânia: Tribunal Regional do Trabalho 18ª região, 2018. Disponível em: <http://www.trt18.jus.br/portal/

tecnologia/monitoracao/perfil-de-governanca/igovti/>. Acesso em: 15 fev. 2019.

Cunha, L.A. Nova reforma do Ensino Superior: a lógica reconstruída. Cadernos de Pesquisa, n.101, p.20-49, 1997.

Durli, Z. et al. Sistema de autoavaliação de cursos de licenciatura na modalidade de Educação a Distância. Avaliação: Revista

da Avaliação da Educação Superior, v.23, n.2, p.350-371, 2018. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_

arttext&pid=S1414-0772018000200350&lng=en&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso em: 2 out. 2019.

Farias, S.C. Os benefícios das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) no processo de Educação a Distância (EAD).

RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v.11, n.3, p.15-29, 2013. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2019.

Fontana, F.F.; Cordenonsi, A.Z. TDIC como mediadora do processo de ensino-aprendizagem da arquivologia. Ágora: Revista do

Curso de Arquivologia da UFSC, v.25, n.51, p.101-131, 2015.

Frauches, C.C. Sinaes: avanços e desafios na avaliação da educação superior. Brasília: ABMES Editora, 2014. (Cadernos ABMES, 29).

Gil, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior:

Roteiro de Auto-Avaliação Institucional. Brasília: Inep, 2004.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior

(Sinaes). Brasília: Inep, 2011. v.1.

Locatelli, A.; Zoch, A.N.; Trentin, M.A.S. TICs no ensino de química: um recorte do “estado da arte”. Revista Tecnologias na Educação, v.12, n.7, p.1-12, 2015. Disponível em: . Acesso em: 1 nov. 2018.

Maccari, E.A. et al. Proposta de um modelo de gestão de programas de pós-graduação na área de administração a partir dos

sistemas de avaliação do Brasil (Capes) e dos Estados Unidos (AACSB). Revista de Administração, v.49, n.2, p.369-383, 2014.

Morigi, V.J.; Pavan, C. Tecnologias de Informação e Comunicação: novas sociabilidades nas bibliotecas universitárias. Ciência

da Informação, v.33, n.1, p.117-125, 2004.

Oliveira, C.; Moura, S.P. TIC’s na educação: a utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação na aprendizagem do

aluno. Pedagogia em Ação, v.7, n.1, p.75-95, 2015.

Pereira, D.M.; Silva, G.S. As Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) como aliadas para o desenvolvimento. Cadernos de Ciências Sociais Aplicadas, v.10, p.151-174, 2010.

Polidori, M.M. Políticas de avaliação da Educação Superior brasileira. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, v.14, n.2, p.439-452, 2009. Disponível em: . Acesso em: 2 out. 2019.

Ribeiro, A.E. Tecnologia digital. Belo Horizonte: Faculdade de Educação da UFMG, 2014. Disponível em: <http://www.ceale.fae.

ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/tecnologia-digital>. Acesso em: 5 jan. 2019.

Sant’anna, I.M. Por que avaliar? Como avaliar? Critérios e instrumentos. Petrópolis: Vozes, 1995.

Santos, B.S. Os tribunais e as novas Tecnologias de Comunicação e de Informação. Sociologias, v.7, n.13, p.82-109, 2005.

Tellaroli, T.M.; Albino, J.P. Da sociedade da informação às novas TICs: questões sobre internet, jornalismo e comunicação de

massa. In: Fórum da Diversidade e Igualdade: cultura, educação e mídia, 2007, Bauru. Anais [...]. Bauru: Unesp, 2007. p.1-15.

Universidade Federal de Alfenas. Autoavaliação institucional: relatório de avaliação institucional 2016. Alfenas: Unifal, 2016.

Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2018.

Universidade Federal de Itajubá. Avaliação institucional 2015-2016: relatório integral. Itajubá: Unifei, 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2018.

Universidade Federal de Juiz de Fora. Relatório integral de autoavaliação institucional relativo ao triênio 2015 a 2017. Juiz de Fora: UFJF, 2018. Disponível em:. Acesso em: 25 nov. 2018.

Universidade Federal de Lavras. Portaria nº 1.586, de 24 de outubro de 2016. Lavras: UFLA, 2016. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2019.

Universidade Federal de Lavras. Comissão Própria de Avaliação. Relatório de autoavaliação institucional referente ao triênio

-2017. Lavras: UFLA, 2018. Disponível em:. Acesso em: 23 dez. 2018.

Universidade Federal de Minas Gerais. Relatório parcial de autoavaliação institucional referente ao ciclo 2012-2016. Belo Horizonte: UFMG, 2017. Disponível em:. Acesso em: 23 dez. 2018.

Universidade Federal de Ouro Preto. Comissão Própria de Avaliação. 2° relatório parcial de autoavaliação institucional. Ouro

Preto: UFOP, 2017. Disponível em:. Acesso em: 10 jan. 2019.

Universidade Federal de São João Del Rei. Comissão Própria de Avaliação. Relatório de autoavaliação institucional 2017. São João

Del Rey: UFSJ, 2018. Disponível em: <https://ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/cpa-ufsj/Relatorio%20de%20Autoavaliacao%20

Institucional%20UFSJ%202017(2).pdf>. Acesso em: 10 jan. 2019.

Universidade Federal de Uberlândia. Comissão Própria de Avaliação. Relatório de autoavaliação institucional referente ao ciclo (2015-2017). Uberlândia: UFU, 2018. Disponível em: . Acesso em: 26 nov. 2018.

Universidade Federal de Viçosa. Comissão Própria de Avaliação. Relatório autoavaliação institucional V Ciclo: etapa final, 2018.

Viçosa: UFV, 2018. Disponível em: .

Acesso em: 22 dez. 2018.

Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Comissão Própria de Avaliação. Relatório final de autoavaliação institucional 2018.

Uberaba: UFTM, 2018. Disponível em:. Acesso em: 22 dez. 2018.

Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Comissão Própria de Avaliação. Relatório de autoavaliação institucional referente ao ciclo (2015-2017). Diamantina: UFVJM, 2018. Disponível em:<http://media.ufvjm.edu.br/content/uploads/

sites/53/2014/10/Relat%C3%B3rio-de-Autoavalia%C3%A7%C3%A3o-Institucional-2017-12.pdf>. Acesso em: 27 nov. 2018.

Werthein, J. A sociedade da informação e seus desafios. Ciência da Informação, v.29, n.2, p.71-77, 2000.

Zuanelli, E. Digital communication and sites architecture: a semiotic-linguistic approach. Guidelines for Web Design. In: Annual

Conference of the European University Public Relations and Information Officers, 22., 2010, Stresa. Proceedings […]. Stresa:

Euprio, 2010. Available from:. Cited: Dec. 22, 2018.

Zuin, A.A.S. O Plano Nacional de Educação e as Tecnologias da Informação e Comunicação. Educação e Sociedade, v.31, n.112,

p.961-980, 2010.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v24n3a4499

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.