Concepções de linguagem e ensino nos Cadernos do Professor do Estado de São Paulo | Conceptions of language and teaching in the Teacher’s Notebooks of the State of São Paulo

Rita de Cássia Antonia Nespoli Ramos

Resumo


No período de 2008 a 2014, a experiência que se teve com alunos de sexta série/sétimo ano em escolas estaduais propiciou a verificação de que, com base nas concepções de linguagem adotadas em determinado enunciado, é possível refletir sobre os lugares sociais atribuídos a alunos e a professores, no ambiente escolar. Essa reflexão motivou a escrita deste artigo que procura descrever qual é a concepção de linguagem e de ensino que emerge de materiais didáticos de Língua Portuguesa. A partir da descrição, buscou-se analisar, pelo modo de dizer, como certos materiais didáticos cristalizam simulacros sobre os docentes e os discentes nas instituições de ensino. Para tanto, recortou-se dos “Cadernos da Secretaria do Estado de São Paulo” o momento em que o autor se dirige ao professor para apresentar o conceito do gênero “narrativa” e do gênero “relato”. Para a análise, escolheram-se comosuporte teórico os estudos dialógicos do discurso, pois, nessa perspectiva teórica, não há enunciados neutros, mas essencialmente responsivos, nos quais, por sua vez, pressupõe-se uma tomada de posição. Aplicam-se, então, os conhecimentos dialógicos para descrever as vozes com as quais o Caderno do Professor dialoga e entender os papéis educacionais colocados em jogo no processo de ensino‑aprendizagem. Como resultados, entendeu-se que, apesar de se colocar em jogo concepções de linguagem e de ensino incompatíveis, não há quebra da legitimação no Caderno do Professor, pois elas se fundamentam na mobilização de dois discursos reconhecidos na sociedade. Além disso, refletiu-se que, para o professor não se submeter à imagem de mero reprodutor de atividades de ensino, é preciso que o docente e todos os agentes escolares envolvidos no ensino-aprendizagem entendam os Cadernos do Professor do modo como vêm intitulado: “Material de apoio”.


Palavras-chave


Concepções de linguagem; Ensino de Língua Portuguesa; Material didático;

Texto completo:

PDF

Referências


Bakhtin, M. Estética da criação verbal. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

Bakhtin, M. Marxismo e filosofia da linguagem. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2006. p.32-128.

Bakhtin, M. Problemas da poética de Dostoiévski. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2015.

Brait, B. Análise e teoria do discurso. In: Brait, B. (Org.). Bakhtin: outros conceitos-chave. São Paulo: Editora Contexto, 2008. p.9-31.

Cardoso, S.H.B. A questão da referência: das teorias clássicas à dispersão de discursos. Campinas: Autores Associados, 2003. p.22-107.

Faraco, C.A. Linguagem e diálogo: as ideias linguísticas do círculo de Bakhtin. Curitiba: Criar Edições, 2003.

Geraldi, J.W. Portos de passagem. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997. p.20-220.

Geraldi, J.W. Concepções de linguagem e ensino de Português. In: Geraldi, J.W. (Org.). O texto na sala de aula. 4. ed. São Paulo: Ática, 2006. p.39-46.

São Paulo (Estado). Secretaria da Educação. Material de apoio ao Currículo do Estado de São Paulo: Caderno do Professor: Língua Portuguesa: Ensino Fundamental, anos finais, 6º anos/7ª série. São Paulo: Secretaria da Educação, 2014. v.1, p.4-35.

Travaglia, L.C. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de gramática no 1º e 2º graus. 6. ed. São Paulo: Editora Cortez, 2001. p.21-22.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v24n2a4316

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.