O reconhecimento intersubjetivo como impulsionador de responsabilidade pela alteridade em casos de conflitos na escola | Intersubjective recognition used to boost the responsibility for otherness in cases of conflicts in schools

Grasiela Cristine Celich Dani, Lúcia Salete Celich Dani, Maria Teresa Ceron Trevisol

Resumo


O artigo enfatiza a concepção de que quando há conflitos na escola, que envolvam a alteridade de seus integrantes, o reconhecimento intersubjetivo deve ser utilizado como possível encaminhamento. As bases empíricas desse texto são três pesquisas: a primeira, utilizando uma metodologia interativa, com uma amostra de 86 alunos do Ensino Médio de uma escola pública da região central do estado do Rio Grande do Sul e, um questionário, na coleta de dados. A segunda, de metodologia qualitativa, com amostra de 366 estudantes do ensino fundamental, de uma escola pública localizada na periferia da cidade de Santa Maria, Rio Grande do Sul. A coleta de dados se deu por meio de textos, desenhos, entrevistas. A terceira, de natureza quantiqualitativa, com uma amostra de 235 alunos do ensino fundamental, procedentes de duas escolas públicas, uma do Brasil, da região oeste catarinense e outra de Portugal, do Minho. Na coleta de dados utilizou-se um questionário. A análise efetuada permite afirmar que o reconhecimento será solicitado quando houver a necessidade de restaurar a relação social que foi abalada por causa do conflito (primeira e segunda pesquisa) ou do bullying (terceira pesquisa). Expõe-se isso, pois a construção da identidade pessoal de todo sujeito relaciona-se à pressuposição de reconhecimento por parte dos outros, afinal, toda relação intersubjetiva permite que os indivíduos, de modo recíproco, possam se experienciar um no outro, conforme a identidade que se reconhecem para si mesmos.

Palavras-chave


Alteridade. Conflito escolar. Ensino Fundamental. Ensino Médio. Intersubjetividade.

Texto completo:

PDF

Referências


Avilés, J.M. Bullying: el maltrato entre iguales, agresores, víctimas y testigos en la escuela. Salamanca: Amarú, 2006.

Celich, G.C. Os conflitos homofóbicos na escola e a teoria do reconhecimento. Campinas: Mercado de Letras, 2015.

Fante, C.; Pedra, J. A. Bullying escolar: perguntas e respostas. Porto Alegre: Artmed, 2008.

Hegel, G.W.F. Fenomenologia do espírito. 5.ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

Hegel, G.W.F. Enciclopédia das ciências filosóficas: a filosofia do espírito. 2.ed. São Paulo: Loyola, 2011.

Honneth, A. Crítica del agravio moral: patologias de la sociedade contemporánea. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2009a.

Honneth, A. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos socais. 2.ed. São Paulo: Editora 34, 2009b.

Melim, F.; Pereira, M.B.F.L.O. A influência da Educação Física no bullying escolar: a solução ou parte do problema? Revista Ibero-americana de Educação, v.67, n.1, p.65-84, 2015. Disponível em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

Puig, J.M. A construção da personalidade moral. São Paulo: Ática, 1998.

Rolim, M. Bullying: o pesadelo da escola, um estudo de caso e notas sobre o que fazer. Porto Alegre: Porto, 2008.

Sastre, G.; Moreno, M. Resolução de conflitos e aprendizagem emocional: gênero e transversalidade. São Paulo: Moderna, 2002.

Tognetta, L.R.P.; Vinha, T.P. Até quando? Bullying na escola que prega a inclusão social. Educação, v.35, n.3, p.449-464, 2010.

Tognetta, L.R.P.; Vinha, T.P. Apresentação. In: Tognetta, L.R.P.; Vinha, T.P. (Org.). Conflitos na instituição educativa: perigo ou oportunidade? contribuições da Psicologia. Campinas: Mercado de Letras, 2011. (Coleção Educação e Psicologia em Debate).

Trevisol, M.T.C. et al. Bullying na escola: compreensão de alunos portugueses e brasileiros. Joaçaba: UNOESC, 2017. Relatório de Pesquisa.

Vinyamata, E. Compreender o conflito e agir educativamente. In: Vinyamata, E. (Org.). Aprender a partir do conflito: conflitologia e educação. Porto Alegre: Artmed, 2005.

Werle, D.L.; Melo, R.S. Reconhecimento e justiça na teoria crítica da sociedade em Axel Honneth. In: Nobre, M. (Org.). Curso livre de teoria crítica. 2.ed. São Paulo: Papirus, 2008.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v24n1a4230

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.