As políticas de expansão da Educação Superior do Governo Lula da Silva (2003‑2010) | Policies of Higher Education Expansion in Lula da Silva Administration (2003-2010)

Suely Ferreira

Resumo


Lula da Silva assumiu o governo com um discurso de promover um modelo alternativo de desenvolvimento, conciliando crescimento econômico com redução das desigualdades sociais. Defendeu um amplo pacto  social entre as diversas classes sociais concedendo benefícios para os grandes grupos econômicos e  implantando políticas sociais para os setores populares. Nesse cenário, o artigo discute as contradições e as opções das políticas de expansão da Educação Superior que foram implantados tanto para a rede federal como para rede privada e privada-mercantil nos dois mandatos (2003‑2010). O trabalho utilizou-se da análise teórica, bibliográfica e documental. Apesar da forte expansão da rede federal, persistiu a hegemonia da rede privada e privada-mercantil na concentração de instituições e de matriculas. As políticas de  redistribuição de renda, dentre elas, as políticas de expansão, acesso e permanência nesse nível de Ensino para permitirem uma transformação social significativa necessitam ser universais e de longo prazo.


Palavras-chave


Expansão do Ensino Superior. Governo Lula da Silva. Política de Inclusão Social. Políticas Públicas em Educação. Projeto de desenvolvimento econômico-social.

Texto completo:

PDF

Referências


Alves, G. Notas sobre o golpe de 2016 no Brasil neodesenvolvimentismo ou crônica de uma morte anunciada. In: Lucena, C.; Previtali, F.S.; Lucena, L. (Org.). A crise da democracia brasileira. Uberlândia: Navegando Publicações, 2017. p.129.

Amaral, N.C. Expansão-avaliação-financiamento: tensões e desafios da vinculação na educação superior brasileira. In: Mancebo, D. et al. (Org.). Reformas da educação superior: cenários passados e contradições do presente. São Paulo: Xamã, 2009. p.113-146.

Bastos, P.P.Z. A economia política do novo-desenvolvimentismo e do social desenvolvimentismo. Economia e Sociedade, v.21, p.779-810, 2012. Número especial.

Brasil. Ministério da Educação. Censo da Educação Superior 2016: divulgação. Brasília: INEP, 2017. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2017.

Carneiro, R.M. Velhos e novos desenvolvimentismos. Economia e Sociedade, v.21, p.749-778, 2012. Número Especial.

Carvalho, C.H.A. Política para a educação superior no governo Lula: expansão e financiamento. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n.58, p.209-244, 2014.

Castelo, R. O social-liberalismo e a miséria ideológica da economia do Bem-Estar. In: Mota, A.E. (Org.). Desenvolvimentismo e construção da hegemonia: crescimento econômico e reprodução da desigualdade. São Paulo: Cortez, 2012. p.46-77.

Coligação Lula Presidente. Programa de governo 2002: um Brasil para todos. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2002. Disponível em: . Acesso em: 23 dez. 2016.

Concepção e diretrizes do programa de governo do PT para o Brasil. São Paulo, Diretório Nacional do PT, 2002. Disponível em: . Acesso em: 23 dez. 2016.

Fávero, A.A.; Bechi, D. O financiamento da educação superior no limiar do século XXI: o caminho da mercantilização da educação. Revista Internacional de Educação Superior, v.3, n.1, p.90-113, 2017.

Figueiras, L. et al. Modelo liberal-periférico e bloco de poder: política e dinâmica macroeconômica nos governos Lula. In: Magalhães, J.P.A. et al. Os anos Lula: contribuições para um balanço crítico 2003-2010. Rio de Janeiro: Garamond, 2010. p.35-69.

Magalhães, J.A. Estratégias e modelos de desenvolvimento. In: Magalhães, J.P.A. et al. Os anos Lula: contribuições para um balanço crítico 2003-2010. Rio de Janeiro: Garamond, 2010. p.19-34.

Marques, W. Expansão e oligopolização da educação superior no Brasil. Avaliação, v.18, n.1, p.69-83, 2013.

Oreiro, J.L.C. Novo desenvolvimentismo, crescimento econômico e regimes de política macroeconômica. Estudos avançados, v.26, n.75, p.29-40, 2012. Disponível em: . Acesso em 20 fev. 2017.

Passarinho, P. Apresentação. In: Magalhães, J.P.A. et al. Os anos Lula: contribuições para um balanço crítico 2003-2010. Rio de Janeiro: Garamond, 2010. p.1-17.

Pires, M.C.; Dib, L.J. O Brasil e o novo desenvolvimentismo. Economia e Políticas Públicas, v.1, n.1, p.49-65, 2013.

Schlesener, A.H.; Pereira, M.F.R. Expansão do Ensino Superior: notas sobre seus limites e possibilidades sociais. Revista Internacional de Educação Superior, v.2, n.3, p.518-531, 2016.

Sguissardi, V. Regulação estatal e desafios da expansão mercantil da educação superior. Educação e Sociedade, v.34, n.124, p.943-960, 2013.

Sguissardi, V. Estudo diagnóstico da política de expansão da (e acesso à) Educação Superior no Brasil 2002-2012. Brasília: MEC, 2014. Edital n°051/2014 SESU, Projeto OEI/BRA/10/002, 2014. Mimeografado, p.12-104.

Sguissardi, V. Educação superior no Brasil: democratização ou massificação mercantil? Educação e Sociedade, v.36, n.133, p.867-889, 2015.

Sicsú, J.; Paula, L.F.; Michel, R. Por que novo desenvolvimentismo? Revista de Economia Política, v.27, n.4, p.507-524, 2007. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2017.

Silva, L.I.L. Carta ao povo Brasileiro. [S.l.]: Fundação Perseu Abramo, 2002. Disponível em: . Acesso em: 9 fev. 2017.

Singer, A. Os sentidos do lulismo: reforma gradual e pacto conservador. São Paulo: Campanhia das Letras, 2012.

Soares, L.T. Apresentação: o papel da rede federal na expansão e na reestruturação da educação superior pública no Brasil. Cadernos do GEA, n.3, p.5-7, 2013. Disponível em: . Acesso em: 2 fev. 2017.

Traina‐Chacon, J.M.; Calderón, A.I. A expansão da educação superior privada no Brasil: do governo de FHC ao governo de Lula. Revista Iberoamericana de Educación Superior (RIES), v.6, n.17, p.78‐100, 2014. Disponível em: . Acesso em: 6 ago. 2018.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v24n2a4124

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.