A escola igualitária: sonho ou falácia?

Dília Maria Andrade Glória

Resumo


A escola brasileira respaldada pelo ideá rio liberal apregoa o princípio da igualdade de oportunidades educacionais, segundo o qual a todos são dados as mesmas chances de ingresso à escola, cabendo a cada um aproveitá-Ia, de acordo com o seu mérito, vocação, capacidade, motivação, etc.. Analisa-se, então, o discurso igualitário da escola na perspectiva da Sociologia da Educação e discute-se as desigualdades educacionais concretizadas socio-historicamente no fracasso
escolar e na exclusão de muitos, mediante, sobretudo, as reprovações escolares. Defende-se o argumento de que embora a escola não apresente as mesmas condições de escolarização e de sucesso escolar para todos, pode-se e deve-se buscar alternativas que reduzam, de fato, as
desigualdades educacionais. O estudo chama a atenção para o fato de que a reprodução das desigualdades parece persistir mesmo após a implantação da proposta político-pedagógica de
não-retenção escolar.
Palavras-chave: Desigualdades Educacionais; Sucesso Escolar; Não Retenção Escolar.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.