Discursos coletivos sobre inovação curricular na formação inicial de professores / Collective speeches about curricular innovation in initial teacher training

Elize Keller-Franco

Resumo


O presente estudo objetivou captar, a partir da visão dos alunos participantes de uma proposta curricular alternativa em cursos de Licenciatura, o modo como está sendo construído o seu processo formativo e os pontos diferenciais da proposta em andamento, na medida em que se considera que são os envolvidos que põem à mostra o movimento real da mudança. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, que empregou como instrumento de coleta de dados os grupos de discussão. Como método de análise, foi utilizado o Discurso do Sujeito Coletivo. Os resultados evidenciaram que a proposta pedagógica em questão visa à constituição de um profissional crítico, com postura propositiva frente aos desafios da educação brasileira, mediante uma proposta curricular emancipatória que abre espaço para a autonomia e o protagonismo dos alunos. O currículo rompe com a estrutura disciplinar, encaminhando-se para uma abordagem integrada. Os alunos apresentaram uma visão crítica do projeto, apontando problemas e conflitos gerados em seu andamento, bem como as mudanças em movimento.

Palavras-chave: Formação inicial de professores. Inovação curricular. Licenciatura.


Palavras-chave


Formação inicial de professores. Inovação curricular. Licenciatura.

Texto completo:

PDF

Referências


André, M.E.D.A. A pesquisa sobre formação de professores: contribuições à delimitação de campo In: Dalben, A. et al. (Org.). Convergências e tensões no campo da formação docente: didática, formação de professores e trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p.273-287.

Ayres, A.C.M. As tensões entre a licenciatura e o bacharelado: a formação dos professores de Biologia como território contestado. In: Maradino, M. et al. (Org.). Ensino de Biologia: conhecimentos e valores em disputa. Niterói: Eduff, 2005. p.182-197.

Bernstein, B. Estruturação do discurso pedagógico: classe, códigos e controle. Petrópolis: Vozes, 1995.

Diniz-Pereira, J.E. Paradigmas contemporâneos da formação docente. In: Souza, J.V.A. (Org.). Formação de professores para a educação básica: dez anos de LDB. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

Diniz-Pereira, J.E.; Amaral, F. Convergências e tensões nas pesquisas e nos debates sobre as licenciaturas no Brasil. In: Dalben, A. et al. (Org.). Convergências e tensões no campo da formação docente: didática, formação de professores e trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p.527-550.

Dowbor, L. Educação e desenvolvimento local. [S.l.]: Ladislau Dowbor, 2006. Disponível em: . Acesso em: 18 ago. 2015.

Freire, P. À sombra desta mangueira. São Paulo: Olho D`água, 1995.

García, C.M. Formação de professores para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

Gatti, A.B. Licenciaturas: crise sem mudança? In: Dalben, A. et al. (Org.). Convergências e tensões no campo da formação docente: didática, formação de professores e trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p.485-508.

Gatti, A.B.; Nunes, M.R.N. (Org.). Formação de professores para o ensino fundamental: estudo dos currículos das licenciaturas em Pedagogia, Língua Portuguesa, Matemática e Ciências Biológicas. São Paulo: FGV, 2009. (Textos FCC, v.29).

Gatti, A.B. A formação inicial de professores para a educação básica: as licenciaturas. Revista USP, n.100, p.33-46, 2014.

Keller-Franco, E. Inovação na Educação Superior: o currículo por projetos. In: Masetto, M.T. Inovação no ensino superior. São Paulo: Edições Loyola, 2012. p.67-88. Lefèvre, F; Lefèvre, A.M.C. O discurso do sujeito coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa. Caxias do Sul: EDUCS, 2003.

Lefèvre, F; Lefèvre, A.M.C. O sujeito coletivo que fala. Interface: Comunicacão, Saúde, Educação, v.10, n.20, p.517-524, 2006.

Pimenta, S.G.; Lima, M.S.L. Estágio e docência. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

Lopes, A.C.; Macedo, E. Teorias de currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

Moreira, A.F.B. Currículos e programas no Brasil. Campinas: Papiros, 1990.

Nono, M.A. Professores iniciantes: o papel da escola em sua formação. São Paulo: Editora Mediação, 2011.

Sacristán, J.G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

Santomé, J.T. Globalização e interdisciplinaridade: o currículo integrado. Porto Alegre: Artes Médicas,1998.

Saviani, D. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, v.14, n.40, p.143-155, 2009.

Tardif, M. Saberes docentes e formação profissional. 12.ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

Teitelbaum, K. Recuperando a memória coletiva: os passados da educação crítica. In: Apple, M.; Au, W.; Gandim, L.A.

Educação crítica: análise internacional. Porto Alegre: Artmed, 2011. p.359-364.

Universidade Federal do Paraná. Projeto Político Pedagógico da UFPR Litoral. Matinhos: UFPR, 2008.

Weller, V. Grupos de discussão na pesquisa com adolescentes e jovens: aportes teórico-metodológicos e análise de uma experiência com o método. Educação e Pesquisa, v.32, n.2, p.241-260, 2006.

Weller, V.; Pfaff, N. (Org.). Metodologias da pesquisa qualitativa em educação: teoria e prática. Petrópolis, Vozes, 2010.

Zabalza, M.A. O ensino universitário: seu cenário e seus protagonistas. Porto Alegre: Artmed, 2004.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v22n3a3540

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.