O debate contemporâneo do antirracismo: implicações teóricas e políticas para a educação

Ana Cristina Juvenal da Cruz

Resumo


aEste artigo toma como referência os debates contemporâneos acerca de políticas e práticas denominadas antirracistas, com o intuito de debater as configurações em torno das formas de combate ao racismo nas sociedades contemporâneas. De forma específica, a análise centra-se no contexto brasileiro, discutindo a adoção de medidas específicas na área da educação, com a finalidade de dirimir os efeitos do racismo no ambiente escolar. Partindo de uma perspectiva comparativa, o estudo examina o debate transnacional a respeito da diáspora negra e políticas educacionais. Debruça-se sobre o percurso teórico acerca do antirracismo e das interpretações contemporâneas do racismo e dos processos de racialização, a partir de pensadores cujas obras estão situadas nos estudos pós-coloniais, estudos culturais e estudos subalternos. A proposta visa articular essa análise ao debate local acerca das medidas destinadas a combater as discriminações étnicas e raciais no espaço escolar. Com esse escopo pretende-se apresentar um histórico da educação brasileira, cuja função esteve a serviço de um modo de racialização das relações sociais. Por fim, analisam-se as políticas contemporâneas adotadas no Brasil e os desdobramentos teóricos e políticos no combate ao racismo no espaço escolar.

Palavras-chave: Antirracismo. Educação escolar. Racialização.

 


Palavras-chave


Antirracismo; Educação escolar; Racialização

Texto completo:

PDF

Referências


Appiah, K.A. Na casa de meu pai: a África na Filosofia da Cultura. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

Banton, M. A ideia de raça. Lisboa: Edições 70, 2010. (Perspectivas do Homem).

Barros, S.A.P. Negrinhos que por ahi andão: escolariazação da população negra em São Paulo (1870-1920). Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

Benbassa, E. (Org.). Dictionaire des racismes, de l’exclusion et des discriminations. Paris: Larousse, 2010. (Collection A present).

BéneÏ, V. Nations, diaspora et area studies: L’Asie du Sud, de la Grande-Bretagne aux États-Unis. L’homme, n.156, p.131-160, 2000.

Brah, A. Cartografías de la diáspora: identidades en cuestión. Madrid: Traficantes de Sueños, 2011.

Cabecinhas, R.E; Amâncio, L. Dominação e exclusão: representações sociais sobre minorias raciais e étnicas. In: Ateliers Congresso Português de Sociologia, Sociedades Contemporâneas: Reflexividade e Acção. 5., 2004, Braga. Actais... Braga: Universidade do Minho, 2004.

Costa, S. Dois atlânticos: teoria social, anti-racismo, cosmopolitismo. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

Cruz, A.C.J. Antirracismo e educação: uma análise das diretrizes normativas da Unesco. Tese (Doutorado em Educação) - Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014.

Davila, J. Diploma de brancura: política social e racial no Brasil, 1917-1945. São Paulo: Unesp, 2006.

Dufoix, S. La Dispersion: une histoire des usages du mot diaspora. Paris: Édition Amsterdam, 2011.

Fassin, D.; Fassin, E. De la question sociale à la questions raciale: représenter la société française. Paris: Édition La Découverte, 2009.

Fonseca. A educação dos negros: uma nova face do processo de abolição da escravidão no Brasil. Bragança Paulista: EDUSF; 2002.

Gilroy, P. O Atlântico negro: modernidade e dupla consciência. Rio de Janeiro: Editora 34, 2001.

Guimarães, A.S.A. Racismo e antirracismo no Brasil. 2. ed.

rev. São Paulo: FUSP, 2005.

Gonçalves, L.A; Silva, P.B.G. O jogo das diferenças: o multiculturalismo e seus contextos. Belo Horizonte: Autêntica, 1998.

Hall, S. A relevância de Gramsci para o estudo de raça e etnicidade. In: Sovik, L. (Org.). Da diáspora identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2009. p.216-316.

Hall, S. Race: The floating signifier. Northampton, MA: Media Education Fundation, 1997.

Hasenbalg, C.; Silva, N.V. Educação e diferenças raciais na mobilidade ocupacional. In: Hasenbalg, C.; Silva, N.V. (Org.).Cor e estratificação social. Rio de Janeiro: Contracapa, 1999.

Henriques, R. (Org.). Desigualdade racial e pobreza no Brasil. Rio de Janeiro: Ipea, 2000.

Ledoyen, A. le racisme des définitions aux solutions: un même paradoxe. Commission des droits de la personne et des droits de la jeunesse. Quebec: Comission dis Draits de la Personne et des Draits de la Jeunesse, 1998.

Lentin, A. After anti-racism? European Journal of Cultural Studies, n.11, p.311-331, 2008.

Maggie, Y. Uma Nova Pedagogia Racial? Revista de Antropologia da USP, 2006, v.68, n.22, p.112-129, 2006.

Maio, M.C. O Brasil no concerto das nações: a luta contra o racismo nos primórdios da Unesco, História, Ciência, Saúde Manguinhos, v.5, n.2, p.357-413, 1998.

Mansfield, E.; Kehoe, J. A critical examination of anti-racist education. Canadian Journal of Education, v.19, n.4, p.418-430,1994.

Mbembe, A. La Republique et l’impensé de la ‘race’. In: Blanchard, P. Ruptures postcoloniales. Les nouveaux visages de la société française. Paris: La Découverte; Cahiers Libres, 2010. p.196-216.

Mignolo, W.D. La Idea de América Latina: la herida colonial y la opción deocolonial. Barcelona: Gedisa Editorial, 2007.

Muller, M.L.R. Professoras negras no Rio de Janeiro: história de um branqueamento. In: Oliveira, I. (Org.). Relações raciais e educação: novos desafios. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. (Coleção Líticas da Cor).

Munanga, K. Fundamentos antropológicos e históricojurídicos das políticas de universalização e de diversidade nos sistemas educacionais do mundo contemporâneo. In: Silvério; V. Moehlecke, S. Ações afirmativas nas políticas educacionais: o contexto pós-Durban. São Carlos: EdUFSCar, 2009.

Ndiaye, P. La condition noire: essai sur une minorité française. Paris: Éditions Calmann-Lévy, 2008.

Organização das Nações Unidas. Reconhecimento: o direito à igualdade e à não discriminação. Rio de Janeiro: Centro de Informação das Nações Unidas, 2015. Disponível em: . Acesso em: 30 set. 2016.

Paixão, M.J.P. A lenda da modernidade encantada: por uma crítica ao pensamento social brasileiro sobre relações raciais e projeto de Estado-nação. Curitiba: CRV, 2014.

Romão, J. (Org.). História da educação do negro e outras histórias. Brasília: Mec, 2005.

Sansone, L. Negritude sem etnicidade: o local e o global nas relações raciais e na produção cultural negra no Brasil. Salvador: EdUFBA, 2007.

Silvério, V.R. Raça e racismo na virada do milênio: os novos contornos da racialização. Tese (Doutorado em Sociologia) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1999.

Shohat, E.; Stam, R. Crítica da imagem eurocêntrica. Sao Paulo: Cosaic Naify, 2007.

Soares, C.G., Raça, classe e cidadania: a trajetória do debate racial no Partido dos Trabalhadores (1980-2003). Tese (Doutorado em Sociologia) - Instituto de Filosofia e CiênciasHumanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

Taguieff, P.A. Le racisme. Cahier du CEVIPOF, n.20, p.132, 1998.

Taguieff, P.A. Réflexions sur la question antiraciste. Mots, n.18. p.75-93, 1989.

Taylor, C. Multiculturalismo: examinando a política de reconhecimento. Lisboa: Instituto Piaget, [1998] 2006. (Coleção Epistemologia e Sociedade).

Van Dijk, T.A. Le racisme dans le discours des élites. Multitudes, n.23, 2004, p.41-52.

Vervotec, S. The politicam importance of diasporas. Migration Information Source, n.13, p.1-11, 2005.

West, C. Questão de raça. São Paulo: Companhia das Letras,1994.

Wieviorka, M. O racismo uma introdução. São Paulo: Perspectiva, 2007




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v21n3a3443

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.