Educação parental na transição e adaptação das crianças portuguesas da pré-escola ao 1º Ciclo do Ensino Básico / Parental education and transition & adaptation of children from preschool to elementar school in Portugal

Ernesto Candeias Martins, Susana Isabel Bartolo Martins

Resumo


A educação parental é um recurso psicoeducativo, relacional e comunicacional na adaptação escolar. A entrada das crianças no ensino básico, provenientes da pré-escola (transição), é um momento de mudanças para elas e para os pais. A literatura, em geral, refere como fatores essenciais para o sucesso dessa adaptação escolar: o contexto; a família; a escola; a etnia, a cultura e linguagem; as características pessoais da criança. O estudo realizou-se em 2014, numa turma (N= 24 alunos) de uma escola urbana portuguesa (Escola Básica Cidade de Castelo Branco), de forma integrada com o Projeto de Inteligência Emocional em contexto escolar. A pesquisa apresenta uma metodologia mista (quantitativa e qualitativa), com o objetivo de interpretar a relação dos comportamentos interativos e comunicativos dos pais e a adaptação dos filhos ao 1º ano da escolaridade obrigatória. As técnicas de recolha de dados foram: observação participante, escala de percepção sobre competências parentais, entrevista semiestruturada com os pais (N=18) e notas de campo. Realizou-se uma triangulação de dados, de base categorial e estatística, que confirmou a boa comunicação entre pais e filhos, na medida em que aqueles recorrem frequentemente ao diálogo com a escola para abordar situações de aprendizagem e comportamento. Os pais revelaram estar ‘presentes’ e preocupados com a prática de atividades dos filhos e com a adaptação ou integração escolar, insistindo no cumprimento das regras de convivência, disciplina, postura em sala de aula, concentração e atenção.

Palavras-chave: Adaptação escolar. Competência parental. Educação parental. Ensino fundamental. Interação comunicativa.


Palavras-chave


Adaptação escolar; Competência parental; Educação parental; Ensino fundamental; Interação comunicativa

Texto completo:

PDF

Referências


Alarcão, M. (Des)equilíbrios familiares. 2. ed. Coimbra: Quarteto, 2002. p.230.

Almeida, A. et al. Parent education interventions: Results from a national study in Portugal. European Journal of Developmental Psychology, v.9, n.1, p.1-15, 2012.

Arranz, E.E. et al. Análisis de los problemas y necesidades educativas de las nuevas estructuras familiares. Intervención Psicosocial, v.19 n.3, p.243-251, 2010.

Bardin, L. Análise de conteúdo. 4. ed. Lisboa: Edições 70, 2011. p.213.

Bogdan, R.; Biklen, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994. p.319.

Carmo, P.; Alvarenga, P. Práticas coercitivas de mães de diferentes níveis socioeconômicos. Estudos de Psicologia, v.17, n.2, p.191-197, 2012.

Chao, M. Family interaction relationship types and differences in parent-child interactions. Social Behavior and Personality, v.39, n.7, p.897-914, 2011.

Correia, K.; Marques Pinto, A. Fatores de stress e adaptação na transição do pré-escolar para o início da escolaridade. In: Marques Pinto, A.; Picado, L. (Coord.). Adaptação e bemestar nas escolas Portuguesas: dos alunos aos professores. Lisboa: Coisas de Ler, 2001. p.31-53.

Cruz, O. Parentalidade. Coimbra: Quarteto, 2005. p.374.

Cruz, O. et al. Parenting scales: Contributions to the factorialvalidity of the Portuguese version. Ridep, v.1 n.31, p.157-176, 2011.

Darling, N.; Steinberg, L. Parenting style as context: An integrative model. Psychological Bulletin, v.113, n.3, p.487- 496, 1993.

Delgado-Martins, E. Um programa de educação parental. Tese (Doutorado) - Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2008.

Homem, M.L. O jardim de infância e a família. Lisboa: IIE, 2002.

Kline, R.B. Principles and practice of structural equation modeling. 2nd ed. New York: Guilford, 2005. p.276.

Marques, A. Crenças parentais sobre a punição física e a identificação dos problemas comportamentais e de

adaptação psicossocial das crianças em idade pré-escolar. 2010. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade de Coimbra, Coimbra, 2010.

Martín, J.C. et al. La escala de competências e resiliência parental para madres y padres en contexto de riesgo psicossocial. Anales de Psicología, v.29, n.3, p.886-896, 2013.

Martín, C. et al. Programas de educación parental. Intervención Psicosocial, v.18 n.2, p.121-133, 2009.

Pereira, A.I. Crescer em relação: estilos parentais educativos, apoio social e ajustamento: estudo longitudinal com crianças em idade escolar. 2007. Tese (Doutorado) - Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade de Coimbra, Coimbra, 2007.

Popkin, M.H. Active parenting now. Atlanta: Active Parenting, 2003.

Portugal, G. Desenvolvimento e aprendizagem na infância. In: Conselho Nacional da Educação. A educação das crianças dos 0 aos 12 anos. Lisboa: Conselho Nacional de Educação, 2008. p.33-67.

Relvas, A. O ciclo vital da família. Perspetiva sistêmica. 2. ed. Porto: Edições Afrontamento, 2000, p.286.

Rimm-Kaufman, S.E.; Pianta, R.C. An ecological perspective on the transition to the kindergarten: A theoretical framework to guide empirical research. Journal of Applied Developmental Psychology, v.21, n.5, p.491-511, 2000.

Rodrigo, M.J. et al. Manual práctico de parentalidade positiva. Madrid: Síntesis, 2015.

Roldão, M.C. Desenvolvimento e aprendizagem na infância. In: Conselho Nacional da Educação. A educação das crianças dos 0 aos 12 anos. Lisboa: Conselho Nacional de Educação, 2008. p.176-197.

Simões, S. Influencia dos estilos educativos parentais na qualidade da vinculação de crianças em idade escolar em diferentes tipos de família. 2011. Tese (Doutorado) - Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, Universidade do Porto, Porto 2011.

Sim-Sim, I. “Pontes, desníveis e sustos na transição entre a educação pré-escolar e o 1º ciclo da educação básica”. Exedra, v.9, p.111-118, 2010.

Topham, G. et al. Parenting styles, parental response to child emotion and family emotional responsiveness are related to child emotional. Appetite, v.56, n.2, p.261-264, 2011.

Weber, L. et al. Identificação de estilos parentais: o ponto de vista dos pais e dos filhos. Psicologia: Reflexão e Crítica, v.17 n.3, p.323-331, 2004.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v22n1a3300

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.