Educação de bebês: entre a linearidade e a narrativa

Iury Lara Alves, Daniela Barros da Silva Freire Andrade

Resumo


Este texto propõe discutir a dimensão curricular para a educação de bebês no contexto da Educação Infantil. Para tanto, os referenciais teóricos utilizados foram os das discussões referentes à abordagem ontogenética das representações sociais em diálogo com a perspectiva da Teoria Histórico-Cultural. Ao assumir tal perspectiva, o artigo examina diferentes significações sobre criança e identifica prescrições relativas às práticas educativas destinadas aos bebês. Por meio da análise de um episódio ilustrativo da atividade de um bebê no contexto do berçário, discute-se o valor da narratividade para o desenvolvimento infantil, tomando-a como elemento orientador para se pensar o currículo para a Educação de bebês. Os resultados indicaram, primeiramente, a necessidade de uma construção pedagógica e social do ato educativo destinado à criança pequena; em segundo lugar, pautando-se em reflexões advindas a partir do episódio selecionado, busca-se sugerir uma possibilidade de se pensar o currículo como narração, de modo a atender essa especificidade educacional, uma vez que o grupo de informantes consultados, nesse caso, os bebês, se apresentou de forma potente, ativa e inventiva nas suas relações com os adultos, seus pares e o espaço do berçário.

Palavras-chave: Currículo. Educação de bebês. Narrativa.


Palavras-chave


Currículo; Educação de bebês; Narrativa

Texto completo:

PDF

Referências


Abric, J.C. A abordagem estrutural das representações sociais. In: Moreira, A.S.P.; Oliveira, D.C. (Org.). Estudos interdisciplinares de representação social. Goiânia: AB, 1998. p.27-38.

Alves, I.L. Bebês, por entre vivências, afordâncias e territorialidades infantis: de como o berçário se transforma em lugar. 2013. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2013.

Andrade, D.B.S.F. A criança na educação infantil: por entre Emílias e Chapeuzinhos. Revista de Educação Pública, v.16,

n.31, p.97-104, 2007a.

Andrade, D.B.S.F. O lugar feminino na escola: um estudo em representações sociais. Cuiabá: UFMT, 2007b.

Andrade, D.B.S.F.; Haddad, L.; Cordeiro, M.H. A criança nas entrelinhas dos discursos de acadêmicos brasileiros sobre

professor da educação infantil. In: Conferência Internacional sobre Representações Sociais,11., 2012, Évora. Anais... Évora: Universidade de Évora, 2012.

Ariès, P. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

Castorina, J.A.; Kaplan, C.V. Las representaciones sociales: problemas teóricos y desafíos educativos. In: Castorina,

J.A. (Org.). Representaciones sociales: problemas teóricos y conocimientos infantiles. Barcelona: Gedisa, 2003. p.9-27.

Cavallari, S. Representações sociais sobre o aprender do bebê, segundo acadêmicos de pedagogia da UFMT. 2012.

Dissertação (Mestrado) - Instituto de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2012.

Chombart De Lauwe, M.J. Um outro mundo: a infância. São Paulo: Perspectiva, 1991. (Coleção Estudos, v.105).

Goodson, I.F. As políticas de currículo e de escolarização. Petrópolis: Vozes, 2008.

Jodelet, D. As representações sociais um domínio em expansão. In: Jodelet, D. (Org.). As representações sociais.

Rio de Janeiro: UERJ, 2001. p.17-43.

Moscovici, S. A representação social da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

Moscovici, S. Representações sociais: investigação em psicologia social. 7.ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

Prout, A. The future of childhood: Towards the Interdisciplinary study of children. London: Falmer Press, 2005.

Ramos, C.A.R. De mãe substituta a babá malvada?: representações sociais sobre professora de bebês segundo acadêmicos de Pedagogia da UFMT: Campus Cuiabá. 2012. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2012.

Sennett, R. The conscience of the eye: The design and social life of cities. New York: Norton & Company, 1990.

Silva, T.T. O currículo como fetiche: a poética e a política do texto curricular. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

Silveira, G.L. Berçário como lugar: significações segundo profissionais de educação infantil das unidades de atendimento à criança de até três anos no município de Cuiabá. 2013. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá,

Vigotski, L.S. Manuscristo de 1929. Educação e Sociedade, ano 21, n.71, p.21-44, 2000.

Vigotski, L.S. Imaginação e criação na infância. São Paulo: Ática, 2009.

Vigotski, L.S. Quarta aula: a questão do meio na pedologia. Psicologia USP, v.21, n.4, p.681-701, 2010.

Vygotski, L. S. El problema de la edad. In: Vygotski, L.S.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v20n1a2939

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.