Instrução e civilização em Condorcet

Sidey Reinaldo Silva

Resumo


O resgate teórico da relação entre instrução e civilização proposta pelos Enciclopedistas, na segunda metade do século XVIII, tem muito a contribuir para com o atual debate entre as concepções liberais e comunitárias da educação. Para Condorcet, que de certo modo estava ligado àquele movimento filosófico, a civilização constitui-se em uma ampla perspectiva cultural capaz de sobrepujar as diferenças mais profundas entre os povos, e de impor um padrão homogêneo ao modo de ser das nações. Assim, civilizar é também formar a razão e a moral dos povos. Sujeita a perfectibilidade, a humanidade estaria condenada a manter-se progredindo ou a perder suas conquistas. Assim, a civilização, embora sendo a expressão maior do progresso do espírito humano, estaria sempre ameaçada pela barbárie. O progresso resultaria da necessidade de superação racional das tradições dos povos.

Palavras-chave: Educação, Civilização, Tradição e Modernidade.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.