Currículo e formação inicial de professores em ciências humanas: um estudo de caso na Universidade Federal do Tocantins

Daniel de Freitas Nunes, Kátia Augusta Curado Pinheiro Cordeiro da Silva

Resumo


O presente trabalho propôs analisar o currículo do curso de licenciatura plena em História da Universidade Federal do Tocantins, situada na região norte do Brasil. Para tal, compararam-se o currículo atualmente vigente e o currículo anterior, assim como suas estruturas e componentes disciplinares, além do perfil socioeconômico dos ingressantes do curso. A partir do referencial de diferentes teóricos do currículo e da formação inicial de professores, observa-se que houve uma considerável redução de carga horária, o que incorre em um aligeiramento teórico da formação e, ao mesmo tempo, em no seu engessamento às exigências normativas estabelecidas pelas Diretrizes Curriculares Nacionais, que, no caso do currículo analisado, correspondem a 49% da carga horária. Conclui-se que o currículo em vigência intenta em uma formação tecnicista de caráter proletarizante e teoricamente comprometida.

Palavras chave: Currículo. Formação de professores. Licenciaturas.


Palavras-chave


Currículo; Formação de professores; Licenciaturas

Texto completo:

PDF

Referências


Apple, M. Ideologia e currículo. São Paulo: Brasiliense, 1982.

Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. Critério de classificação econômica Brasil. São Paulo, 2009. Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2013.

Azevedo, J.M.L. A educação como política pública. 3.ed. Campinas: Autores Associados, 2004.

Brasil. Ministério da Educação. Resolução CNE/CP 1, de 18 de fevereiro de 2002. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília: Conselho Nacional de Educação, 2002. Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2013.

Brasil. Ministério de Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referenciais para a formação de professores. Brasília: MEC, 1999.

Creswell, J.W. Educational research: Planning, conducting, and evaluating quantitative and qualitative research. 4.ed. Boston: Pearson, 2012.

Da Silva, T.T. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 2.ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

Dias, R. Política curricular de formação de professores: um campo de disputas. Revista e-Curriculum, v.8, n.2, p.1-21, 2012. Disponível em: . Acesso em: 8 abr. 2012.

Dias, R.E.; Lopes, A.C. Competências na formação de professores no Brasil: o que (não) há de novo. Educação e Sociedade, v.24, n.85, p.1155-1177, 2003.

Dias, R.E.; Lopes, A.C. Sentidos da prática nas políticas de currículo para a formação de professores. Currículo sem Fronteiras, v.9, n.2, p.79-99, 2009.

Gatti, B.A.; Nunes, M.M.R. (Org.). Formação de professores para o ensino fundamental: estudo de currículos das licenciaturas em pedagogia, língua português, matemática e ciências biológicas. São Paulo: Fundação

Carlos Chagas, 2009. Disponível em: <http://www.fcc.org.br/biblioteca/publicacoes/textos_fcc/

arquivos/1463/arquivoAnexado.pdf>. Acesso em: 2 fev. 2012.

Gomes, A.A. Evasão e evadidos: o discurso dos alunos sobre evasão escolar nos cursos de licenciatura. 1998. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília, 1998.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Senso de 2010. 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2013.

Kuenzer, A.Z. As políticas de formação: a constituição da identidade do professor sobrante. Educação e Sociedade, v.20, n.68, p.163-183, 1999.

Lauande, M.F.R.F.; Castro, A.M.D.A. Formação de professores no contexto da reforma da educação. In: Simpósio Brasileiro de Política e Administração da Educação, 23., 2007, Porto Alegre, Anais... Porto Alegre: Anpae, 2007. p.1-16.

Lopes, A.C.; Macedo, E. Teorias de currículo. São Paulo: Cortez, 2013.

Moreira, A.F.B. Em busca da autonomia docente nas práticas curriculares. Revista Teias, v.13, n.27, p. 27-47, 2012.

Nóvoa, A. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009.

Nunes, D.F; Ferraro, J.R. Inclusão ou exclusão: uma análise sobre o acesso das classes C,D e E a Universidade Federal do Tocantins. Espaço em Revista, v.15, n.1, p.121-143, 2013. Disponível em: . Acesso em: 8 abr. 2012.

Orlandi, E.P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 6.ed. Campinas: Pontes, 2006.

Pereira, I.C.A. O ensino superior público no cenário tocantinense. In: Santana, J.; Zamboni, E. (Org.). Potencialidades investigativas da educação. Goiania: PUC, 2010. p.279-296.

Sacristán, J.G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3.ed. Porto Alegre: Armed, 2000.

Silva, K.A.C.P.C. Articulação teoria e prática na formação de professores: a concepção oficial. Inter-Ação, v.27, n.2, p.1-54, 2002.

Universidade Federal do Tocantins. Comissão Permanente de Seleção. Dados do questionário socioeconômico do estudante. Palmas, 2012. Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2012.

Universidade Federal do Tocantins. Projeto político pedagógico do curso de história. Palmas: Universidade Federal do Tocantins, 2011.

Universidade Federal do Tocantins. Projeto político pedagógico do curso de história. Palmas: Universidade Federal do Tocantins, 2006.

Velloso, R.V. Desafios para a formação de professores nas universidades públicas. Revista Eletrônica de Educação. v.6, n.2, p.427-439, 2012. Disponível em:. Acesso em: 6 abr. 2012.

Zago, N. Do acesso à permanência no ensino superior: percursos de estudantes universitários de camadas populares. Revista Brasileira de Educação, v.11, n.32, p.226-237, 2006.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v19n2a2692

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.