O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica e as influências da realidade socioeconômica no contexto escolar do aluno

Evandro Ricardo Guindani, Yáscara Michele Neves Koga, Francine Grendene

Resumo


A presente pesquisa visa contribuir com investigações acerca da realidade socioeconômica das famílias e sua influência no rendimento escolar dos alunos. A problemática deste estudo está focada na relação entre indicadores educacionais e indicadores socioeconômicos. A relação entre o nível socioeconômico familiar e os resultados obtidos pelos alunos da Escola Municipal Ângelo Anzollin no município de Vargem Bonita (SC), na Prova Brasil aponta que a disparidade entre a riqueza produzida no município e o Índice de Desenvolvimento Humano pode ser determinante para o desempenho dos alunos na Prova Brasil e, principalmente, no rendimento escolar. Os resultados da pesquisa contribuíram para compreender que o sucesso ou fracasso escolar do aluno não está ligado apenas ao ambiente e à infraestrutura proporcionada pela escola, tampouco somente à qualificação docente. É necessário um olhar mais apurado às condições familiares, sociais, econômicas e culturais para apreender a complexidade do sucesso e do fracasso escolar. A pesquisa contribuiu para uma reflexão crítica sobre os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica demonstrando que a qualidade de ensino precisa ser problematizada e pensada dentro de uma perspectiva socioeconômica e não apenas pedagógica.

Palavras-chave: Escola. Família. IDEB. Realidade socioeconômica.


Texto completo:

PDF

Referências


Baptista, N.Q. Metodologia de trabalho social com famílias. In: Acosta, A.R.; Vitale, M.A.F. (Org.). Famílias: redes, laços e políticas públicas. 4.ed. São Paulo: Cortez, 2008. p.23-45.

Barbosa, M.C.S. Culturas escolares, culturas de infância e culturas familiares: as socializações e a escolarização no entretecer destas culturas. Educação e Sociedade, v.28, n.100, 2007. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2010.

Bernstein, B. A estruturação do discurso pedagógico: classe, códigos e controle. Petrópolis: Vozes, 1996.

Brasil. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Estatuto da criança e do adolescente. Disponível em: . Acesso em: 23 set. 2012.

Brasil. Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Norma operacional básica: NOB/SUAS. 2005. Disponível em: . Acesso em: 23 jan. 2013.

Carvalho, M.C.B. Famílias e políticas públicas. In: Acosta, A.R.; Vitale, M.A.F. (Org.). Famílias: redes, laços e políticas públicas. 4.ed. São Paulo: Cortez, 2008. p.46-67.

Casarin, N.E.F.; Ramos, M.B.J. Família e aprendizagem escolar. Revista Psicopedagogia, v.24, n.74, 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2012.

Delors, J. Educação: um tesouro a descobrir? 3.ed. São Paulo: Cortez, 2002.

Dourado, L.F. Políticas e gestão da educação básica no Brasil: limites e perspectivas. Educação e Sociedade, v.28, n.100, p.921-946, 2007.

Freitas, L.C. et al. Avaliação educacional: caminhando pela contramão. Petrópolis: Vozes, 2011.

Lahire, B. Sucesso escolar nos meios populares: as razões do improvável. São Paulo: Ática, 2004.

Losacco, S. O jovem e o contexto familiar. In: Acosta, A.R.; Vitale, M.A.F. (Org.). Famílias: redes, laços e políticas públicas. 4.ed. São Paulo: Cortez, 2008. p.87-98.

Mainardes, J.; Stremel, S. A teoria de Basil Bernstein e algumas de suas contribuições para as pesquisas sobre políticas educacionais e curriculares. Revista Teias, v.11, n.22, 2010. Disponível em: Acesso em 13 set. 2012.

Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo 2002. Brasília: MEC, 2002.

Passador, C.; Alves, T. Educação pública no Brasil: condições de oferta, nível socioeconômico dos alunos e avaliação. São Paulo: Annablume, 2011.

Pereira, P.A.P. Necessidades humanas: subsídios à critica dos mínimos sociais. São Paulo: Cortez, 2008.

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Atlas do desenvolvimento humano. 2000. Disponível em . Acesso em: 23 mar. 2013.

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Atlas do desenvolvimento humano. 2010. Disponível em . Acesso em: 20 jul. 2014.

Schultz, T. Investindo no povo. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1987.

Schultz, T. O valor econômico da educação. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

Singly, F. Sociologia da família contemporânea. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

Sousa, S.M.Z.L. Possíveis impactos das políticas de avaliação no currículo escolar. Cadernos de Pesquisa, n.119, 2003. Disponível em: . Acesso em: 2 jan. 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742003000200009

Sposati, A. Assistência Social: de ação individual a direito social. Revista Brasileira de Direito Constitucional, n.10, p.435-458, 2007.

Thin, D. Para uma análise das relações entre famílias de classes populares e escola. Revista Brasileira de Educação, v.11, n.32, p.211-225, 2006.

Valle, I.R. A obra do sociólogo Pierre Bourdieu: uma irradiação incontestável. Revista Educação e Pesquisa, v.33, n.1, p.117-134, 2007.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v19n2a2687

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.