Planejamento educacional: uma abordagem histórica

Fabiana Silva Fernandes

Resumo


A proposta do artigo é enfocar o planejamento educacional em uma perspectiva histórica, apontando os fatores econômicos, sociais e políticos que contribuíram para a criação do planejamento como ferramenta de intervenção racional, particularmente para a educação, na América Latina, nas décadas de 1950 e 1960. Para o desenvolvimento do texto, apresentam-se, em primeiro lugar, alguns acontecimentos históricos que estimularam a utilização do planejamento econômico nas sociedades capitalistas, como a Crise de 1929 e a Segunda Guerra Mundial, além do desenvolvimento teórico sobre o planejamento nas sociedades capitalistas. Em segundo lugar, discorre-se sobre a realidade latino-americana e os estímulos que organismos internacionais, fundamentalmente a Comissão Econômica para a América Latina e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, deram para o desenvolvimento da lógica de planejamento, orientado pelas perspectivas do subdesenvolvimento e do estado desenvolvimentista. Finalmente, apresentam-se algumas características do planejamento educacional que, no contexto de seu surgimento, estavam estreitamente vinculadas às intenções de desenvolvimento econômico dos países latino-americanos, assumindo uma posição setorial no planejamento econômico mais amplo dos governos. 


Palavras-chave


América Latina. Planejamento econômico. Planejamento educacional.

Texto completo:

PDF

Referências


Cardoso, F.H; Faletto, E. Dependência e desenvolvimento na América Latina: ensaio de interpretação sociológica. 7.ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1970.

Fiori, J.L. O vôo da coruja: para reler o desenvolvimentismo brasileiro. Rio de Janeiro: Record, 2003.

Freitag, B. Escola, estado e sociedade. 5.ed. São Paulo: Editora Moraes, 1984. (Coleção educação universitária) Friedmann, J. Planning in the public domain: From knowledge to action. Princeton: Princeton University,

Galbraith, J.K. O novo estado industrial. São Paulo: AbrilCultural, 1982.

Gentilini, J.A. Crise e planejamento educacional na América Latina: tendências e perspectivas no contexto da descentralização. Campinas. 1999. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1999.

Gurrieri, A. Vigencia del estado planificador em la crisis actual. Revista de La CEPAL, n.31, p.201-217, 1987.

Horta, J.S.B. Planejamento educacional. In: Mendes, D.T. (Org.). Filosofia da educação brasileira. 2.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1985, p.195-238.

Lamarra, N.F. Respuestas a los problemas de los sistemas educativos. In: Rama, G. (Org.). Desarrollo y Educación en América Latina y el Caribe. Tomo II. Buenos Aires: Cepal, 1987. p.129-178.

Mannheim, K. Libertad, poder y planificación democrática. México: Fondo de Cultura Económica, 1953.

Mantega, G. A Economia política brasileira. Petrópolis: Vozes, 1995.

Moraes, R.C.C. Planejamento: democracia ou ditadura? São Paulo. 1987. Tese (Doutorado) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo,São Paulo, 1987.

Prebisch, R. Tranformación y desarrollo: la gran tarea de la América Latina. México: Fondo de Cultura Econômica, 1970.

Rodrigues, N. Estado, educação e desenvolvimento econômico. 2.ed. São Paulo: Cortez, 1987. (Coleção educação contemporânea).

Rodriguez, O. Teoria do subdesenvolvimento da Cepal. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1981.

Tedesco, J.C. Caracterización de la estructura del sistema educativo latinoamericano. In: Rama, G. (Org.). Desarrollo y educación en América Latina y el Caribe. Tomo I. Buenos Aires: Cepal, 1987. p.151-190.

United Nations Educational, Scientific and Cultural. Planejamento da educação: um levantamento mundial de problemas e prospectivas. 3.ed. Rio de Janeiro: FGV, 1981.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v19n1a2612

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.