O papel das narrativas na aprendizagem da docência: um enfoque no aspecto das interações humanas

José Antônio Araújo Andrade

Resumo


Neste artigo, o objetivo principal foi analisar algumas das contribuições de um trabalho de formação compartilhada entre uma professora de Matemática da educação básica e futuros professores, estudantes de um curso de Licenciatura em Matemática, ao desempenharem suas atividades de estágio supervisionado. Optou-se por investigar essa experiência de trabalho compartilhado a partir de narrativas, por acreditar ser pelo próprio sujeito que se pode perceber a sua aprendizagem. Procurou-se analisar e discutir aspectos que mostram a docência como uma atividade essencialmente permeada por interações humanas. Nesse sentido, foi dado enfoque a um dos elementos da aprendizagem dos estagiários com a professora-supervisora: o planejamento na gestão curricular em Matemática.


Palavras-chave


Aprendizagem da docência. Desenvolvimento profissional. Estágio supervisionado. Formação (com)partilhada de professores.

Texto completo:

PDF

Referências


Andrade, J.A.A. O estágio na licenciatura em matemática: um espaço de formação compartilhada de professores. 2012. Tese (Doutorado em Educação) - Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2012.

Bardin, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2008.

Barrenechea, C.A. Cognição situada e a cultura da aprendizagem: algumas considerações. Educar, n.16, p.139-153, 2000. Disponível em: . Acesso em: 11 nov. 2011.

Bondía, J.L. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, n.19, p.20-28, 2002.

Brown, J.S.; Collins, A.; Duguid, P. Situated cognition and the culture of learning. Educational Researcher, v.18, n.1, p.32-42, 1989.

Cardim, V.R.C. Saberes sobre a docência na formação inicial de professores de matemática. 2008. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade São Francisco, Itatiba, 2008. Disponível em: . Acesso em: 3 jul. 2011.

Charlot, B. Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre: Artmed, 2000.

Clandinin, J. D. Teacher education as narrative inquiry. In: Clandinin, J. D. et al. (Ed.). Learning to teach, teaching to learn: Stories of collaboration in teacher education. New York: Columbia University Press, 1993. p.29-51.

Clandinin, J.; Connelly, M. Narrative inquiry: Experience story in qualitative research. San Francisco: Jossey-Bass, 2000.

Cochran-Smith, M.; Lytle, S.L. Inquiry as stance: Ways forward. In: Cochran-Smith, M.; Lytle, S.L. Inquiry as stance: Practitioner research for the next generation. New York: Teachers College Press, 2009. p.118-166.

Cochran-Smith, M.; Lytle, S.L. Relationships of knowledge of practice: Teacher learning in communities. Review of Research in Education, n.24, p.249-305, 1999.

Ferreira, A.C. Metacognição e desenvolvimento profissional de professores de matemática: uma experiência de trabalho colaborativo. 2003. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

Fiorentini, D.; Miorim, M.Â. (Org.). Por trás da porta, que matemática acontece? Campinas: Cempem, 2001.

Franco, M.L.P.B. Análise do conteúdo. 2.ed. Brasília: Liber Livro, 2005.

Freitas, M.T.M.; Fiorentini, D. As possibilidades formativas e investigativas da narrativa em educação matemática. Horizontes, v.25, p.63-67, 2007.

Galvão, C. Narrativas em educação. Ciência & Educação, v.11, n.2, p.327-345, 2005.

Gama, R.P. Desenvolvimento profissional com apoio de grupos colaborativos: o caso de professores de matemática em início de carreira. 2007. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

Garcia, C.M. Formación del profesorado para el cambio educativo. Barcelona: PPU, 1994.

Gatti, B.A.; Barretto, E.S.S.; André, M.E.D.A. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: Unesco, 2011.

Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2011.

Ghedin, E. L. Professor-reflexivo: da alienação da técnica à autonomia da crítica. Caxambu-MG: 24ª Reunião Anual da ANPEd, 2001. Disponível em: . Acesso em: 31 jan. 2012.

Guérios, E.C. Espaços oficiais e intersticiais da formação docente: histórias de um grupo de professores na área de Ciências e Matemática. 2002. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2002.

Larrosa, J. La experiência de la lectura: estudios sobre literatura y formación. Barcelona: Laertes S.A. de Ediciones, 1996.

Lüdke, M.; Boing, L. A. Caminhos da profissão e da Profissionalidade docentes. Educação & Sociedade, v.25, n.89, p.1159-1180, 2004. Disponível em: . Acesso em: 5 set. 2011.

Mizukami, M.G.N. et al. Escola e aprendizagem da docência: processos de investigação e formação. São Carlos: EduFSCar, 2002.

Moura, M. A atividade de ensino como ação formadora. In: Castro, A. D.; Carvalho; A. M. P. (Org.). Ensinar a ensinar. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2001. p.143-162.

Najmanovich, D. O sujeito encarnado: questões para pesquisa no e do cotidiano. Rio de Janeiro: DP & A, 2001.

Nóvoa, A. Formação de professores e profissão docente. In: Nóvoa, A. (Coord.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992. p.13-33.

Placco, V.M.N.S.; Souza, V.L.T. Aprendizagem do adulto professor. São Paulo: Loyola, 2006.

Ponte, J.P. Perspectivas de desenvolvimento profissional de professores de Matemática. In: Ponte, J.P. et al. Desenvolvimento profissional de professores: que formação? Lisboa: SPCE, 1996. p.193-211.

Ponte, J.P. Gestão curricular em matemática. In: GTI (Ed.).O professor e o desenvolvimento curricular. Lisboa: APM, 2005. p.11-34.

Prado, G.V.T.; Soligo, R.A. Memorial de formação: quando as memórias narram a história da formação. In: Prado, G.V.T.; Soligo, R.A. (Org.) Porque escrever é fazer história: revelações,subversões, superações. Campinas: Alínea, 2007. v.1, p.47-62.

Roldão, M.C. A formação de professores como objecto de pesquisa: contributos para a construção do campo de estudo a partir de pesquisas portuguesas. Revista Eletrônica de Educação, v.1, n.1, p.50-118, 2007. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2011.

Roldão, M.C. et al. O conhecimento profissional dos professores - especificidade: construção e uso; da formação ao reconhecimento social. Revista Brasileira de Formação de Professores, v.1, n.2, p.138-177, 2009.

Tardif, M. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários: elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas consequências em relação à formação para o

magistério. Revista Brasileira de Educação, n.13, p.5-24, 2000.

Tardif, M.; Lessard, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis: Vozes, 2005.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v18n3a2367

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.