O processo de adesão de professoras dos anos iniciais ao uso de narrativas na formação docente em matemática

Maria Auxiliadora Bueno Andrade Megid

Resumo


O artigo analisa três pesquisas que tinham em comum a formação de professores de Matemática a partir do uso de narrativas. A primeira aconteceu durante a formação inicial das professoras no curso de Pedagogia; a segunda, durante os primeiros anos de docência após a conclusão da graduação; a terceira diz respeito a uma formação em serviço com professoras de vários anos de profissão. Nas duas primeiras pesquisas, a escrita de narrativas ocorreu ao longo de todo o processo de formação inicial e em serviço, sendo indicadas pelas professoras participantes as vantagens na utilização das narrativas. Na terceira investigação, não ocorreu a adesão das professoras ao processo de reflexão de práticas a partir das narrativas, gerando um questionamento sobre como construir esta adesão e constituir um grupo, de fato, colaborativo num trabalho de formação em serviço. As propostas serão analisadas, buscando identificar fatores que contribuíram para a adesão das professoras e fatores que implicaram a não adesão.


Palavras-chave


Anos iniciais. Aprendizagem docente. Ensino de matemática. Narrativas de formação.

Texto completo:

PDF

Referências


Connelly, F.M.; Clandinin, D.J. Relatos de experiencia e investigación narrativa. In: Larrosa, J. et al. Déjame que te cuente: ensayos sobre narrativa y educación. Barcelona: Laertes, 1995.

Josso, M.C. As figuras de ligação nos relatos de formação: ligações formadoras, deformadoras e transformadoras. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.32, n.2, 2006.

Megid, M.A.B.A. Formação inicial de professoras mediada pela escrita e pela análise de narrativas sobre operações numéricas. 2009. Tese (Doutorado em Educação: Educação Matemática) – Faculdade Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

Megid, M.A.B.A.; Fiorentini, D. Formação docente a partir de narrativas de aprendizagem. Revista Interacções, v.7, p.178-203, 2011.

Megid, M.A.B.A. A teoria na prática é outra? Constituindo-se professoras de matemática dos primeiros anos do ensino fundamental. Revista Horizontes, v.31, n.1, p.31-40, 2013.

Passos, C.L.B. As narrativas como potencializadoras no movimento de ensinar, aprender e formar-se. Revista Interacções, v.7, p.1-9, 2011.

Pinto, N.B. Erro: uma estratégia para a diferenciação do ensino. In: André, M. (Org.). Pedagogia das diferenças em sala de aula. Campinas: Papirus, 2005. p.47-80.

São Paulo (Estado). Secretaria de Estado da Educação. Ler e escrever: guia de planejamento e orientações didáticas. São Paulo: Fundação para o Desenvolvimento da Educação, 2010.

Scheibe, L. Valorização e formação dos professores para a educação básica: questões desafiadoras para um novo Plano Nacional de Educação. Revista Educação e Sociedade, v.31, n.112, p.981-1000, 2010.

Souza, E.C. O conhecimento de si: estágio e narrativas de formação de professores. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v18n3a2366

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.