O mestrado profissional: mais um equívoco da política nacional de pós-graduação

Antônio Joaquim Severino

Resumo


O artigo apresenta e discute a proposta da nova modalidade de curso de pós-graduação criada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, o Mestrado Profissional. Para tanto, apresenta os elementos contidos na Portaria 47/95 e na Resolução 80/1998 e desenvolve uma análise crítica da referida modalidade de curso. A argumentação baseia-se na constatação dos graves equívocos produzidos por esse curso na pós-graduação stricto sensu, destacando-se a ameaça que representa para os mestrados acadêmicos, em função do comprometimento da praticamente único espaço de formação de novos pesquisadores, nas diversas áreas do conhecimento. Sem desconhecer a relevância de se aprimorar profissionais, em prazo curto, para atender as demandas de atualização das novas tecnologias, o texto questiona se tal objetivo deve ser alcançado mediante essa modalidade de curso, cuja natureza se aproxima mais do curso de especialização, lato sensu. É questionado igualmente o uso dessa nomenclatura, dadas suas ambigüidades que mais confundem do que explicitam as diferenças entre as modalidades acadêmica e profissional do mestrado, fornecendo status e privilégios injustificáveis nesse nível de ensino.

Palavras-chave: Pós-Graduação. Mestrado Profissional. Pesquisa.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.