Autoria no mundo digital: o currículo na voz dos sujeitos da aprendizagem

Jayson Magno da Silva, Maria da Graça Moreira da Silva

Resumo


Este artigo apresenta uma reflexão sobre o uso da rádio na Internet e toma como ponto de partida e chegada a voz dos sujeitos professor e aluno, mediatizada por tecnologias, enquanto favorecedora da participação na construção do currículo e da aprendizagem. Analisa o caso da Rádio Jacaré FM, construída e operada em uma escola de Educação Infantil. Objetiva partilhar um retrato da pesquisa de mestrado desenvolvida, buscando oferecer subsídios teóricos e discutir, a partir dos dados coletados, o argumento central da pesquisa, fundamentado na epistemologia de Paulo Freire, sobre o papel das tecnologias digitais da informação e comunicação como instrumento para que os sujeitos possam expressar sua voz nos espaços da sala de aula, na escola, no mundo - sobretudo no mundo digital, e empoderar-se. Para tanto, a pesquisa lança mão da abordagem qualitativa, com aportes no estudo de caso, e utiliza como técnicas para coleta de dados a entrevista semiestruturada e o grupo focal. A pesquisa permitiu concluir que a expressão da voz mediatizada por tecnologias digitais de informação e comunicação favorece a assunção do professor e aluno enquanto sujeitos e autores do currículo e confere poder à medida que oportuniza a eles criarem e recriarem sua própria história no mundo e com o mundo, favorecendo a aprendizagem.


Palavras-chave


Ambientes educativos. Currículo e tecnologias. Novas tecnologias na educação.

Texto completo:

PDF

Referências


Abramowicz, M. Avaliando a avaliação da aprendizagem: um novo olhar. São Paulo: Lúmen, 1996.

Almeida, M.E.B.; Valente, J.A. Tecnologias e currículo: trajetórias convergentes ou divergentes. São Paulo: Paulus, 2011.

André, M.E.D.A.; Lúdke, M. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: Pedagógica e Universitária, 1986.

André, M.E.D.A.; Lúdke, M. Pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: EPU, 1998.

Apple, M.W. Educação e poder. Porto Alegre: ArtMed, 1989.

Apple, M.W. Ideologia e currículo. 3.ed. Porto Alegre: ArtMed, 2006.

Bogdan, R.; Biklen, S.K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto, 1994.

César, C. Rádio: a mídia da emoção. São Paulo: Summus, 2005.

Chizzotti, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 6.ed. São Paulo: Cortez, 2003.

Costa, D. Política. In: Streck, D.R.; Redin, E.; Zitkoski, J.J. (Org.). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. p.325-328.

Damásio, J.M. Tecnologia e educação: as tecnologias da informação e da comunicação e o processo educativo. Lisboa: Veja, 2007.

Freire, P. Ação cultural para a liberdade. 4.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

Freire, P. A educação na cidade. 7.ed. São Paulo: Cortez, 2006.

Freire, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 37.ed. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

Freire, P. Pedagogia do oprimido. 48.ed. São Paulo: Paz e Terra, 2009.

Freire, P. Extensão ou comunicação. 14.ed. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

Gatti, B.A. Grupo focal na pesquisa em ciências sociais e humanas. Brasília: Liber Livro, 2005.

Gimeno Sacristán, J. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3.ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

Giroux, H. Teoria crítica e resistência em educação: para além das teorias de reprodução. Petrópolis: Vozes, 1986.

Green, D. Da pobreza ao poder: como cidadãos ativos e estados efetivos podem mudar o mundo. São Paulo: Cortez, 2009.

Guareschi, P. Empoderamento. In: Streck, D.; Redin, E.; Zitkoski, J.J. (Org.). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. p.165-166.

Laville, C.; Dionee, J. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artmed, 1999.

Lima, M.F.M.; Preto, N.L.; Ferreira, S.L. Mídias digitais e educação: tudo ao mesmo tempo agora o tempo todo. In: Barbosa Filho, A.; Castro, C.; Tome, T. (Org.). Mídias digitais: convergência tecnológica e inclusão social. São Paulo: Paulínia, 2005. p.225-256.

São Paulo. Secretaria Municipal da Educação. Diretoria de Orientação Técnica. Orientações curriculares: expectativas de aprendizagens e orientações didáticas para educação infantil. São Paulo: SME, 2007.

Silva, M.G. Novos currículos e novas aprendizagens: a utilização de objetos de aprendizagem como alternativa para mudança curricular. 2004. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2004.

Zaremba, L. Fronteiras indivisíveis: Rondon e Roquete-Pinto num sonho de rádio educativo brasileiro. In: Cunha, M.R.; Haussen, D.F. (Org.). Rádio brasileiro: episódios e personagens. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2003. p.183-196.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v18n2a2028

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.