A pseudo-concreticidade do conceito de subjetividade na psicologia

Lenita Gama Cambaúva, Silvana Calvo Tuleski

Resumo


O objetivo deste texto é, através do pensamento de Saviani (2004), considerar as categorias problematização e reflexão como uma forma de abordar o conceito da subjetividade na psicologia, buscando elucidar se há possibilidade de constituição de uma psicologia considerada crítica. Para essa reflexão, propomos a análise de Vigotski (1996) quando, ao identificar a crise da psicologia, considera o que denomina de psicologia burguesa, dualista por separar subjetividade e objetividade tanto nas teorias como nas práticas psicológicas, acaba por desembocar, devido à exclusão de um daqueles termos pela adoção da lógica formal, ora no materialismo mecanicista, ora no idealismo e ambos, em última instância, na metafísica. Esse autor, a partir, portanto, do referencial marxista, propõe uma psicologia crítica que supere as anteriores, ao considerar a relação dialética entre objetividade e subjetividade na constituição humana, isto é, a constituição do homem em suas múltiplas relações, ou o homem concreto postulado por Saviani (2004).  Tal concepção de homem, que não opera com a lógica da exclusão, é considerada aqui a saída para a superação da crise que assola a psicologia ainda hoje.

Palavras-chave: História da Psicologia; Materialismo-Histórico; Subjetividade.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.