Direito, qualidade e gestão da educação no ensino fundamental de nove anos na rede municipal de Diadema

Márcia Aparecida Jacomini, Carla de Oliveira Rosa, Felipe Willian Ferreira de Alencar

Resumo


Este artigo apresenta resultados e análises de pesquisa qualitativa em educação sobre a implementação do Ensino Fundamental de nove anos na Rede Municipal de Ensino de Diadema. Realizou-se um estudo sobre o desdobramento das Leis Federais nº 11.114/2005 e nº 11.274/2006 na rede, a partir de uma pesquisa de campo em duas escolas, uma de Ensino Fundamental e outra de Educação Infantil que atendia crianças do primeiro ano do Ensino Fundamental. Os dados da pesquisa de campo foram coletados por meio de observações do cotidiano escolar e de entrevistas com os sujeitos envolvidos no processo educativo, sendo analisados à luz do direito à educação, da qualidade do ensino e da gestão democrática. Os resultados indicaram que não houve ampliação do atendimento na pré-escola, que ainda não há um currículo definido para o primeiro ano do Ensino Fundamental de nove anos e que, apesar das informações terem sido socializadas, os profissionais da escola e a comunidade escolar não participaram das discussões e das decisões sobre a mudança.


Palavras-chave


Direito à educação. Ensino fundamental de nove anos. Gestão democrática. Políticas educacionais. Qualidade do ensino.

Texto completo:

PDF

Referências


Arelaro, L.R.G. A municipalização do ensino no estado de São Paulo: antecedentes históricos e tendências. In: Oliveira, C. et al. Municipalização do ensino no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 1999. p.61-89.

Arelaro, L.R.G.; Jacomini, M.A.; Klein, S.B. O ensino fundamental de nove anos e o direito à educação. Educação e Pesquisa, v.37, n.1, p.35-51, 2011.

Bogdan, R.; Biklen, S. Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto Editora, 1994.

Brasil. Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, 23 dez. 1996. Seção 1, p.27833. Disponível em: . Acesso em: 22 jan. 2011.

Brasil. Lei no 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova plano nacional de educação e dá outras providências. Diário Oficial da União, 10 jan. 2001. Seção 1, p.1. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2011.

Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Ensino fundamental de nove anos: orientações gerais. 2004. Disponível em: . Acesso em: jan. 2011.

Brasil. Lei no 11.114, de 16 de maio de 2005. Altera os art. 6º, 30, 32 e 87 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, com o objetivo de tornar obrigatório o início do ensino fundamental aos seis anos de idade. Diário Oficial da União, 17 maio 2005. Seção 1, p.1. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2011.

Brasil. Lei no 11.274, de 6 de fevereiro de 2006. Altera a redação dos art. 29, 30, 32 e 87 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, dispondo sobre a duração de 9 (nove) anos para o ensino fundamental, com matrícula obrigatória a partir dos 6 (seis) anos de idade. Diário Oficial da União, 7

fev. 2006. Seção 1, p.1. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2011.

Brasil. Ministério da Educação. Ensino fundamental de nove anos: orientações para a inclusão da criança de seis anos de idade. Brasília: MEC, 2007.

Brasil. Emenda Constitucional nº 59, de 11 de novembro de 2009. Acrescenta § 3º ao art. 76 do ato das disposições constitucionais. Diário Oficial da União, 12 nov. 2009a. Seção 1, p.8.

Brasil. Ministério da Educação. Ensino fundamental de nove anos: passo a passo do processo de implantação. Brasília: MEC, 2009b.

Correa, B.C. Educação infantil e ensino fundamental: desafios e desencontros na implantação de uma nova política. Educação e Pesquisa, v.37, n.1, p.105-120, 2011.

Couto, L. Estado não assume criança de 6 anos: entrevista. Jornal ABCD Maior, 7 mar. 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2011.

Diadema. Secretaria Municipal de Educação. Ensino fundamental: proposta curricular, diretrizes político pedagógicas. 2007. Disponível em: . Acesso em: 22 jan. 2011.

Gimeno Sacristán, J. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3.ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

Jacomini, M.A.; Klein, S.B. Qualidade da educação e ensino fundamental de nove anos: algumas reflexões. Revista @mbienteducação, v.3, n.1, p.75-92, 2010. Disponível em: . Acesso em: 13 dez. 2010.

Kishimoto, T.M. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortez, 1997.

Klein, S.B. Ensino fundamental de nove anos no município de São Paulo: um estudo de caso. 2011. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

Kramer, S. A criança de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no Brasil: educação infantil e/é fundamental. Educação e Sociedade, v.27, n.96, p.797-818, 2006.

Mascioli, S.A.Z. A utilização de jogos com movimento como recurso didático: diversificando as formas do ensinar e do aprender. São Carlos: UFSCar, 2004.

Oliveira, R.P. O direito a educação. In: Oliveira, R.P.; Adrão, T. (Org.). Gestão, financiamento e direito à educação: análise da Constituição Federal e da LDB. 3.ed. São Paulo: Xamã, 2007a. p. 15-41.

Oliveira, R.P. Qualidade com garantia de respeito às diversidades e necessidades de aprendizagem. In: Graciano, M. (Org.). O plano de desenvolvimento da educação (PDE). São Paulo: Ação Educativa, 2007b. p.32-34.

Paro, V.H. Gestão democrática da escola pública. 2.ed. São Paulo: Ática, 1998.

Paro, V.H. Educação como exercício do poder: crítica ao senso comum em educação. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2010.

Risopatron, V.E. El concepto de calidad de la educación. Santiago do Chile: Unesco, 1991.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0870v17n2a1000

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Educação PUC-Campinas

ISSNe 2318-0870 (eletrônico)
ISSN 1519-3993 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.