A questão do desejo em Hegel e em Lacan

Fábio Robson Búfalo

Resumo


Estas reflexões têm como objetivo principal mostrar como a questão do desejo se acha desenvolvida em dois pensadores que, à primeira vista, nada têm em comum entre si: Hegel e Lacan. Um é filósofo, alemão, que viveu entre os séculos XVIII e XIX e pertenceu à chamada filosofia idealista. O outro é psicanalista, francês, que viveu no século XX e se situa na corrente teórica inaugurada por Freud. No entanto, ambos os pensadores convergem nas intuições que elaboraram sobre o desejo, no sentido em que, tanto em Hegel como em Lacan, o que está em jogo é o reconhecimento do desejo por outro desejo. Eis a razão pelo qual este texto se desenvolve, do ponto de vista formal, em quatro partes principais: uma breve introdução; 1. O desejo: tentativas de definição; 2. A dialética de dominação e escravidão; 3. Lacan: o desejo e a linguagem. Nesta última parte, é dada ênfase à questão do real, isto é, àquilo que, em todos os filósofos, escapa à significação como tal.

Palavras-chave: desejo, Hegel, Lacan.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Bases de datos e repositórios

 


Reflexão

ISSNe 2447-6803 (eletrônico)

ISSN 0102-0269 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.