Gabriel Marcel: A Filosofia da Existência como Neo-Socratismo

Paulo de Tarso Gomes

Resumo


O artigo expõe as considerações sobre a situação humana de itinerância, do homo viator, segundo a concepção de Gabriel Marcel com o escopo de demonstrar sua aproximação ao humanismo socrático. O homo viator, que se realiza pela peregrinação e despojamento não encontra na razão a segurança das certezas que nossa era consagrou na previsibilidade das realizações da tecnologia, e no universo do ter. A recusa pelo ter e a opção pela itinerância caracteriza a decisão pela liberdade do não saber, e de poder escolher uma direção. O homem peregrino é o que percorre um caminho para se transformar, para ser. Neste sentido, Marcel assinala a insuficiência dos sistemas filosóficos que tendem a compreender a situação do humano em modelos fechados. Ao contrário, apela o autor para o sentido do mistério, como metaproblema, para acercar-se do humano que transcende a razão e o absurdo, e é fiel ao seu caminhar, tal como é concebido no humanismo socrático e neo-socrático.

Palavras-chave: itinerância – mistério – humanismo socrático.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Bases de datos e repositórios

 


Reflexão

ISSNe 2447-6803 (eletrônico)

ISSN 0102-0269 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.