Limites e contradições do planejamento urbano: a construção de perspectivas superadoras a partir da elaboração do Plano Popular da Estrada do Engenho | Limits and contradictions of urban planning: The construction of overcoming perspectives from the elaboration of the Estrada do Engenho’s Popular Plan

André de Oliveira Torres Carrasco, Flávia Pagnoncelli Galbiatti, Nadiane Fontes Castro, Rodolfo Barbosa Ribeiro, Vinícius Fossati Silva

Resumo


O presente trabalho apresenta, inicialmente, uma análise crítica do planejamento urbano, tomando como referência seus limites e contradições, determinados pelas formas particulares de articulação de suas categorias dentro do processo de produção do espaço urbano. Em seguida, são discutidas alternativas superadoras, tomando como referência o desenvolvimento do Plano Popular da Estrada do Engenho, na cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul.


Palavras-chave


Desigualdade. Estrada do Engenho. Pelotas. Planejamento urbano. Plano Popular.

Texto completo:

PDF

Referências


CARRASCO, A.O.T. A arquitetura e o urbanismo da modernização retardatária: particularidades da produção do espaço urbano no contexto brasileiro. São Paulo: Annablume, 2014.

CARRASCO, A.O.T. O processo de produção do espaço urbano na cidade de Pelotas: subsídios para uma reflexão sobre o desenvolvimento das relações de desigualdade entre centro e periferia.

Oculum Ensaios, v.14, n.3, p.595-611, 2017. http://dx.doi.org/10.24220/2318-0919v14n3a3874

CABISTANY, T. UFPel e UCPel se retiram do Conplad. Diário Popular, Pelotas, 1 de setembro de 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2018.

CARDOSO, F.H. Capitalismo e escravidão no Brasil Meridional. 4.ed. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução n°369 de 2006. Diário Oficial da

União, Poder Executivo, Brasília, DF, 23 mar. 2006. p.150-151.

FERNANDES, A.C. et al. 30 anos de Anpur: emergência e consolidação de uma associação acadêmica brasileira. In: FERNANDES, A.C. et al. (Org.). Estudos urbanos e regionais no Brasil, 1983 – 2013: a trajetória de um campo disciplinar e de sua associação nacional. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2015. p.13-19.

HARVEY, D. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume, 2005. p.43.

HARVEY, D. A liberdade da cidade. Espaço e Tempo, n.26, p.9-17, 2009.

HARVEY, D. Os limites do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

HOLSTON, J. Rebeliões metropolitanas e planejamento insurgente no século XXI. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v.18, n.2, p.191-204, 2016.

KLINK, J.J. et al. O campo e a práxis transformadora do planejamento: reflexões para uma agenda brasileira. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v.18, n.3, p.381-392, 2016.

KLINK, J.J.; SOUZA, M.B. Financeirização: conceitos, experiências e a relevância para o campo do planejamento urbano brasileiro. Cadernos Metrópole, v.19, n.39, p.379-406, 2017.

LABORATÓRIO DE HABITAÇÃO E ASSENTAMENTOS HUMANOS. Metodologia consolidada para a elaboração de Planos de Ação habitacionais e urbanos para áreas em situação de risco pela exclusão socioeconômica e a violência. São Paulo: LabHab-FAUUSP, 2003.

LEFEBVRE, H. A re-produção das relações de produção. Porto: Escorpião, 1978.

LEFEVBRE, H. O direito à cidade. São Paulo: Centauro, 2001. p.28.

MARICATO, E. As ideias fora do lugar e o lugar fora das ideias: planejamento urbano no Brasil. In: ARANTES, O. et al. A cidade do pensamento único. Petrópolis: Vozes, 2000. p.121-192. MOURA, R.M.G.R. Habitação popular em Pelotas (1880 – 1950): entre políticas públicas e investimentos privados. 2006. 248 f. Tese (Doutorado em História) — Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

OLIVEIRA, F. Crítica à razão dualista. In: OLIVEIRA, F. Crítica à razão dualista: ornitorrinco. São Paulo: Boitempo, 2003.

PEABIRU TRABALHOS COMUNITÁRIOS E AMBIENTAIS. Plano popular alternativo para a Comunidade da Paz. São Paulo: Peabiru Trabalhos Comunitários e Ambientais, 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2018.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS. Lei Municipal n°5.502 de 11 de setembro de 2008.

Pelotas: Prefeitura Municipal de Pelotas, 2008. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2018.

PINTO, J.V. Contribuições para o estudo do Programa Minha Casa Minha Vida para uma cidade de porte médio, Pelotas/RS: caracterização das empresas construtoras e incorporadoras privadas e inserção urbana. 2016. 300 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) — Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2016.

RANDOLPH, R. Do planejamento colaborativo ao planejamento “subversivo”: reflexões sobre as limitações e potencialidades de Planos Diretores no Brasil. Scripta Nova: Revista Eletrónica de Geografia y Ciencias Sociales, v.11, n.245, p.1-12, 2007.

RODRIGUES, E.; BARBOSA, B.R. Movimentos populares e o Estatuto da Cidade. In: CARVALHO, C.S.; ROSSBACH, A. O Estatuto da Cidade comentado. São Paulo: Ministério das Cidades, 2010. p.23-34.

ROLNIK, R. Democracia no fio da navalha: limites e possibilidades para a implementação de uma agenda de reforma urbana no Brasil. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v.11, n.2, p.31-50, 2009.

ROLNIK, R.; KLINK, J. Crescimento econômico e desenvolvimento urbano: porque nossas cidades são tão precárias? Novos Estudos, n. 89, p.89-109, 2011.

SÁNCHEZ, F. et al. Vila Autódromo em disputa: sujeitos, instrumentos e estratégias para a reinvenção do espaço. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v.18, n.3, p.408-427, 2016.

SANTA CATHARINA, R.T. Ordenanças urbanas e ideia de cidade: o primeiro e o segundo plano diretor de Pelotas e os temas do urbanismo do século XX. 2012. 170 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) — Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2012.

SOARES, P.R.R. Del proyecto urbano a la producción del espacio: morfologia urbana de la ciudad de Pelotas, Brasil (1812 – 2000). 2002. 513 f. Tese (Doutorado em Geografia Humana) — Universidad de Barcelona, Barcelona, 2002.

TETAMANTI, J.M.D. Cartografia social: Herramienta de intervención e investigación social compleja: El vertebramiento inercial como proceso mapeado. In: TETAMANTI, J.M.D. et al. Cartografia social: investigación y intervención desde las ciências sociales, métodos y experiências de aplicación. Comodoro Rivadavia: Universidad de la Patagonia, 2012. p.13-24.

VAINER, C. et al. O Plano Popular da Vila Autódromo: uma experiência de planejamento conflitual. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR, 15., 2013, Recife. Anais... Recife: ANPUR, 2013. p.1-18.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0919v15n3a4185

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Oculum Ensaios

ISSNe 2318-0919 (eletrônico)
ISSN 1519-7727 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.