Ordenamento territorial e a zona oeste do município do Rio de Janeiro: um breve olhar sobre a construção do território carioca durante a primeira metade do Século XX

Fabio Costa Peixoto

Resumo


Este artigo pretende, de forma breve, apresentar uma discussão envolvendo a construção do território da Zona Oeste do município do Rio de Janeiro denominada Área de Planejamento 5 (AP5), que corresponde a 60% do território carioca e a 30% da população dessa cidade. O principal objeto deste artigo é a análise de uma importante política de ordenamento territorial definida por um decreto de 1918 que dividia a cidade do Rio do Janeiro em três zonas: Urbana, Suburbana e Rural. Uma análise preliminar desse decreto permitiu expor algumas questões centrais que motivaram a sua formulação: o processo de modernização da cidade do Rio de Janeiro e o papel do capital imobiliário nesse contexto. Logo, o artigo se dedica a expor algumas considerações sobre essas duas questões e suas conseqüências para a cidade do Rio de Janeiro.

PALAVRAS-CHAVE: Rio de Janeiro, urbanização, território, Zona Oeste, capital imobiliário.


Palavras-chave


Rio de Janeiro, urbanização, território, Zona Oeste, capital imobiliário.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, M. Evolução urbana. Rio de Janeiro: Iplan-Rio,

Zahar, 1987.

_______. A periferia de ontem: o processo de construção

do espaço suburbano do Rio de Janeiro (1870-

. Espaço & Debates – Revista de Estudos Regionais

e Urbanos, Rio de Janeiro, ano VII, n.21, 1987.

BRASIL. Ministério do Interior. Recenseamento do

Districto Federal, 1920.

CASTELLS, M. A questão urbana. Rio de Janeiro: Paz e

Terra, 1983.

FELDMAN, S. O zoneamento ocupa o lugar do plano:

São Paulo, 1947-1961. In: XVII ENCONTRO NACIONAL

ANPUR. Pernambuco, 1997.

FREY, K. Políticas públicas: um debate conceitual e

reflexões referentes a prática da análise de políticas

públicas no Brasil. Planejamento e Políticas Públicas,

Rio de Janeiro, n.21, p.212-59, junho de 2000.

FRIDMAN, F.; RAMOS, C. A. F.A história da propriedade

da terra no Brasil. In: FERNANDES, A.; GOMES, M. A. de

F. Anais do Encontro Nacional da ANPUR – Cidade &

História – Modernização das cidades brasileiras nos séculos

XIX e XX. Salvador, 1992.

LOJKINE, J. O Estado capitalista e a questão urbana. São

Paulo: Martins Fontes, 1981.

LOBO. E. M. História do Rio de Janeiro: do capital comercial

ao capital industrial. Rio de Janeiro: IBDEG, 1978.

PECHMAN, R. M.; RIBEIRO, L. C. de Q. de. A companhia

de saneamento do Rio de Janeiro – contribuição à

história da formação do capital imobiliário. Revista Rio

de Janeiro, Rio de Janeiro, dezembro de 1985.

PEIXOTO, F. C. A Estrada Real de Santa Cruz como liga-

ção entre o sertão carioca e a área urbana da cidade do Rio

de Janeiro. Rio de Janeiro, 2003. Monografia de Graduação

– Departamento de Ciências Sociais, Instituto de

Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual

do Rio de Janeiro.

_______. Um estudo sobre a criação da zona suburbana

do município do Rio de Janeiro: 1910-1920. In:

Anais da XI Semana IPPUR – Planejamento, Território e

Democracia. Rio de Janeiro, 2005.

PREFEITURA DA CIDADE. Boletim da Prefeitura da

cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 7/1917 a 6/1918.

REIS, O. O Rio antigo. Rio de Janeiro: Biblioteca do

Estado do Rio de Janeiro, 1975.

RIBEIRO, L. C. de R. Formação do capital imobiliário e

a produção do espaço construído do Rio de Janeiro –

-1930. Revista Espaço & Debate, Rio de Janeiro,

n.15, p.5-32, 1985.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Oculum Ensaios

ISSNe 2318-0919 (eletrônico)
ISSN 1519-7727 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.