Resíduos sólidos urbanos, metrópole e periferia: a segregação socioespacial dos catadores de material reciclável na comunidade Frei Damião, em Palhoça, Santa Catarina

Arthur Eduardo Becker Lins

Resumo


O processo de industrialização e urbanização, aliado ao crescimento econômico, tecnológico e à cultura de consumo de massa, amplia a geração de resíduos na sociedade contemporânea, em sua maioria sem destinação final adequada. Esta pesquisa investiga a produção de resíduos sólidos urbanos vinculada à produção do espaço urbano, sobrepondo os dados levantados à ocupação do território. Organizado em duas partes, o trabalho tem por objetivo analisar as relações que se estabelecem entre a produção de resíduos sólidos, o processo de urbanização e a segregação socioespacial. Para tanto, a primeira parte contextualiza a realidade da área conurbada de Florianópolis, Santa Catarina e a destinação final inadequada dos resíduos, alertando para impactos de cunho ambiental, social e espacial em escala regional. Tomando o exemplo da comunidade Frei Damião, a segunda parte se aproxima da escala local e analisa as áreas de acúmulo e manejo inadequado de resíduos, onde uma população marginalizada reside em condições subumanas, muitas vezes dependente desse material para a sua sobrevivência. Os resultados indicam que as áreas periféricas metropolitanas são destino comum para o descarte de resíduos, alertando para a necessidade de estratégias espaciais mais justas e equilibradas.

PALAVRASCHAVE: Espaço urbano. Resíduos sólidos. Segregação socioespacial.


Palavras-chave


Espaço urbano. Resíduos sólidos. Segregação socioespacial.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Z. Vidas desperdiçadas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

CARDOSO, A.L. Urbanização de favelas no Brasil: revendo a experiência e pensando desafios. In:

ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM

PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL: Integração Sulamericana, Fronteiras e Desenvolvimento

Regional e Urbano, 12., 2007, Belém. Anais... Belém: ANPUR, 2007.

COMPANHIA DE MELHORAMENTOS DA CAPITAL. Plano de gerenciamento de resíduos sólidos de

Florianópolis. Florianópolis: COMCAP, 2011.

COMPROMISSO EMPRESARIAL PARA A RECICLAGEM. Banco de Dados. São Paulo: CEMPRE,

Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2015.

CUNHA, B.B. Não está cheirando nada bem: condições e efeitos de territorialidade de excluídos, na

condição de catadores de materiais recicláveis, em Belém (PA). 2007. 127f. Dissertação (Mestrado

em Geografia) — Universidade Federal do Pará, Belém, 2007.

EIGENHEER, E.M. Lixo, a limpeza urbana através dos tempos. Porto Alegre: Gráfica Palloti, 2009.

FUÃO, F.F. et al. Unidades de triagem: reciclagem para a vida. Arqtexto, v.8, p.102-133, 2006.

GOOGLE MAPS. Frei Damião, rua sem denominação. Mountain View, CA: Google, 2013. Disponível

em: . Acesso em: 12 nov. 2013.

HARVEY, D. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1993.

HARVEY, D. Espaços de esperança. São Paulo: Loyola, 2004.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA ESTATÍSTICA. Censo demográfico 2010. Rio de Janeiro:

IBGE, 2011.

MARICATO, E. O impasse da política urbana no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2011.

OLIVEIRA, I.M. A região metropolitana de Florianópolis e a dinâmica das áreas de pobreza: o caso

da comunidade Frei Damião. 2011. 202f. Dissertação (Mestrado em Geografia) — Universidade

Federal Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALHOÇA. Lei nº 3565, de 28 de novembro de 2011. Dispõe sobre a

criação das Zonas Especiais de Interesse Social — ZEIS, e dá outras providências. Palhoça: Câmara

Municipal de Vereadores, 2011.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ. Plano municipal integrado de gerenciamento dos resíduos da

construção civil e coleta seletiva. São José: Prefeitura Municipal de São José, 2013.

QUINT, M. Levantamento fotográfico aéreo do litoral catarinense. Florianópolis: Instituto Silva

Paes, 2011.

RODRIGUES, A.M. A matriz discursiva sobre o “meio ambiente”: produção do espaço urbano - agentes,

escalas, conflitos. In: CARLOS, A.F.A.; SOUZA, M.L.; SPOSITO, M.E.B. (Org.). A produção do

espaço urbano: agentes e processos, escalas e desafios. São Paulo: Contexto, 2012. p.207-225.

SANTA CATARINA. Lei n° 11.340, de 08 de janeiro de 2000. Dispõe sobre a Consolidação das Divisas

Intermunicipais do Estado de Santa Catarina e adota providências correlatas. Florianópolis:

Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 2000.

SANTA CATARINA. Plano estadual de gestão integrada de resíduos sólidos (PEGIRS). Florianópolis:

Governo de Santa Catarina, 2012.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. O outro lado da ‘Terra de

sol e mar’: diagnóstico de bairros e comunidades inseridos no projeto ‘SEBRAE na comunidade’.

Florianópolis: SEBRAE, 2014.

SUGAI, M.I. Segregação silenciosa: investimentos públicos e distribuição socioespacial na área conurbada

de Florianópolis. Florianópolis: Editora UFSC, 2014.

VILLAÇA, F. Espaço intraurbano no Brasil. São Paulo: Nobel, 1998.

WALDMAN, M. Lixo: cenários e desafios: abordagens básicas para entender os resíduos sólidos. São

Paulo: Corte, 2010.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0919v14n1a3733

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Oculum Ensaios

ISSNe 2318-0919 (eletrônico)
ISSN 1519-7727 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.