Ensino e conforto ambiental: discussão sobre a inserção da ergonomia no processo de projeto / Teaching and environmental comfort: A discussion about the insertion of ergonomics in the design process

Roberta Consentino Kronka Mülfarth

Resumo


O artigo discorre sobre o ensino de conforto ambiental, ergonomia e o processo de projeto. Trata-se da apresentação de uma experiência de ensino de conforto ambiental, para os alunos de primeiro ano, que tem por objetivo introduzir ao aluno conceitos básicos de conforto ambiental (iluminação, térmica, acústica e ergonomia) e eficiência energética, além de sensibilizá-lo sobre a importância dos significados e dos recursos de ergonomia para a percepção, a organização e dimensionamento do ambiente construído através da avaliação da influência dos fatores físicos, ambientais, culturais e psicológicos sobre o comportamento do usuário. Conclui-se que as questões de conforto ambiental devem ser tratadas em conjunto com todas as variáveis de projeto, e que, apesar da existência de vários métodos de projeto, deve-se exercer o olhar das questões de conforto ambiental em conjunto com as outras variáveis.


Palavras-chave


Conforto ambiental. Ensino. Ergonomia. Projeto.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAHÃO, J. et al. Introdução à ergonomia: da prática à teoria. São Paulo: Blücher, 2009. p.148-149.

BRASIL. Lei nº 12.378, de 31 de dezembro de 2010. Regulamenta o exercício da Arquitetura e

Urbanismo. Brasília: Casa Civil, 2010. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_

ato2007-2010/2010/lei/L12378.htm>. Acesso em: 28 jan. 2016.

COSTA, A.P.L.; VILLAROUCO, V. Que metodologia usar? Um estudo comparativo de três avaliações ergonômicas em ambientes construídos. In: MONTÁLVÃO, C.; VILLAROUCO, V. Um novo olhar para o projeto: a ergonomia no ambiente construído. Recife: Editora UFPE, 2014. p. 247.

DANIELLOU, F. (Org.). A ergonomia em busca de seus princípios: debates epistemológicos. São Paulo: Blücher, 2004.

GEHL, J. Cidades para pessoas. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 2014.

GONÇALVES, J.C. et al. O Edifício ambiental. São Paulo: Oficina de Textos, 2015.

HALL, E. A dimensão oculta. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

KOWALTOWSKI, D.C.C.K. et al. (Org.). O processo de projeto em arquitetura da teoria à tecnologia. São Paulo: Oficina de Textos, 2011. p.21.

KRONKA MÜLFARTH, R.C. Proposta metodológica para avaliação ergonômica do ambiente urbano: a inserção da ergonomia no ambiente construído. 2017. 220 f. Tese (Livre Docência) — Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

KRONKA MÜLFARTH, R.C.; ANDRADE, A.G.S. Definição de ergonomia. São Paulo: Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, 2014a. Notas de Aulas da disciplina Percepção, espaço e mobilidade – Primeiro semestre.

KRONKA MÜLFARTH, R.C.; ANDRADE, A.G.S. Fatores ergonômicos. São Paulo: Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, 2014b. Notas de Aulas da disciplina Percepção, espaço e mobilidade — Primeiro semestre.

KRONKA MÜLFARTH, R.C.; ANDRADE, A.G.S. Variáveis ergonômicas, diagnóstico. São Paulo: Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, 2016. Notas de Aulas da disciplina Homem, Arquitetura e Urbanismo, Conforto Ambiental 01 — Fundamentos — Primeiro semestre.

MORAES, A.; MONT’ALVÃO, C. Ergonomia: conceitos e aplicações. Rio de Janeiro: 2AB Editora, 2003.

NEW YORK CITY. Departments of Design and Construction, Health and Mental Hygiene, Transportation, City Planning. Active Design Guidelines: Promoting physical activity and health in design. 2010. Available from: . Cited: Oct. 10, 2015.

SCHMID, A.L. A ideia de conforto: reflexões sobre o ambiente construído. Curitiba: Pacto Ambiental, 2005.

UNITED NATIONS ENVIRONMENTAL PROGRAMME. Buildings investing energy and resource efficiency. 2011. The Green Economy Report. Available from: . Cited: June 14, 2011.

VIANNA, N.S. O estado da arte em ensino e pesquisa na área de conforto ambiental no Brasil. Santo André: Editora Universidade do Grande ABC, 2002.

VIRILIO, P. O Espaço crítico. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0919v15n1a3413

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Oculum Ensaios

ISSNe 2318-0919 (eletrônico)
ISSN 1519-7727 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.