O planejamento urbano para além da oposição urbano-rural: perspectivas e desafios para a consolidação no brasil de sistemas e práticas integrados de planejamento territorial

Selena Duarte Lage e Lage

Resumo


A prática de planejamento urbano no Brasil passou por transformações importantes a partir da Constituição de 1988 e, principalmente, a partir da aprovação do ‘Estatuto da Cidade’, em 2001. Essa Lei ampliou a área de abrangência dos planos diretores, que passaram a ter de englobar toda a unidade territorial dos municípios, ou seja, não apenas as áreas urbanas, mas também as áreas rurais. A abordagem territorial dos planos diretores vislumbra a necessidade de uma visão mais abrangente e integrada da questão urbana. Pode-se dizer que está relacionada às novas dinâmicas socioespaciais identificadas em todo o mundo a partir do final do século XX e, também, à discussão ambiental disseminada a partir da década de 1970. Porém, notam-se ainda muitas dificuldades e desafios para a consolidação no Brasil de sistemas e práticas integrados de planejamento e gestão territorial.

PALAVRASCHAVE: Planejamento territorial. Planejamento urbano. Plano diretor. Políticas urbanas.


Palavras-chave


Planejamento territorial. Planejamento urbano. Plano diretor. Políticas urbanas.

Texto completo:

PDF

Referências


ACSELRAD, H. Discursos da sustentabilidade urbana. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais,

n.1, p.79-90, 1999.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da

União, Brasília, 5 out. 1988. Seção 1, p.1-32. Disponível em:. Acesso em:

jan. 2016.

BRASIL. Lei n. 4.504, de 30 de novembro de 1964. Dispõe sobre o Estatuto da Terra, e dá outras

providências. Diário Oficial da União, Brasília, 30 nov. 1964. Seção 1, Suplemento, p.49. Disponí-

vel em: . Acesso em: 10 dez. 2015.

BRASIL. Lei nº 10.257, de 10 de julho de 2001. Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição

Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. Diário Oficial da

União, Brasília, 11 jul. 2001. Seção 1, p.1. Disponível em: . Acesso em: 15

jun. 2015.

CARDOSO, A.L. Reforma urbana e planos diretores: avaliação da experiência recente. Cadernos

IPPUR, ano 11, n.1-2, p.79-111, 1997.

COSTA, H.S.M. A trajetória da temática ambiental no planejamento urbano no Brasil: o encontro de

racionalidades distintas. In: COSTA, G.M.; MENDONÇA, J.G. (Org.). Planejamento urbano no Brasil:

trajetória, avanços e perspectivas. Belo Horizonte: C/Arte, 2008. p.81-92.

COSTA, H.S.M. Desenvolvimento urbano sustentável: uma contradição de termos? Revista Brasileira

de Estudos Urbanos e Regionais, n.2, p.55-71, 1999.

COSTA, H.S.M.; COSTA, G.M. Repensando a análise e a práxis urbana: algumas contribuições da

teoria do espaço e do pensamento ambiental. In: DINIZ, C.C.; LEMOS, M.B. Economia e território.

Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005. p.365-382.

COSTA, H.S.M; CAMPANTE, A.L.G.; ARAÚJO, R.P.Z. A dimensão ambiental nos planos diretores

de municípios brasileiros: um olhar panorâmico sobre a experiência recente. In: JÚNIOR, O.A.S.;

MONTANDON, D.T. (Org). Os planos diretores municipais pós-estatuto da cidade: balanço crítico e

perspectivas. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2011. p.173-217.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo demográfico 2010. Rio de Janeiro:

IBGE, 2011. Disponível em: .

Acesso em: 25 nov. 2015.

LEFEBVRE, H. The production of space. 3rd ed. Oxford: Blackwell, 1993.

MONTE-MÓR, R.L. O que é urbano no mundo contemporâneo. Revista Paranaense de Desenvolvimento,

n.111, p.9-18, 2006.

MONTE-MÓR, R.L. Planejamento urbano no Brasil: emergência e consolidação. In: MONTE-

-MÓR, R.L. Espaço e planejamento urbano: considerações sobre o caso de Rondônia. 1980. Dissertação

(Mestrado em Engenharia) — Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1980.

ROLNIK, R. Planejamento e gestão: um diálogo de surdos? In: MOREIRA, M. (Coord.). Estatuto da

cidade. São Paulo: CEPAM, 2001. p.113-121.

ROSA, L.R.; FERREIRA, D.A.O. As categorias rural, urbano, campo e cidade: a perspectiva de um continuum.

In: SPOSITO, M.E.B.; WHITACKER, A.M. (Org.). Cidade e campo: relações e contradições

entre urbano e rural. 3.ed. São Paulo: Outras Expressões, 2013. p.187-204.

SACHS, I. Estratégias de transição para o século XXI. In: BURSZTYN, M. Para pensar o desenvolvimento

sustentável. São Paulo: Brasiliense, 1993. p.29-56.

SANTOS JÚNIOR, O.A.; MONTANDON, D.T. (Org). Os planos diretores municipais pós-estatuto da

cidade: balanço crítico e perspectivas. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2011.

SANTOS JÚNIOR, O.A.; SILVA, R.H.; SANT’ANA, M.C. Introdução. In: JÚNIOR, O.A.S.; MONTANDON,

D.T. (Org). Os planos diretores municipais pós-estatuto da cidade: balanço crítico e perspectivas.

Rio de Janeiro: Letra Capital, 2011. p.13-26.

SANTOS, M.R.M. O sistema de gestão e participação democrática nos planos diretores brasileiros.

In: JÚNIOR, SILVA, O.A.; MONTANDON, D.T. (Org). Os planos diretores municipais pós-estatuto da

cidade: balanço crítico e perspectivas. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2011. p.255-279.

SILVA, J.G. O Novo rural brasileiro. Campinas: UNICAMP, 2002.

SILVA, S.R.M; PERES, R.B. Gestão dos territórios rurais: possibilidades e limitações do Estatuto

da Cidade. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E

PESQUISA EM PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL, 13., 2009, Florianópolis. Anais... Florianópolis:

ENANPUR, 2009.

VILLAÇA, F. As ilusões do plano diretor. São Paulo: Mimeo, 2005.

VILLAÇA, F. Reflexões sobre as cidades brasileiras. São Paulo: Studio Nobel, 2012.

ZHOURI, A.; LASCHEFSKI, K.; PEREIRA, D.B. (Org). A insustentável leveza da política ambiental:

desenvolvimento e conflitos socioambientais. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0919v14n1a3389

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Oculum Ensaios

ISSNe 2318-0919 (eletrônico)
ISSN 1519-7727 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.