Cidade contemporânea, memória e preservação patrimonial: uma interpretação a partir das preexistências culturais

Roberta Krahe Edelweiss

Resumo


A estrutura urbana se refaz no tempo. Entre permanências e rupturas estão expressos valores de memória resultantes do diálogo entre todos os agentes presentes nos processos decisórios urbanos. A relevância dos valores de memória coletiva e essencial para a instrumentalização da preservação patrimonial. O artigo apresenta uma aproximação teórica ao patrimônio cultural edificado, interpreta a cidade a partir dos fatos urbanos, ressalta a importância das dimensões histórica e social como construtores da cidade e reflete acerca das iniciativas contemporâneas em prol da preservação patrimonial.

PALAVRASCHAVE: Cidade contemporânea. Memoria. Preexistências culturais. Preservação Patrimonial.


Palavras-chave


Cidade contemporânea. Memoria. Preexistências culturais. Preservação Patrimonial.

Texto completo:

PDF

Referências


ARISTÓTELES. Poética. In: Obras. Madrid: Aguilar S.A. de ediciones, 1982.

BENEVOLO, L. História da cidade. São Paulo: Perspectiva, 2012.

CARTAde Atenas. Brasília: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 1931. Disponí‑

vel em: <http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Carta%20de%20Atenas%201931.

pdf>. Acesso em: 24 ago. 2015.

CARTAde Atenas. Brasília: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 1933. Disponí‑

vel em: <http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Carta%20de%20Atenas% 201933.

pdf>. Acesso em: 24 ago. 2015.

CARTAde Veneza. Brasília: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 1964. Disponí‑

vel em: <http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Carta%20de%20Veneza%201964.

pdf>. Acesso em: 24 ago. 2015.

CASTRIOTA, L.B. Intervenções sobre o patrimônio urbano: modelos e perspectivas. In: FORUM

Patrimônio: ambiente construtivo e patrimônio sustentável, v.1, n.1, p.9‑31, 2007.

COSTA, L. Registro de uma vivência. São Paulo: Empresa das Artes, 1995.

GEHL, J. Cidades para pessoas. São Paulo: Perspectiva, 2013.

GREGOTTI, V. Território da arquitetura. São Paulo: Perspectiva, 1975. São Paulo: Perspectiva, 1975.

HARVEY, D. Pronunciamento no Ocupe Estelita de David Harvey. Recife: Ocupe Estelita, 2014.

Disponível em: . Acesso em: 24 ago. 2015.

HEIDEGGER, M. Conferencias y artículos: construir, habitar, pensar. Barcelona: Serbal, 1994.

Cap.6, p.139‑142.

JACOBS, J. Morte e vida de grandes cidades. 3.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

MENESES, U.B. O campo do Patrimônio Cultural: uma revisão de premissas. In: FORUM Na‑

cional do Patrimônio Cultural, 1., 2009, Ouro Preto. Anais… Ouro Preto: Instituto do

Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 2009. p.127‑137.

MONTANER, J.M. La modernidad superada: arquitectura, arte y pensamiento del siglo XX. Barcelo‑

na: Editorial Gustavo Gilli, 1997.

MUMFORD, L. A cidade na história. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

ROSSI, A. A arquitetura da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

SANTIN, J.R.; MARANGON, E.G. O estatuto da cidade e os instrumentos de política urbana para

proteção do patrimônio histórico: outorga onerosa e transferência do direito de construir. História,

v.27, n.2, p.89‑109, 2008.

SANTOS, C.N.F. Preservar não é tombar, renovar não é pôr tudo abaixo. Revista Projeto, n.86,

p.59‑83, 1986.

SERPA, A. O espaço público na cidade contemporânea. São Paulo: Contexto, 2007.

ORGANIZAÇÃO das Nações Unidas paraa Educação, A CIÊNCIA E A CULTURA. Patrimônio

Cultural Imaterial. Disponível em: <http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/culture/world‑herita‑

ge/intangible‑heritage/>. Acesso em: 24 ago. 2015.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0919v13n1a3220

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Oculum Ensaios

ISSNe 2318-0919 (eletrônico)
ISSN 1519-7727 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.