Cartografando cidades transumantes: reflexões teórico-metodológicas sobre pesquisas com trajetórias urbanas

Thaís Troncon Rosa

Resumo


Este artigo propõe discutir alguns aspectos teórico-metodológicos do trabalho com trajetórias urbanas e suas potenciais contribuições aos estudos urbanos, tomando como base reflexões de uma pesquisa de doutorado em Arquitetura e Urbanismo. Para tanto, delineia brevemente a noção de trajetórias urbanas, bem como suas potencialidades como estratégia de conhecimento das realidades urbanas contemporâneas, em sua complexidade e dinâmica. Em diálogo com a ideia de uma “cidade transumante”, como proposta por Michel de Certeau, discutem-se as imbricações entre trajetórias urbanas “periféricas”, as narrativas que as delineiam e são por elas delineadas e uma cartografia espaço-temporal das cidades outras que elas revelam. Nesse sentido, são apontadas questões importantes para a reflexão sobre processos de produção, apropriação e apreensão do espaço urbano: sob o enfoque apresentado, trajetórias urbanas “periféricas” e suas narrativas permitem mais do que pontuar inflexões, conflitos e diferenças, colocando no centro da análise a alteridade que elas encerram e que são produtoras, também, de alteridades socioespaciais a serem levadas a sério. O trabalho destaca a importância dos estudos urbanos se atentarem às dobras que configuram simultaneamente territórios, subjetividades e sensibilidades; percursos, narrativas e espaços; produção de conhecimento e produção do espaço.

PALAVRAS-CHAVE: Cartografias. Estudos urbanos. Produção do espaço urbano. Trajetórias urbanas.


Palavras-chave


Cartografias. Estudos urbanos. Produção do espaço urbano. Trajetórias urbanas.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, R. et al. Situações periféricas: etnografia comparada de pobrezas urbanas. Novos Estudos

CEBRAP, n.82, 2008. p.109-130

BECKER, H. Métodos de pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Hucitec, 1994.

BONDUKI, N.; ROLNIK, R. Periferias: ocupação do espaço e reprodução da força de trabalho. São

Paulo: FAUUSP, 1979. (Caderno de Estudos e Pesquisas Fupam).

BORDIEU, P. A ilusão biográfica. In: AMADO, J.; FERREIRA, M.M. (Org.). Usos e abusos da história

oral. Rio de Janeiro: FGV, 1998. p.183-191.

CABANES, R. Espaço privado e espaço público: o jogo de suas relações. In: TELLES, V.; CABANES;

R. (Org.). Nas tramas da cidade: trajetórias urbanas e seus territórios. São Paulo: Humanitas, 2006.

p.389-428.

CABANES, R. Qual dialética é possível entre o espaço público e o privado? In: CABANES, R. et al.

(Org.). Saídas de emergência. São Paulo: Boitempo, 2011. p.437-459.

CERTEAU, M. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 2003.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs. São Paulo: 34, 2007.

FELTRAN, G.S. Fronteiras de tensão: política e violência nas periferias de São Paulo. São Paulo:

Unesp, 2011.

FELTRAN, G.S. et al. As margens da cidade: grupos urbanos marginais, política e violência no estado

de São Paulo. São Carlos: UFSCar, 2012. (Relatório de Pesquisa).

FERREIRA, M.I.C. Trajetórias urbanas de moradores de uma favela de um distrito de elite na capital

paulista. 2003. Tese (Doutorado em Sociologia) — Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas,

Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

GRAFMEYER, Y. Sociologia urbana. Mira-Sintra: Publicações Europa-América, 1995.

GUATTARI, F.; ROLNIK, S. Micropolítica: cartografias do desejo. Petrópolis: Vozes, 2000.

KOWARICK, L. A espoliação urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

KOWARICK, L.; BRANT, V.C. (Coord.). São Paulo, 1975: crescimento e pobreza. São Paulo:

Loyola, 1975.

LEPETIT, B. Por uma nova história urbana. São Paulo: Edusp, 2001.

MAGNANI, J.G.C. De perto e de dentro: notas para uma etnografia urbana. Revista Brasileira de

Ciências Sociais, n.49, p.11-29, 2002.

MAGNANI, J.G.C. Os circuitos dos jovens urbanos. Tempo Social, v.17, p.173-205, 2005.

MARICATO, E. (Org.). A produção capitalista da casa (e da cidade) no Brasil industrial. São Paulo:

Alfa-Omega, 1979.

OLIVEIRA, F. A economia brasileira: crítica à razão dualista. Petrópolis: Vozes, 1972.

PASSOS, E.; KASTRUP, V.; ESCÓSSIA, L. (Org.). Pistas do método da cartografia. Porto Alegre:

Sulina, 2009.

ROLNIK, S. Cartografia sentimental. São Paulo: Estação Liberdade, 1989.

ROSA, T.T.Fronteiras em disputa na produção do espaço urbano. 2008. Dissertação (Mestrado em História)

— Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

SAMPAIO, M.R.; LEMOS, C. Habitação popular paulistana: autoconstrução. São Paulo: USP, 1978.

SILVA, E.A. Nas tramas da cidade ilegal: atores e conflitos em ocupações de terra urbana. 2006. Dissertação

(Mestrado em Sociologia) — Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade

de São Paulo, São Paulo, 2006.

TELLES, V.S.; CABANES, R. (Org.). Nas tramas da cidade: trajetórias urbanas e seus territórios. São

Paulo: Humanitas, 2006.

TELLES, V.S. Debates: a cidade como questão. In: TELLES, V.S.; CABANES, R. (Org.). Nas tramas da

cidade: trajetórias urbanas e seus territórios. São Paulo: Humanitas, 2006a. p.35-64.

TELLES, V.S. Trajetórias urbanas: fios de uma descrição da cidade. In: TELLES, V.S.; CABANES, R.

(Org.). Nas tramas da cidade: trajetórias urbanas e seus territórios. São Paulo: Humanitas, 2006b.

p.69-116.

VALLADARES, L.P. (Org.). Habitação em questão. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1980.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0919v11n1a2283

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Oculum Ensaios

ISSNe 2318-0919 (eletrônico)
ISSN 1519-7727 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.