Política habitacional e o capital privado: o programa de arrendamento residencial em Presidente Prudente, São Paulo

Sibila Corral de Arêa Leão Honda, Angélica Tarus Benatti Alvim

Resumo


Este artigo busca contribuir para uma análise crítica sobre a produção da habitação de baixa renda pela iniciativa privada em cidades médias no Brasil, no período entre 1999 e 2008, e seus efeitos no espaço urbano. Aborda o papel dos municípios, após a Constituição Federal de 1988, tendo como estudo de caso Presidente Prudente, município localizado no Oeste do Estado de São Paulo. Discute a relação entre as políticas urbanas e habitacionais e a implantação de empreendimentos executados pela iniciativa privada e financiados pela Caixa Econômica Federal, por meio do Programa de Arrendamento Residencial, instituído em 1999 pelo Governo Federal. Verifica seus mecanismos e efeitos na produção do espaço urbano, e as ações públicas locais voltadas à produção de habitação social e a legislação municipal que apóia ou controla essa produção. Evidencia a ausência de diretrizes específicas voltadas para a política habitacional no âmbito da política urbana deste município, induzindo a uma atuação direta do capital privado, que contribui para a produção de espaços urbanos segregados e excludentes.

PALAVRAS-CHAVE: Expansão urbana. Habitação de interesse social. Políticas urbanas. Segregação socioespacial.


Palavras-chave


Expansão urbana. Habitação de interesse social. Políticas urbanas. Segregação socioespacial.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVIM, A.T.B.; CASTRO, L.G.R.; ZIONI, S. Avaliação de políticas urbanas. In: ALVIM, A.T.B.; CASTRO,

L.G.R. (Org.). Avaliação de políticas urbanas: contexto e perspectivas. São Paulo: Romano Guerra,

p.13-41.

BRASIL. Medida Provisória nº 1.823, de 29 de abril de 1999. Cria o programa de arrendamento

residencial, institui o arrendamento residencial com opção de compra e dá outras providências.

Diário Oficial da União, 30 abr. 1999. Seção 1.

BRASIL. Lei nº 10.188, de 12 de fevereiro de 2001. Cria o programa de arrendamento residencial,

institui o arrendamento residencial com opção de compra e dá outras providências. Diário Oficial

da União, 14 fev. 2001. p.4.

CALDEIRA, T.P.R. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. 2.ed. São Paulo:

EDUSP, 2003.

CUNHA, E.P.; CUNHA, E.S.M. Políticas públicas sociais. In: CARVALHO, A.M. et al. Políticas públicas.

Belo Horizonte: UFMG, 2002. p.11-26.

LEFEBVRE, H. O direto à cidade. São Paulo: Documentos, 1969.

MARQUES, E. Elementos conceituais da segregação, da pobreza urbana e da ação do Estado. In:

MARQUES, E.; TORRES, H. (Org.). São Paulo: segregação, pobreza e desigualdades sociais. São

Paulo: Senac, 2005. p.19-56.

ROLNIK, R. et al. Plano diretor participativo: guia para a elaboração pelos municípios e cidadãos.

Brasília: Ministério das Cidades, 2004. Disponível em: .

Acesso

em: 1 nov. 2008.

SANTOS, M. A urbanização brasileira. 5.ed. São Paulo: EDUSP, 2005.

SILVA, R.B. Segregação e/ou integração: o programa de desfavelamento e loteamentos urbanizados

em Presidente Prudente. 2002. Dissertação (Mestrado) — Faculdade de Ciências e Tecnologia,

Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2005.

SPOSITO, E.S. Produção e apropriação da renda fundiária urbana em Presidente Prudente. 1990.

Tese (Doutorado) — Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São

Paulo, São Paulo, 1990.

SPÓSITO, M.E.B. A expansão territorial urbana de Presidente Prudente. Recortes, n.4, p.5-40, 1995.

VALLADARES, L.P. (Org.). Repensando a habitação no Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1983.

VILLAÇA, F. Uma contribuição para a história do planejamento urbano no Brasil. In: DÉAK, C.;

SCHIFFER, S.R. (Org.). O processo de urbanização no Brasil. São Paulo: EDUSP, 1999. p.169-243.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0919v10n2a2147

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Oculum Ensaios

ISSNe 2318-0919 (eletrônico)
ISSN 1519-7727 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.