Adesão ao uso dos equipamentos de proteção individual pela enfermagem

Belisa Talhaferro, Denise Beretta Barboza, Andrea Ranucci de Oliveira

Resumo


Objetivo
Identificar a adesão ao uso dos equipamentos de proteção individual pela enfermagem e o conhecimento destes profissionais sobre o assunto.
Métodos
Realizou-se um estudo descritivo, no qual foram questionados 47 trabalhadores da equipe de enfermagem da Central de Materiais e Esterilização de um hospital-escola de grande porte do interior paulista.
Resultados
A população era, em sua maioria, do sexo feminino e auxiliar de enfermagem (91,5%), casada (57,4%), faixa etária de 30 a 49 anos (61,6%), com 2 a 11 anos de atuação na profissão (51,0%), tempo de serviço de 12 a 16 anos (31,9%) e
com jornada de 6 horas (63,8%); os funcionários distribuíam-se nos períodos vespertino e noturno (68,0%). Relataram conhecimento sobre equipamentos de
proteção individual, sua importância e adesão ao uso dos mesmos 79% dos participantes. Referiram, no entanto, ser incômodo, atrapalhar no trabalho, falta de habilidade no uso e medo de sofrer acidente e contrair doença.

Conclusão
Os resultados obtidos apontaram ser necessária uma reavaliação do setor quanto ao tipo de equipamento de proteção individual adotado, assim como uma reciclagem
dos trabalhadores sobre os riscos a que estão expostos no setor e o objetivo do equipamento de proteção individual na prevenção destes. Tais medidas visam proporcionar uma maior adesão ao uso do equipamento de proteção individual e, consequentemente, a proteção e segurança destes trabalhadores.
Termos de indexação: Enfermagem. Equipamento de proteção. Esterilização.
Saúde do trabalhador.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Ciências Médicas

ISSNe 2318-0897 (eletrônico)
ISSN 1415-5796 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.