Aspectos epidemiológicos da dengue em Jaciara, Mato Grosso

Eduardo Luzia França, Carlos Kusano Bucalen Ferrari, André Dario Paula Mundo, Adenilda Cristina Honorio-França

Resumo


Objetivo
Este estudo teve por objetivo avaliar a incidência de casos notificados de dengue pela Secretaria de Saúde do município de Jaciara, Mato Grosso, no período entre janeiro de 2005 e 2007.
Métodos
Foram utilizados os dados brutos de casos notificados de dengue pela Secretaria Municipal da Saúde e estimadas as incidências.
Resultados
Nesse período, foram registrados 303 casos positivos de dengue, tendo a maioria ocorrido no ano de 2007 (282 casos - 93,1%). A doença foi predominante na faixa etária entre 21 e 40 anos (131 casos - 42,4%). Em relação ao sexo, observou-
-se que houve maior incidência de casos em indivíduos do sexo feminino (181 casos - 58,5%). Quanto ao tipo de diagnóstico, observou-se que o laboratorial foi o mais utilizado pelo município (271 casos - 87,7%), quando da comparação
ao diagnóstico clínico-epidemiológico (38 casos - 12,3%). Conclusão
A dengue em Jaciara tem afetado cada vez mais crianças e jovens, podendo agravar a morbimortalidade nas futuras epidemias.
Termos de indexação: Dengue. Epidemiologia. Notificação de doenças.

Palavras-chave


Dengue. Epidemiologia. Notificação de doenças.

Texto completo:

PDF

Referências


World Health Organization. Dengue and dengue

haemorrhagic fever. Fact sheet, n.117, March, 2009

[cited 2011 Feb 15]. Available from: <http://www.

who.int/mediacentre/factsheets/fs117/en>.

Shepard DS, Coudeville L, YA Halasa, Zambrano B,

Dayan GH. Economic impacto f dengue illness in the

Americas. Am J Trop Med Hyg. 2011; 84 (2):200-7.

Moraes GH, Duarte EC. Análise da concordância dos

dados de mortalidade por dengue em dois sistemas

nacionais de informação em saúde, Brasil, 2000-

Cad Saúde Pública. 2009; 25(11):2354-64.

Rodriguez-Barraquer I, Cordeiro MT, Braga C, de

Souza WV, Marques ET, Cummings DAT. From reemergency

to hyperendemicity: the Natural History

of dengue epidemic in Brazil. PLoS Negl Trop Dis.

; 5(1):e935. doi: 10.1371/journal.pntd.00009

Brasil. Ministério da Saúde. Sistema Nacional de

Vigilância em Saúde. Relatório de situação Mato

Grosso. Brasília: MS; 2009.

Mato Grosso. Governo Estado de Mato Grosso.

Boletim Epidemiológico da Dengue, nº 2, outubro

de 2009 [acesso 2011 fev 15]. Disponível em: <http://

www.saude.mt.gov.br/upload/documento/55/

boletim-epidemiologico-da-dengue-n-2-outubrode-

-55-260310-SES-MT.pdf>.

Brasil. Ministério da Saúde. Resposta coordenada de

monitoramento da dengue MT: informe técnico.

Brasília; 2010 [acesso 2011 fev 15]. Disponível em:

<http://www.saude.mt.gov.br/upload/documento/

/rc-semana-7-2010-%5B205-011210-SESMT%

D.pdf 15/02/2011>

Oliveira ECL, Pontes ERJC, Cunha RV, Fróes IB, Nascimento

D. Alterações hematológicas em pacientes

com dengue. Rev Soc Bras Med Trop. 2009; 42(6):

-5.

Pessanha JEM, Caiaffa WT, César CC, Proietti FA.

Avaliação do plano nacional de controle da dengue.

Cad Saúde Pública. 2009; 25(7):1637-41.

Soares CN, Cabral-Castro MJ, Peralta JM, Freitas MRG,

Zallis M, Puccioni-Sohler M. Review of the etiologies

of viral meningitis and encephalitis in a dengue

endemic region. J Neurol Sci. 2011; 303(1-2):75-9

doi: 10.1016/j.jns.2011.01.012.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo

demográfico 2007. [acesso 2010 dez 18]. Disponível

em: <http://www.ibge.gov.br/cidadesat/default.php

/12/2010>.

Siqueira SCF Pignatti MG, Santos MA. População e

incidência da dengue em 139 municípios do Estado

do Mato Grosso, 2001 e 2007. Anais do 5º Encontro

Nacional das ANPPAS. Florianópolis: ANPPAS, 2010

[acesso 2011 fev 15]. Disponível em: <http://www.

anppas.org.br/encontro5/cd/artigos/GT4-351-282-2

pdf>.

Mato Grosso. Tribunal de Contas do Estado de Mato

Grosso. Contas de governo. 2009. Cuiabá: TC; 2010.

Hoyos RC, López TT, Villarreal FC, Lucatero AP, González

MA, Coutiño BL. Concepciones culturales sobre el

dengue en contextos urbanos de México. Rev Saúde

Pública. 2006; 40(1):126-33.

Torres JR, Castro J. The health and economic impact

of dengue in Latin America. Cad Saúde Pública. 2007;

(supl. 1):S23-S31.

Gonçalves Neto VS, Rebêlo JMM. Aspectos epidemiológicos

do dengue no município de São Luís,

Maranhão, Brasil, 1997-2002. Cad Saúde Pública.

; 20(5):1424-31.

Cunha RV, Maspero RC, Miagostovitch MP, Araújo

ESM, Luz DC, Nogueira RMR, et al. Dengue infection

in Paracambi, state of Rio de Janeiro, 1990-1995.

Rev Soc Bras Med Trop. 1997; 30(5):379-83.

Forattini OP, Gomes AC, Natal D, Kakitani I, Marucci

D. Frequência domiciliar e endofilia de mosquitos

Culicidae no Vale do Ribeira, São Paulo, Brasil. Rev

Saúde Pública. 1987; 21(3):188-92.

Forattini OP, Kakitani I, Santos RL, Kobayashi KM, Ueno

HM, Fernandez Z. Comportamento de Aedes

albopictus e de Ae scapularis adultos (Diptera:

Culicidae) no Sudeste do Brasil. Rev Saúde Pública.

; 34(5):461-7.

Silva MAN, Calado DC, Tissot AC, Chrestani M.

Biologia de imaturos e adultos de Aedes albopictus

sob condições de laboratório e ecologia de Culicidae

em área de mata de Curitiba, PR. Inf Epidemiol SUS.

; 10(Supl 1):17-9.

Donalísio MR, Glasser CM. Vigilância epidemiológica

e controle de vetores do dengue. Rev Bras Epidemiol.

; 5(3):259-72.

Yang HM, Macoris MLG, Galvani KC, Andrighetti

MTM, Wanderley DMV. Assessing the effects of

temperature on dengue transmission. Epidemiol

Infect. 2009; 137(8):1179-87




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0897v20n5/6a576

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Ciências Médicas

ISSNe 2318-0897 (eletrônico)
ISSN 1415-5796 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.