A influência da sucção não nutritiva como analgesia não farmacológica em recém-nascidos durante procedimentos dolorosos: revisão sistemática

Thayse Ribeiro Das Virgens, Catiuscia Sales de Souza Greco, Mariana Lucena De Carvalho

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar a influência da sucção não nutritiva como método de analgesia não farmacológica durante procedimentos dolorosos em neonatos, por meio de uma revisão sistemática descritiva atualizada. A pesquisa foi realizada a partir de estudos publicados no período de 2006 a 2016 e disponíveis em versão completa, de forma gratuita, nas bases de dados digitais PubMed, MedlLine e LILACS. Após aplicados os critérios de exclusão, os artigos foram selecionados e avaliados nos seguintes quesitos: tipo de estudo; número total de indivíduos ou estudos envolvidos; média de idade; procedimento considerado doloroso; tipo de sucção não nutritiva utilizada; tempo da sucção não nutritiva antes, durante e após o procedimento; método de avaliação da dor; e conclusão do estudo. Foram encontrados 806 artigos disponíveis em sua versão completa e analisados 14 estudos. Todos os estudos (100%) analisados constataram a eficácia da sucção não nutritiva como método não farmacológico de alívio da dor, seja quando utilizada de forma isolada, seja quando associada a outro método analgésico. A chupeta foi o tipo mais utilizado de sucção não nutritiva. Alguns estudos ainda ressaltam a redução da agitação e do tempo de duração do choro. Apenas um estudo apontou maior ocorrência de taquicardia, bradicardia e hipertensão em recém-nascidos prematuros extremos submetidos à sucção não nutritiva antes e durante o procedimento doloroso. Portanto, a sucção não nutritiva mostrou-se eficaz de forma isolada ou associada à sacarose, sendo esta combinação mais efetiva.


Palavras-chave


Analgesia. Comportamento de sucção. Cortisol. Dor. Recém-nascido.

Texto completo:

PDF

Referências


Neves ADM, Corrêa DAM. Dor em recém-nascidos: a percepção da equipe de saúde. Ciênc Cuid Saúde. 2008;7(4):461-7.

Bueno M, Silva A. Procedimentos dolorosos em recém-nascidos de baixo risco. REME Rev Min Enferm. 2007;11(3):238-41.

Lima AH, Hermont AP, Friche AAL. Analgesia in newborns: A case-control study of the efficacy of nutritive and non-nutritive sucking stimuli. CoDAS. 2013;25(4):365-8.

Medeiros MD, Madeira LM. Prevenção e tratamento da dor do recém-nascido em terapia intensiva neonatal. Rev Min Enferm. 2006;10(2):118-24.

Ministério da Justiça (Brasil). Resolução nº 41: Direitos da Criança e do Adolescente Hospitalizados. Ministério da Justiça: Brasília; 1995 [acesso 2015 out 12]. Disponível em: http://www.mprs.mp.br/infancia/legislacao/id2178.htm

Nóbrega FS, Sakai L, Krebs VLJ. Procedimentos dolorosos e medidas de alívio em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Rev Med. 2007;86(4):201-6.

Falcão ACMP, Sousa ALS, Stival MM, Lima LR. Abordagem terapêutica da dor em neonatos sob cuidados intensivos: uma breve revisão. Rev Enferm Cent-Oeste Min. 2012;2(1):108-23.

Farias LM, Rêgo RMV, Lima FET, Araújo TL, Cardoso MVLML, Souza ÂMA. Cuidados de enfermagem no alívio da dor de recém-nascido: revisão integrativa. Rev Rene. 2011;12(4):866-74.

Moreira MEL, Bonfim OL. Manuseio da dor no recém--nascido. In: Moreira MEL, Lopes JMA, Carvalho M, organizadores. O recém-nascido de alto risco: teoria e prática do cuidar. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2004. p.489-508.

Nascimento TO, Maranhão DG. Prevenção do estresse neonatal: desafio para a equipe de enfermagem. Rev Enferm Unisa. 2010;11(2):134-7.

Capellini VK, Daré MF, Castral TC, Christoffel MM, Leite AM, Scochi CGS. Conhecimento e atitudes de profissionais de saúde sobre avaliação e manejo da dor neonatal. Rev Eletr Enferm. 2014;16(2):361-9.

Pacheco STA, Silva AM, Lioi A, Rodrigues TAF. O cuidado pelo enfermeiro ao recém-nascido prematuro frente à punção venosa. Rev Enferm UERJ. 2012;20(3):306-11.

Aquino FM, Christoffel MM. Dor neonatal: medidas não--farmacológicas utilizadas pela equipe de Enfermagem. Rev Rene. 2010;11(Esp):169-77.

Christoffel MM, Cunha JM, Sant’Anna ASF, Garcia RR. Princípios éticos da equipe de enfermagem ao cuidar da dor do recém-nascido. REME Rev Min Enferm. 2009;13(3):321-6.

Calado DFB, Souza R. Intervenção fonoaudiológica em recém-nascido pré-termo: estimulação oromotora e sucção não nutritiva. Rev Cefac. 2012;14(1):176-81.

Nascimento TO, Maranhão DG. Prevenção do estresse neonatal: desafio para a equipe de enfermagem. Rev Enferm Unisa. 2010;11(2):134-7.

Abdulkader HM, Freer Y, Fleetwood-Walker SM, Mclntosh N. Effect of suckling on the peripheral sensitivity of full-term newborn infants. Arch Dis Child Fetal Neonatal Ed. 2007;92(2):F130-1.

Antunes ICP, Nascimento MAL. A sucção não nutritiva do recém-nascido prematuro como uma tecnologia da enfermagem. Rev Bras Enferm. 2013;66(5): 663-7.

Dilli D, Ilarslan NEC, Kabatas EU, Zenciroglu A, Simsek Y, Okumus N. Oral sucrose and non-nutritive sucking goes some way to reducing pain during retinopathy of prematurity eye examinations. Acta Paediatr. 2013;103(2):76-9.

Elsafary FA, Alsaedi AS, Louwrens J, Sadig BB, Mersal AY. Oral sucrose and a pacifier for pain relief during simple procedures in preterm infants: A randomized controlled trial. Ann Saudi Med. 2009;29(3):184-8.

Liaw JJ, Zeng WP, Yang L, Yuh YS, Yin T, Yang MH. Nonnutritive sucking and oral sucrose relieve neonatal pain during intramuscular injection of hepatitis vaccine. J Pain Symptom Manage. 2011;42(6):918-30.

Liaw JJ, Yang L, Wang KK, Chen CM, Chang YC, Yin T. Non-nutritive sucking and facilitated tucking, relieve preterm infant pain during heel-stick procedures: A prospective, randomized controlled crossover trial. Int J Nurs Stud. 2012;49(3):300-9.

Liaw JJ, Yang L, Lee CM, Fan HC, Chang YC, Cheng LP. Effects of combined use of non-nutritive sucking, oral sucrose, and facilitated tucking on infant behavioural states across heel-stick procedures: A prospective, randomized controlled trial. Int J Nurs Stud. 2013;50(7):883-94.

Liu MF, Lin KC, Chou YH, Lee TY. Using non-nutritive sucking and oral glucose solution with neonates to relieve pain: Randomized controlled trial. J Clinic Nurs. 2010;19(11-12):1604-11.

Michel F, Vialet R, Hassid S, Nicaise C, Garbi A, Thomachot L, et al. Sevourane for central catheter placement in neonatal intensive care: A randomized trial. Pediatric Anesthesia. 2010;20(8):712-19.

Naughton KA. The combined use of sucrose and nonnutritive sucking for procedural pain in both term and preterm neonates: An integrative review of the literature. Adv Neonatal Care. 2013;13(1):9-19.

Riddell PRR, Racine NM, Turcotte K, Uman LS, Horton RE, Din Osmun L, et al. Non-pharmacological management of infant and young child procedural pain (Review). Evid Based Child Health. 2012;7(6):1905-2121.

Thakkar P, Arora K, Goyal K, Das RR, Javadekar B, Aiyer S, et al. To evaluate and compare the efficacy of combined sucrose and non-nutritive sucking for analgesia in newborns undergoing minor painful procedure: A randomized controlled trial. J Perinatol. 2016;36(1):67-70.

Weissman A, Aranovitch M, Blazer S, Zimmer EZ. Heel-lancing in newborns: Behavioral and spectral analysis assessment of pain control methods. Pediatrics. 2009;124(5):e921-8.

Boyle EM, Freer Y, Khan-Orakzai Z, Watkinson M, Wright E, Ainsworth JR, et al. Sucrose and non-nutritive sucking for the relief of pain in screening for retinopathy of prematurity: A randomised controlled trial. Arch Dis Child Fetal Neonatal Ed. 2006;91(3):F166-8.

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Manejo não farmacológico da dor neonatal: rotinas Assistenciais da Maternidade-Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro. [acesso 2015 out 24]. Disponível em: http://www.me.ufrj.br/images/pdfs/protocolos/enfermagem/manejo_da_dor_neonatal.pdf

Fundo das Nações Unidas para a Infância. Iniciativa Hospital Amigo da Criança. Unicef Brasil [acesso 2016 dez 17]. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/pt/activities_9994.htm

Silva TP, Silva LJ. Escalas de avaliação da dor utilizadas no recém-nascido: revisão sistemática. Acta Med Port. 2010;23(3):437-54.

Oliveira RM, Siebra, Silva AV, Chaves EMC, Sales NC. Avaliação comportamental e fisiológica da dor em recém-nascidos pelos profissionais de enfermagem. Rev Min Enferm. 2010;14(1):19-24.

Crescêncio EP, Zanelato S, Leventhal LC. Avaliação e alívio da dor. Rev Eletr Enferm. 2009;11(1):64-9.

Linhares MBM, Doca FNP. Dor em neonatos e crianças: avaliações e intervenções não farmacológicas. Temas Psicol. 2010;18(2):307-25.

Ribeiro LM, Castral TC, Montanholi LL, Daré MF, Silva ACA, Antonini SRR, et al. O leite humano no alívio da dor neonatal no exame de fundo de olho. Rev Esc Enferm USP. 2013;47(5):1039-45.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0897v27n1a3951

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Ciências Médicas

ISSNe 2318-0897 (eletrônico)
ISSN 1415-5796 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.