Impacto da saúde bucal na qualidade de vida de adultos de diferentes níveis socioeconômicos

Edna Alves SILVA, Marília Jesus BATISTA, Maria da Luz Rosário de SOUSA

Resumo


Objetivo
Avaliar o impacto da saúde bucal na qualidade de vida de adultos de diferentes níveis socioeconômicos.
Métodos
Este estudo transversal foi realizado em adultos de 35 a 59 anos de idade,sendo 113 usuários do serviço odontológico público e 97, do serviço privado da cidade de São Paulo. Dados sociodemográficos, de utilização dos serviços odontológicos e de qualidade de vida (Oral Health Impact Profile-14) foram obtidos através de um questionário. A saúde bucal foi avaliada pelo índice Cariados, perdidos e obturados-dentes. O Oral Health Impact Profile total (severity) e Oral Health Impact Profile prevalence (uma ou mais respostas “frequentemente” ou “sempre”) foram avaliados nas sete dimensões entre os dois grupos de adultos através do teste Mann Whitney e do teste do Qui-quadrado. 

Resultados
A média do Oral Health Impact Profile dos adultos do serviço público foi 11,5 (±11,3) e do serviço privado foi 5,9 (±9,1). O grupo do serviço público apresentou maior prevalência de impacto negativo, 76,6% (n=49), quando comparado ao grupo do serviço privado, que foi 23,4% (n=15). Os grupos diferiram em quatro dimensões na prevalência do Oral Health Impact Profile: limitação física, desconforto psicológico, incapacidade psicológica e incapacidade social (p<0,05).As médias do Oral Health Impact Profile por dimensões foram diferentes com relação ao tipo de serviço utilizado entre esses adultos, com exceção da limitação física (p>0,05).
Conclusão
Através dos resultados deste estudo, pode-se concluir que o impacto da saúde bucal na qualidade de vida foimaior no grupo dos adultos do serviço público, que apresentaram baixo nível socioeconômico.


Palavras-chave


Adulto. Classe social. Desigualdades em saúde. Qualidade de vida. Saúde bucal.

Texto completo:

PDF

Referências


Locker D. Deprivation and oral health: A review. Comm Dent Oral Epidemiol. 2000;28(3):161-9.

Sanders AE, Spencer AJ. Social inequality in perceived oral health among adults in Australia. Aust N Z J Public Health. 2004;28(2):159-66.

Einarson S, Gerdin EW, Hugoson A. Oral health impacto non quality of life in a Swedish population. Acta Odontol Scand. 2009;67:85-93.

Crocombe LA, Brennan DS, Slade GD. The relationship between dental care and perceived oral health impacts. Comm Dental Health. 2011;28(4):259-64.

Miotto MHMB, Barcellos LA, Velten DB. Avaliação do impacto na qualidade de vida causado por problemas bucais na população adulta e idosa em município da Região Sudeste. Ciên Saúde Coletiva. 2012;17(2):397-406.

Lacerda JT, Castilho EA, Calvo MCM, Freitas SFT. Saúde bucal e o desempenho diário de adulto em Chapecó, Santa Catarina, Brasil. Cad Saúde Pública. 2008;24(8):1846-58.

Slade GD, Spencer AJ. Development and evaluation of the Oral Health Impact Profile. Comm Dental Health. 1994; 11: 3-11.

Brennan DS, Luzzi Liana, Roberts-Thomson Kaye F. Dental service patterns among private and public adult patients in Australia. BMC Health Serv Res. 2008;8:1. http://dx.doi.org/10.1186/1472-6963-8-1

Locker D, Quiñonez C. Functional and psychosocial impacts of oral disorders in canadian adults: A national population survey. JDCA. 2009;75(7):521.

Johansson V, Axtelius B, Söderfeldt B, Sampogna F, Paulander J, Sondell K. Multivariate analyses of patient financial systems and oral health-related quality of life. Comm Dent Oral Epidemiol. 2010;38(5):436-44.

McGrath C, Bedi R. Dental services and perceived oral health: Are patients better off going private? J Dent Res. 2003;31:217-21.

Graciano MJG, Lehfeld NAS. Estudo socioeconômico: indicadores e metodologia numa abordagem contemporânea. Rev Serv Social Saúde. 2010;9(9):157-86.

World Health Organization. Oral health surveys: Basic methods. 4th ed. Geneva: WHO; 1997.

Oliveira BH, Nadanovsky P. Psychometric properties of the Brazilian version of the Oral Health Impact Profile-short form. Comm Dent Oral Epidemiol. 2005;33(4):307-14.

Lawrence HP, Thomson WM, Broadbent GM, Poulton R. Oral health-related quality of life in a birth cohort of 32-years old. Comm Dent Oral Epidemiol. 2008;36:305-16.

Tsakos G, Allen PF, Steele JG, Locker D. Interpretting oral health-relates quality of life data. Comm Dent Oral Epidemiol. 2012;40(3):193-200.

Sanders AN, Spencer AJ. Why do poor adults rate their oral health poorly? Aust Dent J. 2005;50(3):161-7.

Barros AJD, Bertoldi AD. Desigualdades na utilização e no acesso a serviços odontológicos: uma avaliação em nível nacional. Ciên Saúde Coletiva. 2002;7(4):709-17.

Pinto RS, Matos DV, Loyola Filho AI. Características associadas ao uso de serviços odontológicos públicos pela população adulta brasileira. Ciên Saúde Coletiva. 2012;17(2):531-44.

Machado LP, Camargo MBJ, Jeronymo JCM, Bastos GA. Uso regular de serviços odontológicos entre adultos e idosos em região vulnerável no sul do Brasil. Rev Saúde Pública. 2012;46(3):526-33.

Peres MA, Iser BPM, Boing AF, Yokota RTC, Malta DC, Peres KG. Desigualdade no acesso e utilização de serviços odontológicos no Brasil: análise do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por inquérito Telefônico (Vigitel 2009). Cad Saúde Pública. 2012;28(Supl.)598-600.

Bernabé E, Marcenes W. Income Inequality and tooh loss in the United States. J Dent Res. 2011;90:724-29.

Silveira Neto JM, Nadanovsky P. Social inequality in tooth extraction in a Brazilian insured working population. Comm Dent Oral Epidemiol. 2007;35(5):331-6.

Matos DL, Lima-Costa MF, Guerra HL, Marcenes W. Projeto Bambuí: avaliação de serviços odontológicos privados, públicos e de sindicato. Rev Saúde Pública. 2002;36(2):237-43.

Camargo MB, Dumith SC, Barros AJD. Uso regular de serviços odontológicos entre adultos: padrões de utilização e tipos de serviços. Cad Saúde Pública. 2009;25(9):1894-906.

Afonso-Souza G, Nadanovsky P, Chor D, Faerstein E, Werneck GL, Lopes CS. Association between routine visits for dental checkup and self-perceived oral health in an adult population in Rio de Janeiro: The pró-saúde study. Comm Dent Oral Epidemiol. 2007;35(5):393-400.

Dahl KE, Wang NJ, Skau I, Öhrn K. Oral health-related quality of life and associated factors in Norwegian adults. Acta Odontol Scand. 2011;69:208-14.

Silva EA, Torres LHN, Sousa MLR. Perda dentária e o impacto na qualidade de vida em adultos usuários de duas Unidades Básicas de Saúde. Rev Odontol UNESP. 2012;41(3):1-8.

Daly B, Newton T, Batchelor P, Jones K. Oral health care needs and oral health-related quality of life (OHIP-14) in homeless people. Comm Dent Oral Epidemiol. 2010;38(2):136-44.

Batista MJ, Perianes LB, Hilgert JB, Hugo FN, Sousa MLR. The impacts of oral health o quality of life in working adults. Braz Oral Res. 2014;28(1):1-6.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0897v25n1a3202

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Ciências Médicas

ISSNe 2318-0897 (eletrônico)
ISSN 1415-5796 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.