Cuidados voltados para o desenvolvimento na clientela neonatal cirúrgica: contribuições para a enfermagem

Adriana Teixeira Reis, Monique Ramos Rodrigues e BENEVIDES2, Rosângela da Silva SANTOS

Resumo


Sintetizar a contribuição de pesquisas realizadas acerca dos cuidados voltados para o desenvolvimento do recém-nascido cirúrgico. Foi realizada uma revisão integrativa da literatura nas bases Lilacs e MedLine. Os artigos apresentaram enfoque quase que exclusivo nos cuidados voltados para o desenvolvimento do recém-nascido prematuro e de muito baixo peso. Foram selecionadas seis produções sobre cuidados voltados para o desenvolvimento e que traziam contribuições para o cuidado ao recém-nascido cirúrgico. Dados sugerem que a cirurgia neonatal configura-se como mais um fator de risco para o atraso no desenvolvimento cognitivo e motor do bebê. Estratégias de cuidados individualizados devem ser continuadas a esta clientela, tornando-se essencial para preservação do desenvolvimento futuro da criança. Estudos sobre o desenvolvimento desta clientela devem ser incentivados, devido à escassez de literatura acerca do tema.

Palavra-chave: Cirurgia. Desenvolvimento infantil. Enfermagem neonatal. Unidade de terapia intensiva neonatal.


Palavras-chave


Cirurgia. Desenvolvimento infantil. Enfermagem neonatal. Unidade de terapia intensiva neonatal.

Texto completo:

PDF

Referências


Reis AT. O significado da cirurgia neonatal na presença

de malformações congênitas: a visão materna para o

cuidar de enfermagem [tese]. Rio de Janeiro:

Universidade Federal do Rio de Janeiro; 2010.

Als H. Program Guide: Newborn Individualized

Developmental Care and Assessment Program

(NIDCAP): An education and training program for

health care professionals. Boston: NIDCAP Federation

International; 1986.

Brasil. Ministério da Saúde. Atenção humanizada ao

recém-nascido de baixo peso: método mãe-canguru:

manual do curso. Brasília: Ministério da Saúde; 2002.

Tamez RN. Intervenções no cuidado neuropsicomotor

do prematuro: UTI Neonatal. Rio de Janeiro:

Guanabara Koogan; 2009.

Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Revisão integrativa:

o que é e como fazer. Einstein. 2010 [Acesso 2015

mar 3]; 8(1Pt.1):102-6. Disponível em: http://

apps.einstein.br/revista/arquivos/PDF/1134-

Einsteinv8n1_p102-106_port.pdf

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão, CM. Revisão

integrativa: método de pesquisa para a incorporação

de evidências na saúde e na enfermagem Texto

Contexto Enferm. 2008; 17(4):758-64.

Snookes SH, Gunn JK, Eldridge BJ, Donath SM, Hunt

RW, Galea MP, et al. A systematic review of motor and

cognitive outcomes after early surgery for congenital

heart disease. J Am Acad Pediatr. 2010; 125(4):e818-

http://dx.doi.org/10.1542/peds.2009-1959

Schulzke SM, Deshpande GC, Patole SK.

Neurodevelopmental outcomes of very low-birthweight

infants with necrotizing enterocolitis: A

systematic review of observational studies. Arch

Pediatr Adolescent Med. 2007; 161(6):583-90.

Bertelle V, Sevestre A, Laou-Hap K, Nagahapitiye MC,

Sizun J. Sleep in the Neonatal Intensive Care Unit. J

Perinat Neonatal Nurs. 2007; 21(2):140-8.

Vandenberg KA. State systems development in highrisk

newborns in the neonatal intensive care unit:

Identification and management of sleep, alertness,

and crying. J Perinat Neonatal Nurs. 2007; 21(2):130-

Chen CH, Wang TM, Chi CS. Individualized

developmental care in the newborn intensive care

unit. Acta Paediatr Taiwan. 2000; 41(3):119-22.

Raeside L. Perceptions of environmental stressors in

the Neonatal Unit. Br J Nurs. 1997; 6(16):914-6, 918,

-3.

Duarte ED, Sena RR, Tavares TS. Práticas cuidadoras

que favorecem a integralidade do cuidado ao recémnascido

de alto risco: revisão sistemática. Rev Eletr

Enferm. 2010; 12(3):539-46. http://dx.doi.org/

5216/ree.v12i3.7509




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0897v24n3a2646

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Ciências Médicas

ISSNe 2318-0897 (eletrônico)
ISSN 1415-5796 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.