Qualidade de vida: cuidadores informais de pacientes em tratamento quimioterápico

Mariana Ortelani de Toledo, Maria Luisa Gazabim Simões Ballarin

Resumo


Objetivo

Analisar a qualidade de vida relacionada à saúde de cuidadores informais de pacientes em tratamento quimioterápico assistidos em uma unidade de quimioterapia de Hospital Universitário do Município de Campinas, Estado de São Paulo.

Método

Trata-se de estudo que se caracteriza por sua natureza descritiva e quantiqualitativa, com desenvolvimento a partir da realização da pesquisa bibliográfica e de campo. Utilizaram-se como instrumento de coleta de dados junto a 14 cuidadores informais, questionário sociodemográfico, contendo perguntas abertas e fechadas, e questionário de qualidade de vida na sua versão resumida, Medical Outcomes Study 36 - Item Form Short Health Survey.

Resultados

A análise dos resultados evidenciou que há repercussão negativa na qualidade de vida dos cuidadores informais que participaram do estudo, tendo o aspecto emocional apresentado médias inferiores quando comparado aos outros domínios analisados, o que sugere condições desfavoráveis e implicações relacionadas ao reflexo das condições emocionais no desempenho das atividades diárias, relativas ao desempenho das tarefas relacionadas ao cuidar. Além disso, os resultados obtidos indicaram possíveis alterações relacionadas ao humor e ao bem-estar dos cuidadores informais, pois a saúde mental apresentou a segunda menor média.

Conclusão

O estudo forneceu dados relevantes sobre a qualidade de vida dos cuidadores, indicando que eles sofreram impactos negativos ao desempenhar as atividades de cuidado envolvidas no acompanhamento de pacientes em tratamento quimioterápico. Além disso, evidenciou-se a necessidade de as equipes de saúde implementarem estratégias e ações dirigidas não somente aos pacientes, mas também aos cuidadores, buscando, com isso, fornecer-lhes suporte mais adequado.

Termos de indexação: Atividades cotidianas. Cuidadores. Família. Qualidade de vida.


Palavras-chave


Atividades cotidianas. Cuidadores. Família. Qualidade de vida.

Texto completo:

PDF

Referências


Sales CA, Matos PCB, Mendonça DPR, Marcon SS.

Cuidar de um familiar com câncer: o impacto no

cotidiano de vida do cuidador. Rev Eletrônica Enferm.

; 12(4):616-21.

Brasil. Ministério da Saúde. Instituto Nacional do

Câncer. Estimativa 2012: incidência de câncer no

Brasil. Rio de Janeiro: INCA; 2010 [acesso 2010 nov

. Disponível em: <http://www.inca.gov.br/

estimativa/2012/>.

Carvalho CSU. A necessária atenção à família do

paciente oncológico. Rev Bras Cancerol. 2008;

(1):87-96.

Souza MGG, Santo FHE. O olhar que olha o outro:

um estudo com familiares de pessoas em quimioterapia

antineoplásica. Rev Bras Cancerol. 2008;

(1):31-41.

Born T. A formação de cuidadores formais e informais:

acompanhamento e avaliação. São Paulo: PUC-SP;

[acesso 2012 abr 12]. Disponivel em: <http://

portaldoenvelhecimento.org.br/noticias/artigos/aformacao-

de-cuidadores-formais-e-informaisacompanhamento-

e-avaliacao.html>.

Wanderley MB. Publicização do papel do cuidador

domiciliar. Brasília: Secretaria de Assistência Social;

Ribeiro AF, Souza CA. O cuidador familiar de doentes

com câncer. Arq Ciênc Saúde. 2010; 17(1):22-6.

Machado ALG, Freitas CHA, Jorge MSB. O fazer do

cuidador familiar: significados e crenças. Rev Bras

Enferm. 2007; 60(5):530-4.

Beck ARM, Lopes MHBM. Tensão devido ao papel de

cuidador entre cuidadores de crianças com câncer.

Rev Bras Enferm. 2007; 60(5):513-8.

Fleck MPA, Leal OF, Louzada S, Xavier M, Chachamovich

E, Vieira G, et. al. Desenvolvimento da versão em

português do instrumento de avaliação de qualidade

de vida da OMS (WHOQOL-100). Rev Bras Psiquiatr.

; 21(1):19-28.

Halyard MY, Ferrans CE. Quality of life assessment for

routine oncology clinical practice. J Support Oncol.

; 6(5):221-33.

Ciconelli RM. Tradução para o português e validação

do questionário genérico de avaliação de qualidade

de vida “Medical outcomes study 36-item Short-Form

health survey (SF-36)” [tese]. São Paulo: Universidade

Federal de São Paulo; 1997.

Nóbrega KIM, Pereira CU. Qualidade de vida,

ansiedade e depressão em cuidadores de crianças

com neoplasia cerebral. Psicol Teor Prat. 2011;

(1):48-61.

Cunha CM. Avaliação transversal da qualidade de

vida de cuidadores de criança e adolescente com

câncer por meio de um instrumento genérico - “36

item short form health survey questionnarie (SF-36)

[dissertação]. Uberlândia: Universidade Federal de

Uberlândia; 2007.

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 196,

de 10 de outubro de 1996. Brasília: MS; 1996 [acesso

set. 2011]. Disponível: <http://www.conselho.

saude.gov.br/resolucoes/1996/reso196.doc>.

Araújo LZS, Araújo CZS, Souto AKBA, Oliveira MS.

Cuidador principal de paciente oncológico fora de possibilidade de cura, repercussões deste encargo.

Rev Bras Enferm. 2009; 62(1):32-7.

Melo TM, Rodrigues IG, Schmidt DRC. Caracterização

de cuidadores de pacientes em cuidados paliativos

em domicilio. Rev Bras Cancerol. 2009; 55(4):365-

Guimarães CA, Lipp MEN. Um olhar sobre o cuidador

de pacientes oncológicos recebendo cuidados paliativos.

Psicol Teor Prat. 2011; 13(2):50-62.

Silva LR. El cuidado en el hogar a los enfermos crónicos:

un sistema de autoatención. Cad Saúde Pública.

; 20(2):618-25.

Gutierrez DMD, Minayo MCS. Produção de conhecimento

sobre cuidados da saúde no âmbito da família.

Ciênc Saúde Coletiva. 2010; 15(Supl 1):1498-508.

Floriani CA. Cuidador familiar: sobrecarga e proteção.

Rev Bras Cancerol. 2004; 50(4):341-5.

Floriani CA, Schramm FR. Cuidador do idoso com

câncer avançado: um ator vulnerado. Cad Saúde

Pública. 2006; 22(3):527-34.

Silva CAM, Acker JIBV. O cuidado paliativo domiciliar

sob a ótica de familiares responsáveis pela pessoa

portadora de neoplasia. Rev Bras Enferm. 2007;

(2):150-4.

Inocenti A, Rodrigues IG, Miasso AI. Vivências e

sentimentos do cuidador familiar do paciente oncológico

em cuidados paliativos. Rev Eletrônica Enfem.

; 11(4):858-65.

Rezende VL, Derchain SFM, Botega NJ, Saian LO, Vial

DL, Morais SS. Depressão e ansiedade nos cuidadores

de mulheres em fase terminal de câncer de mama

e ginecológico. Rev Bras Ginecol Obstet. 2007;

(12):737-43.

Chen Ml, Chu l, Chen HC. Impact of cancer patients

quality of life on that spouse caregivers. Supporte

Care Cancer. 2004; 12(7):469-75.

Grov EK, Dahl AA, Moun T, Fossa SD. Anxiety,

depression na quality of life in caragivers of patints

with câncer in late palliative phase. Anna Oncol. 2005;

(7):1185-91.

Inouye K, Pedrazzani ES, Pavarini SCI. Implicações da

doença de Alzheimer na qualidade de vida do

cuidador: um estudo comparativo. Cad Saúde Pública.

; 26(5):891-9.

Sanchez KOL, Ferreira NMLA, Dupas G, Costa DB.

Apoio social à família do paciente com câncer:

identificando caminhos e direções. Rev Bras Enferm.

; 63(2):290-9.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0897v22n1a1997

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Ciências Médicas

ISSNe 2318-0897 (eletrônico)
ISSN 1415-5796 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.