Autopercepção da saúde bucal e anamnese em idosos

Rafaela Rangel Rosa, João César Guimarães Henriques, Ana Cláudia Farias Anhalt, Júlio Cezar de Melo Castilho, José Roberto Rodrigues, Denise Nicodemo

Resumo


Objetivo

Avaliar a autopercepção dos idosos com relação à própria saúde bucal e a anamnese, abrangendo as alterações sistêmicas e bucais presentes.

Métodos

A amostra consistiu de 52 idosos, com idade entre 60 e 90 anos, participantes da Universidade Aberta à Terceira Idade, Núcleo São José dos Campos, Faculdade de Odontologia da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Foi utilizado o Questionário Geriatric Oral Health Assessment Index para aferir a autopercepção dos idosos quanto à própria condição bucal, seguido de anamnese e exames clínicos intrabucais a fim de identificar as alterações sistêmicas e bucais existentes.

Resultados

De acordo com a análise estatística descritiva, 86,0% dos indivíduos apresentaram alta autopercepção em avaliar a própria condição bucal (ótima capacidade); 12,0% tiveram média autopercepção (boa capacidade) e 2,0% dos indivíduos apresentaram baixa autopercepção (baixa capacidade). Hipertensões arteriais (30,7%) e fibromas (12,4%) foram, respectivamente, as doenças sistêmicas e bucais mais prevalentes.

Conclusão

Embora os cuidados e as orientações para uma adequada saúde dos idosos continuem aquém do desejado pela Organização Mundial de Saúde, esses indivíduos majoritariamente apresentaram uma boa autopercepção da saúde bucal.

Termos de indexação: Anamnese. Autoimagem. Idoso. Saúde bucal.


Palavras-chave


Anamnese. Autoimagem. Idoso. Saúde bucal.

Texto completo:

PDF

Referências


Petersen PE, Yamamoto T. Improving the oral health

of older people: The approach of the WHO Global

Oral Health Programme. Community Dent Oral

Epidemiol. 2005; 33(2):81-92.

Bulgarelli AF, Manço ARX. Idosos vivendo na

comunidade e a satisfação com a própria saúde bucal.

Ciênc Saúde Coletiva. 2008; 13(4):1165-74.

Martins AMEBL, Barreto SM, Pordeus IA. Fatores

relacionados à autopercepção da necessidade de

tratamento odontológico entre idosos. Rev Saúde

Pública. 2008; 42(3):487-96.

Saintrain MVL, Vieira LJES. Saúde bucal do idoso:

abordagem interdisciplinar. Ciênc Saúde Coletiva.

; 13(4):1127-32.

Silva SRC, Valsecki Júnior A. Avaliação das condições

de saúde bucal dos idosos em um município

brasileiro. Rev Panam Salud Publica. 2000; 8(4):268-

Pérez EA, Marino R, Gillespie G, González R. Estado

de la educación en gerodontología en la América

Latina: hallazgos de una encuesta. Educ Med Salud.

; 26(3):426-29.

Silva SRC, Castellanos Fernandez RA. Autopercepção

das condições de saúde bucal por idosos. Rev Saúde

Pública. 2001; 35(4):349-55.

Griniatsos J, Damaskos S, Tsekouras N, Klonaris C,

Georgopoulos S. Correlation of calcified carotid

plaques detected by panoramic radiograph with risk

factors for stroke development. Oral Surg Oral Med

Oral Pathol Oral Radiol Endod. 2009; 108(4):600-3.

Pornprasertsuk-Damrongsri S, Virayavanich W,

Thanakun S, Siriwongpairat P, Amaekchok P,

Khovidhunkit W. The prevalence of carotid artery

calcifications detected on panoramic radiographs

in patients with metabolic syndrome. Oral Surg Oral

Med Oral Pathol Oral Radiol Endod. 2009; 108(4):57-

Devlin H, Karayianni K, Mitsea A, Jacobs R, Lindh C,

van der Stelt P, et al. Diagnosing osteoporosis by using

dental panoramic radiographs: The OSTEODENT

project. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol

Endod. 2007; 104(6):821-8.

Atchison KA, Dolan TA. Development of the geriatric

oral health assessment index. J Dent Educ. 1990;

(11):680-7.

Reis SCGB, Marcelo VC, da Silva ET, Leles CR. Oral

health of institutionalised elderly: A qualitative study

of health caregivers’ perceptions in Brazil. Gerodontology.

; 28(1):69-75.

Veras RP, Caldas CP. Promovendo a saúde e a

cidadania do idoso: o movimento das universidades

da terceira idade. Ciênc Saúde Coletiva. 2004;

(2):423-32.

Borges MMC, Telles JL. O cuidado do idoso no

contexto familiar: percepção da equipe de saúde da

família. Rev Bras Gerontol. 2010; 13(3):349-60.

Marchini L, Vieira PC, Bossan TP, Montenegro FLB,

Cunha VPP. Self-reported oral hygiene habits among

institutionalized elderly and their relationship to the

condition of oral tissues in Taubaté, Brazil.

Gerodontology. 2006; 23(1):33-37.

Rauen MS, Moreira EA, Calvo MC, Lobo AS. Oral

condition and its relationship to nutritional status in

the institutionalized elderly population. J Am Diet

Assoc. 2006; 106(7):1112-4.

Montal S, Tramini P, Triay J-A, Valcarcel J. Oral hygiene

and the need for treatment of the dependent

institutionalised elderly. Gerodontology. 2006;

(2):67-72.

Freitas MAV, Scheicher ME. Qualidade de vida de

idosos institucionalizados. Rev Bras Gerontol. 2010;

(3):395-401.

Bauer M, Möhlenkamp S, Lehmann N, Schmermund

A, Roggenbuck U, Moebus S, et al. The effect of age

and risk factors on coronary and carotid artery

atherosclerotic burden in males. Atherosclerosis.

; 205(2):595-602.

Fatahzadeh M, Glick M. Stroke: Epidemiology,

classification, risk factors, complications, diagnosis,

prevention, and medical and management. Oral Surg

Oral Med Oral Pathol Oral Radiol Endod. 2006;

(2):180-91.

Manor Y, Mardinger O, Katz J, Taicher S, Hirshberg A.

Peripheral odontogenic fibroma: Differential

diagnosis in gingival lesions. Int J Oral Maxillofac Surg.

; 33(3):268-73.

Biazevic MGH, Crosato EM, Iagher F, Pooter CE, Correa

SL, Grasel CE. Impact of oral health on quality of life

among the elderly population of Joaçaba, Santa

Catarina (Brazil). Braz Oral Res. 2004; 18(1):85-91.




DOI: https://doi.org/10.24220/2318-0897v22n1a1996

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Ciências Médicas

ISSNe 2318-0897 (eletrônico)
ISSN 1415-5796 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.