Anestesia peridural continua para cesariana em paciente portadora de arterite de Takayasu

Angélica de Fátima de Assunção Braga, Franklin Sarmento da Silva Braga, José Aristeu Fachini Frias, Celina Chen, Patrícia Okuyama, Rodrigo Batistine

Resumo


A melhor técnica anestésica para pacientes com arterite de Takayasu é controversa. A anestesia regional tem sido questionada por alguns autores, devido ao risco de hipotensão arterial. A anestesia geral é também questionada por dificultar a avaliação da função cerebral, que pode estar alterada nestes pacientes, além das repercussões na pressão arterial. Relata-se neste estudo o caso de uma paciente de 31 anos, 35 semanas de idade gestacional, portadora de arterite de Takayasu há 2 anos, em uso de prednisona, submetida à cesariana sob anestesia peridural contínua. A cirurgia transcorreu sem alterações pressóricas, respiratórias ou de consciência; foi necessário o uso de metoprolol (3mg EV) para controle da freqüência cardíaca. A técnica anestésica empregada possibilitou titular doses de anestésicos locais para obtenção de nível adequado de anestesia necessário para a realização de operação cesariana, com mínimo risco de hipotensão arterial.

Termos de indexação: anestesia peridural; arterite de Takayasu; gravidez.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Ciências Médicas

ISSNe 2318-0897 (eletrônico)
ISSN 1415-5796 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.