Tumores serosos borderline de ovário com implantes invasores e não invasores

Patrícia Patury, Adriana Yoshida, Juliano Cunha, Liliana Aparecida Lucci de Angelo Andrade, Paulo Antonio Faria, Sophie Françoise Mauricette Derchain

Resumo


Os tumores borderline de ovário compreendem 15% a 20% de todos os tumores ovarianos epiteliais malignos, sendo o tipo histológico seroso o mais freqüente. As mulheres que desenvolvem tumor borderline de ovário geralmente apresentam doença em estágio inicial, sobrevida longa e baixo risco de recorrência em comparação às que desenvolvem carcinomas. Entretanto, 15% a 30% dos tumores borderline de ovário serosos estão associados a implantes extra-ovarianos classificados em invasores e não invasores de acordo com sua apresentação histopatológica e aparecem mais comumente como implantes peritoneais. Este artigo de revisão tem o objetivo de caracterizar tumores borderline serosos com implantes invasores e não invasores. Esta revisão sistemática foi realizada por meio de consulta do sistema Medline (Pubmed) por meio das seguintes palavras-chave: tumor borderline de ovário, baixo potencial de malignidade, tumor de ovário, neoplasia de ovário e implantes peritoneais. Após rigorosa seleção, dez artigos publicados até maio de 2005 foram incluídos; foram avaliadas 404 pacientes com implantes invasores e não invasores. A média de idade foi de 25 a 42 anos. Cirurgia preservadora da fertilidade foi realizada em 2% a 100% dos casos. Dos implantes, 27% eram invasores e 73% não invasores. A média de seguimento das mulheres foi de 6,4 anos e no total foram documentados 32 (8%) óbitos pela doença. Mulheres com tumores borderline de ovário com implantes invasores têm pior prognóstico, o que reforça a necessidade de um meticuloso estadiamento cirúrgico da doença.

Termos de indexação: implantes peritoneais; neoplasias ovarianas; tumor borderline de ovário.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Ciências Médicas

ISSNe 2318-0897 (eletrônico)
ISSN 1415-5796 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.