Avaliação da função tireoideana de paciente em uso de carbamazepina

Sabrina Rocha, Emanuela Pimenta, Francisco de Olivaes, Amanda Carvalho, Helder Silva, Túlio César Alves, Milena Pereira Pondé

Resumo


A literatura científica indica que a carbamazepina pode reduzir os níveis séricos dos hormônios tireoideanos. Não está estabelecido se a redução se deve a uma aceleração do metabolismo hormonal, ou porque a carbamazepina desloca o triiodotironina e o tiroxina das suas proteínas de ligação. Apenas um estudo considera que as alterações dos hormônios tireoideanos geradas pelo uso da carbamazepina são compensadas e não geram alterações clínicas. É apresentado o caso clínico de uma paciente de 54 anos, com crises epilépticas, que faz uso crônico de carbamazepina. Após 12 anos de uso da droga foi constatado que apresentava níveis séricos baixos de tiroxina livre, com níveis normais de hormônio estimulador da tireóide. No caso clínico apresentado não há alteração nos níveis de hormônio estimulador da tireóide e a paciente apresenta tiroxina livre reduzido, dados que estão de acordo com os reportados na maioria dos estudos revisados. Não há consenso sobre o motivo pelo qual uma suposta redução do tiroxina livre não levaria ao aumento do hormônio estimulador da tireóide. Sugere-se que a reposição hormonal em pacientes que usam cronicamente a carbamazepina seja feita com cautela, atentando-se para níveis normais de hormônio estimulador da tireóide e para sintomatologia clínica que justifique ou não um tratamento.

Termos de indexação: carbamazepina; epilepsia; hormônios tireóideos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Ciências Médicas

ISSNe 2318-0897 (eletrônico)
ISSN 1415-5796 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.