Análise da percepção de mulheres de uma unidade básica de saúde sobre o exame de papanicolaou e de mama

Maria de Lourdes da Silva Marques Ferreira

Resumo


Objetivos

O estudo objetiva compreender e analisar como as mulheres percebem a sua participação na prevenção e no diagnóstico precoce, por meio do exame de Papanicolaou, auto-exame e exame clínico da mama, e identificar as dificuldades percebidas por elas no enfrentamento dos referidos exames.

Métodos

O estudo foi desenvolvido numa unidade básica de saúde do município de Botucatu (SP), e a população foi constituída por uma amostra de 30 mulheres de 25 a 60 anos. As entrevistas foram realizadas por meio de questões norteadoras sobre a participação da mulher na realização de exames preventivos. O discurso do sujeito coletivo foi o referencial teórico utilizado para a análise das descrições obtidas.

Resultados

As idéias centrais dos discursos indicaram uma percepção da prevenção e do diagnóstico precoce, e revelaram as dificuldades para a realização periódica dos exames. Sentimentos relacionados a medo, vergonha e estigma do câncer, o esquecimento e a ausência de sintomas foram os principais fatores percebidos como dificuldades. As mulheres demonstraram ter consciência da responsabilidade do cuidado, mas também de que ainda necessitam de esclarecimentos sobre a técnica do auto-exame.

Conclusão

Os resultados evidenciam a necessidade de atuação diferenciada dos profissionais, incluindo envolvimento e respeito à privacidade de pacientes, bem como a intervenção na quebra de tabus com ações educativas sobre prevenção e detecção precoce.

Termos de indexação: Auto-exame de mama. Diagnóstico precoce. Exame de Papanicolaou

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Ciências Médicas

ISSNe 2318-0897 (eletrônico)
ISSN 1415-5796 (impresso)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.