Doutrina Social da Igreja: história e conceitos fundamentais

Dom José Reginaldo Andrietta

Resumo


Trato aqui o que é, como surgiu e se desenvolveu a Doutrina Social da Igreja, seus princípios fundamentais e sua relevância atual, fazendo uso das sagradas escrituras e de documentos da Igreja. Apresento a construção histórica dos princípios fundamentais da Doutrina Social da Igreja, desde uma perspectiva pastoral, conceituando pastoral como ação conjunta de toda a Igreja, com caráter evangelizador, frente à globalidade da realidade, particularmente as situações que geram sofrimentos humanos. Para levar a cabo essa missão é dever da Igreja investigar os sinais dos tempos, interpretá-los à luz do Evangelho e atuar diante deles a partir da realidade dos pobres. Referências à situação dos pobres, sob a ótica da libertação e da justiça social no Antigo e Novo Testamentos, nos primeiros séculos do cristianismo e em toda a tradição católica são abundantes. Com o avanço do capitalismo no final do século XIX, muitíssimas questões sociais passaram a ser intensamente tratadas pela Igreja. Uma sequência enorme de Documentos Pontifícios e de Conferência Episcopais foram tornando a análise social, econômica, política e cultural abrangentes, criando bases para seis princípios fundamentais da Doutrina Social da Igreja: a dignidade da pessoa humana, a primazia do bem comum, a destinação universal dos bens, a primazia do trabalho sobre o capital, a subsidiariedade e a solidariedade. Esses princípios se fundam na premissa de que o ser humano só se realiza plenamente enquanto relacional, abrindo-se à transcendência pela amorização em Jesus Cristo.


Palavras-chave


Doutrina Social da Igreja. Dignidade humana. Sagradas Escrituras. Bem comum.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.24220/2525-9180v2n22017a4265

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos de Fé e Cultura

ISSNe 2525-9180 (eletrônico)

Este site é melhor visualizado utilizando navegador gratuito Firefox.